Poemas de T. S. Eliot

Cerca de 25 poemas de T. S. Eliot

A única sabedoria que uma pessoa pode esperar adquirir é a sabedoria da humildade.

Não deixaremos de explorar e, ao término da nossa exploração deveremos chegar ao ponto de partida e conhecer esse lugar pela primeira vez.

A poesia não é um modo de libertar a emoção, mas uma fuga da emoção; não é uma expressão da própria personalidade, mas uma fuga da personalidade.

Infelizmente há momentos em que a violência é a única maneira de assegurar a justiça social.

O sucesso é relativo: é aquilo que quisermos fazer da confusão que fizemos das coisas.

Numa terra de fugitivos aquele que anda na direção contrária parece estar fugindo.

O fim de toda nossa busca será chegarmos onde começamos e ver o lugar pela primeira vez.

Onde está a vida que perdemos vivendo?
Onde está a sabedoria que perdemos no conhecimento?
Onde está o conhecimento que perdemos na informação?

O que chamamos de começo costuma ser o fim
E fazer um fim é fazer um começo
O fim é o lugar de onde começamos.

A tradição não é dada por direito de herança, e, se a quiser, é preciso muito trabalho para a obter.

E que rumor é este agora?
O quê anda o vento a fazer lá fora?
Nada! Como sempre, nada!

Só os que se arriscam a ir longe demais são capazes de descobrir o quão longe se pode ir.

Se você não tem força para impor seus próprios termos à vida, você deve aceitar os termos que ela lhe oferece.

Apenas aqueles que arriscam a ir demasiado longe conseguem descobrir o quão longe se pode ir.

Spencer Reid: T.S. Eliot escreveu: "Entre o desejo e o espasmo, entre a potência e a existência, entre a essência e a descendência, tomba a sombra. Esta é a maneira que o mundo acaba."

Apenas aqueles que arriscam demais, podem realmente
descobrir ate onde podem ir.

Poetry is not a turning loose of emotion, but an escape from emotion; it is not the expression of personality, but an escape from personality. But, of course, only those who have personality and emotions know what it means to want to escape from these things.

As palavras do ano passado pertencem à linguagem do ano passado
E as palavras do próximo ano aguardam outra voz.

Onde está a sabedoria que nós perdemos no conhecimento? Onde está o conhecimento que nós perdemos na informação?

Entre o desejo e o medo, entre o poder e a existência, entre a essência e o declínio, caem as sombras. É assim que o mundo termina.