Victor Estuani: Inquietude Hoje vou escrever até o...

Inquietude

Hoje vou escrever até o ranger dos meus dedos
cansarem minha mente
hoje quero estar ausente pra não me perturbar
em simples ações
Em longínquas paixões
Reside um pedaço de mim que certamente não se unirá
É impossível saciar a ganância
A diminuta desta aclamo de meta
Se não quero olhar adiante
Sou tomado de um desanimo apaziguante
O pior destes o conformismo com oque não almejo
Ora, quem nunca foi tentado ao desleixo
E ao ir driblando percalços
Escrevo escrevo escrevo ...
Quando a poesia toma vida
Agracia o poeta mesmo em ferida
Ao bem dos escritores que infestam suas palavras com o próprio sangue
Mata, exclama, sofre, escreve, discorre, senti
Melhor companhia do que se ouvir
solução ou simplesmente um passatempo
não caio em sossego profundo até essa nuvem passar
A curiosidade aflige como a inquietude de um sonho que esta prestes a acontecer
Cumprir metas e dormir em paz
feliz talvez, mas finalmente algo fugaz
engano-me cautelosamente com elas e as transformo em sonhos
ah! hora de descansar

1 compartilhamento
Inserida por fenrriolos74