Dijalma Augusto Moura: A vida nos prega surpresas. As últimas...

A vida nos prega surpresas.
As últimas perdas definitivas e inesperadas da vida fazem nos enxergar com pura nitidez o quanto o ser humano é tão frágil e insignificante, sagaz, mentiroso. Fazemos, dizemos coisas, achamos que ações e palavras não mudam nada, mas é ai que nos enganamos, que palavras e atitudes diz muito de quem somos e de como agimos de acordo com cada evento de nossa vida, com quem nos envolvemos, de como viveremos e se realmente valerá apenas certos acontecimentos em nossas vidas. Atitudes e palavras são o que sobra de toda uma vida nada de roupas, ou correntes, ou sapatos, ou carros, ou casas e dinheiro mudaria quem somos ou fomos com o nosso próprio caráter, com nossa própria consciência, com o nosso próprio eu. As surpresas sempre acontecem e sempre irá acontecer no nosso cotidiano.
Aprender a viver hoje num mundo globalizado e consumista é uma tarefa extremamente difícil, cada dia com a possibilidade de progredir ou não com os acontecimentos que fazemos e os que vemos também acontecer e os que temos que conviver e o principal deles o de ouvir o que não queremos. Ouvir telejornais, ver jornais ou revistas que só dizem coisas que nos desagrada e faz nos sentir menosprezado.
Enxergar o quanto o sentimento é fortemente importante na vida de qualquer ser humano todos estão a mercê de uma vida cheia de coisas boas e más, mas a vontade da 'carne', dos desejos e a hipocrisia das próprias vontades nos transforma e podendo em vários momentos nos afastar da verdadeira felicidade.
Se entregar de coração, de corpo e alma não se limitar aos desejos, sinceramente saber viver aquele momento e saber guarda-lo dentro do seu intimo. Saber o quanto cada pessoa tem sua exclusividade seu desejo, sua vontade, seu sonho saber como cada pessoa desperta o que existe dentro de nós, saber como cada pessoa encara nosso modo de ser de uma forma que nos faz mudar, mas o que muda é o amor. Não precisamos de meses ou anos para se notar quando gostamos de alguém de uma forma especial. A idade muitas vezes influencia em atitudes, a inexperiência é amiga dos tropeços. O tempo passa e as vezes mudamos de atitudes, mesmo sendo contrárias ao que sentimos no momento, por medo de se apegar, por medo de sofrer, por medo de amar.
A dor da perda é a pior dor emocional que o ser humano pode sentir e por isso 'corremos' tanto dela, deixamos que pessoas nos limitem, deixemos de fazer o que achamos que é certo junto com o sentimento sincero e diferente que nos possuiu e nos rendemos ao fracasso de esquecer tudo que vivemos e tudo que um dia nos fizeram felizes. A vida nos prega cada surpresa, desejamos coisas que muitas das vezes não podemos alcançar. Desejamos coisas boas para nós e coisas más para outros, essas são as surpresas da vida.

1 compartilhamento
Inserida por DijalmaMoura