Bruno M. Tôp: Sempre estive a procura, talvez por ser...

Sempre estive a procura, talvez por ser inocente demais, talvez por ser carente demais; eu realmente não sei o motivo principal dessa vontade toda existir em mim; a vontade de ter um Amor, mas não um amor qualquer, um Amor com A maiúsculo, daqueles muito mais empolgante que o da novela das 8, muito mais feliz que o romance-tragédia vencedor de 11 oscar’s... Um Amor pra dizer que vivi nesse mundo sabe? Talvez essa seja uma das raízes do desejo, quando era criança li que um homem precisa fazer três coisas na vida: “Achar um amor, plantar uma árvore e escrever um livro”... É, acho que é isso mesmo; ou talvez foi só destino ter te achado, gosto das duas alternativas.

Eu pelejei muito, até te achar, e até confesso, que antes de ti, já havia encontrado um sentimento forte o bastante para eu achar que era amor, mas não foi amor de verdade; não, foi uma obsessão. Um Romance de criança, que cativou meu coração recém-destruído. E só agora, só depois de te conhecer, te ter, te perder, achar que te tinha, achar que não te tinha, e finalmente te ter de verdade, e aí sim, eu entendi o que realmente significava essa palavra de quatro letras, e tantas definições...

Seu sorriso foi algo muito peculiar, que se impregnou no lóbulo esquerdo do meu cérebro, devastando memórias mais importantes, e menos galantes. Me apaixonei por ele, e mais tarde, o tempo veio me dizer, que estava amando a portadora desse sorriso tão... Sem definição, já que o infinito não se define.

Cata-vento, Sol, Dengo, Feiticeira. Você renasceu em tantas definições diferentes aos meus olhos e lábios, que a infinidade de sensações que você trouxe a minha vida, tornou meus orbes límpidos o bastante para ver que até chegar a você, minha trajetória foi de um preto-e-branco tão entediante quanto os classificados de obituário.

Enquanto sua nuca emanava um perfume digno de luar, fui aceitando que já tinha sido vencido, derrotado, e cá estava acorrentado, ao seu jeito, cheio de camadas, que me fascinava cada vez mais, como se o tear do destino estivesse me mostrando o melhor livro que eu jamais acabaria de ler, caso fugisse como sempre fugi. Não, com você eu segui em frente, me arrisquei, e decidi que se havia um tipo de mulher para mim, esse tipo era você.

Como já te repeti tantas vezes, é impossível explicar de verdade o que é o amor, é como uma fotografia de uma fogueira, você sabe que é uma lareira acesa, mas não chega nem a 10% da sensação de ver uma de verdade; de sentir o calor, o aconchego. Bem, essa comparação, sendo tão boa, ainda assim não demonstra a verdadeira distancia das minhas belas palavras quando tento explicar o que sinto por ti, é algo imensurável.

Eu li tantos romances, criei tantos personagens; a maioria baseados em mim, tentando imaginar como seria, quando eu encontrasse um amor de verdade, e todos eles, não passam de fantasmas velados, quase sem nenhuma semelhança quando comparado ao que achei em você.

O jeito como você dança, me abraça, me toca; me enfeitiça, e me faz pensar que eu finalmente posso ser eu mesmo, que na verdade, eu posso ser o que eu quiser, porque te tenho comigo; porque conquistei algo que é meu, só meu. E como egoísta que sou, só quero você pra mim, sem mais.

Pra você, guardei toda essa vontade, e um pouco mais. Guardei a esperança, de ter em você um ponto de felicidade indefinível, e como tudo que a vida me deu, você não foi aquilo que eu esperava, foi muito mais. Muito de um mais, que nem o infinito chega a beirar nele.

Pode parecer mentira, mas eu guardei isso tudo pra ti, não sou idiota ao ponto de afirmar que sabia que seria para ti, da pra entender? Eu guardei bem, para uma pessoa especial, mas não sabia que existiria uma pessoa na minha vida que tornaria isso que guardei real. Ficou confuso né? Acho que toda vez que tento falar sobre essa palavra de quatro letras, me atrapalho todo. Foi tentando te explicar, e sempre achando que a explicação era fraca demais para o que eu sentia, acabei por perceber, que explicação nenhuma isso requer. Como Nando Reis diz em sua música “Se o coração bater forte e arder, No fogo o gelo vai queimar”; e queimou. Todo o gelo acumulado por anos de atrofia sensitiva derreteu ao resplandecer do seu sorriso. Esse mesmo sorriso, que tem uma grandeza muito maior que a dais infinitas constelações que contemplamos durante a noite; tem um brilho muito mais áureo que o da Lua, na noite mais linda e romântica; tem muito mais calor que o sol pode transmitir no dia mais quente. E sempre me pego, sem aviso, admirando-o, achando, por mais estranho que pareça, uma parte nova, que me faz te amar cada vez mais.

A cada mudança no ciclo da lua, tento de novo e de novo, percorrer todo teu corpo, para decorar cada sinal, imperfeição, cicatriz, cílio, cravo, ou qualquer outro detalhe, insignificante para os outros, que me façam poder ter certeza que guardei todo o seu ser na minha memória. Mas é impossível, pois em todos os poucos segundos tentando te fotografar com os olhos, me perco admirando um detalhe tão normal, e que pra mim é perfeito, por mais idiota que isso possa parecer. E você pergunta ‘o que é você tava olhando?’ e eu respondo ‘Você’. É tão difícil de entender, que quando o assunto é você, existe muito mais que dê pra me saciar?

O Tempo às vezes passa tão rápido, e às vezes tão devagar, que pensando na teoria física, entendi que quando o assunto é o nosso amor, o tempo deixa de ser constante, ele se torna uma variável, totalmente dependente do nosso amor, assim como todas as minhas ações. Por isso eu sei que é amor; que o que sinto, vejo, inalo, presencio, abraço, acaricio e tenho tomando todo meu ser é a definição mais exata para a palavra Amor. Assim como me sinto eriçar cada célula do meu corpo quando meus lábios beijam tua pela, quando sinto o contato teu em mim, quando deixamos de ser dois, quando nos tornamos um só; quando somos mais que Deuses, quando tornamos o amor simples, quando tiramos o ‘s’ do nós, e assim ficamos só o ‘nó’, juntos. E por mais breve que esse momento seja, é mais eterno que mil nascimento de estrelas, que um milhão de arco-íris percorrendo o céu.

Eu sempre soube que você tinha o manual de instruções pra me ter, e só agora entendo porque você o tem, é porque você nasceu para ser minha, e eu para ser seu, e nós para sermos um nó, sem mais, sem menos. Sem precisar explicar, apenas amar. Pois gelo nenhum sobrará, enquanto o sol lhe iluminar.

Só há Um jeito de dizer, o que une nós Dois, em Três palavras, que define essa palavra de Quatro letras: Eu te amo. E isso, será pra sempre.

1 compartilhamento
Inserida por brunomtop