Rayssa Dias: De qualquer forma, um adeus Precisava...

De qualquer forma, um adeus
Precisava vê-lo o mais rápido possível; Não suportava a dor de saber que ele iria embora.Tinha a certeza de que se ele fosse, nunca mais o veria.
Numa noite fria de inverno, saiu para encontrá-lo, para pedir que ficasse, pensou duas vezes antes de ir, pois se fosse poderia sofrer uma grande decepção se ele não resolvesse ficar; Más por outro lado, se ficasse de mãos atadas não iria se perdoar por não ter tentado. Por isso foi de uma vez!
Já na porta, queria dá meia volta, só que respirou fundo e tocou a campainha... De repente, à meia luz, a porta abriu-se, e ele com um olhar feliz porém profundo a mandou entrar.
Ela entrou, sento-se no sofá e com o rosto cheio de expectativas começou a perguntar-lhe se iria mesmo? se a deixaria? se isso realmente era verídico?
Ele com a expressão desapontada, revelou que não poderia deixar ir; Pediu que o perdoasse, más por nenhum momento pediu-lhe para esperá-lo.Foi o que mais doeu na mesma que não mais tinha sede de viver.
Saiu pelas ruas atordoada, sem saber o que fazer daí pra frente, pra onde ir, chorava muito, estava fora de si...
Percorrendo a rua com aquela cena alojada em sua mente, só deu tempo de olhar os faróis acesos...Eis que o previsto aconteceu...O barulho da pancada foi tão forte que incomodou os ouvidos do rapaz.Saindo em direção à porta, ficou perplexo com o que viu; Aproximou-se dela, desesperado segurou suas mãos, se olharam nos olhos e ela dormiu, dormiu e não mais acordou.
Com o passar do tempo, a culpa que ele sentia foi aos poucos se amenizando.Mesmo ambos separados por um plano maior, ela o visitava sempre em seus sonhos e neles repetia constantemente: - Não vá embora, não me deixe sozinha.

1 compartilhamento
Inserida por Ranne