Amanda Liz: Não foi a distância Doutor! hoje,...

Não foi a distância Doutor!

hoje, andando por ai, lembrei que você disse que nós não daríamos certo devido a distância. Me ocorreu que você está altamente equivocado quanto a isso. Não! Não foi a distância a causa principal desse desfecho infeliz, infeliz pra mim. Foi a falta de confiança. A distância a gente dribla. Tem telefone, msn, carta, sinal de fumaça. Eu pegando o ônibus e indo pra ai e você vindo pra cá. A gente sempre soube que pra isso tinha jeito, se não nem teríamos iniciado nada. Eu poderia até acreditar nisso e até acreditei por um tempo. Afinal, as palavras saíram da sua boca. Mas agora que o tempo passou é mais fácil ver, rever. E como eu disse não foi a distância e sim a falta de confiança. Faltou confiança pra segurar a mão um do outro. Faltou confiança pra esperar, pra entregar nas mãos um do outro essa vida, compartilhar. E o mais importante é o que fez com que eu chegasse nessa conclusão. Foi exatamente o fato de que a gente não manda no coração. A gente não tem o poder de dizer ao coração, " querido não vou te amar porque você mora longe", ou "querido não vou te amar porque você não gosta das mesmas musicas que eu gosto" , a gente ama porque ama e não se sabe o por quê. Se fosse assim não existiria uma penca de mulheres bem resolvidas, independentes e lindas, porém sozinhas. Também não existiria um monte de homens de bom gosto, lindos, aqueles do tipo galã de novela, independentes e sozinhos. E foi pensando nisso que cheguei a conclusão de que você se enganou quanto a justificativa. Ou melhor de usar a distância como justificativa. E eu sei também que falar sobre isso não resolve nada e que você nem vai ler isso. Engraçado que foi exatamente a distância que nos uniu e depois nos separou. E no meio dessa tempestade ficaram tantas coisas soltas. Eu sei, eu sei. Já repeti milhões de vezes: basta de dramalhão! Mas, mas, mas... Uma hora eu paro de escrever, paro de pensar. Passa, isso passa. As pessoas adoram dizer isso. Bom, se passa eu não sei. Mas passou pra você, quem sabe não passa pra mim também. O que eu posso dizer é que eu sobrevivi e isso é tudo, é o limite. Mais do que isso ninguém pode me exigir, além disso nada. É assim que eu me sinto, sobrevivi apenas. E isso é tudo.

1 compartilhamento
Inserida por amandaliz