Diego Carvalho: Qual o verdadeiro sentido de tudo, qual...

Qual o verdadeiro sentido de tudo, qual a verdade que cerca toda esta relação tão encontrada e desencontrada ao mesmo tempo? Estou tão emocionalmente envolvido que não quero sinceramente ver, só quero me aproveitar de tudo, sugar cada emoção como um menino vadio a procurar desesperadamente por um a migalha de pão. Estou querendo ir além das minha possibilidades, veio a mim a idéia de fazer estes dois mundos tão diferentes se encontrarem, mas com impossível isso é. Então os meu sonhos elaboram encontros, saídas, imagens, viagens. Vejo os rostos que nunca vi, paisagem que Não existem, rosto e mais rostos são construídos baseados em conhecimentos tão inaceitáveis que chega a ser loucura tamanha obsessão.
Sobre meus onirismos construo meus mais estranhos e sinceros desejos, de viajar no tempo e no espaço e te encontrar antes que o outro pudesse ter encontrado e assim quem sabe poder te dado tudo o que nunca teve, mas que com certeza sempre quis Ter também em teus sonhos, mas fazendo isso acabaria matando tantas coisas que por outro lado também te importam e me importam também. Então volto atrás no meu egoísmo e desisto da máquina do tempo e volto ao presente querendo ser um presente no teu presente e não um fantasma do teu passado, esperando que no futuro de alguma forma milagrosa nossas estradas se encontrem ou pelo menos se esbarrem. Pois não quero agir com a minha própria força se precipitando totalmente e estragando tudo o que aconteceu e está acontecendo.
Que sentimento é esse? Que invade e toma conta do meu ser fazendo com que as lágrimas vêem e vão de nossos rostos já enrugados pelo sofrimento de nunca termos tido a chance de termos a alegria de nos encontrarmos um dia. Há mas em meus sonhos, intermináveis sonhos, já nos encontramos, já caminhas-te comigo pelos jardins mais bonitos, já colhemos rosas juntos e uma delas te feriu com um de seus espinhos e eu gentilmente suguei com meus lábios aquela gotícula de sangue que pintou seu lindo dedinho de apontar. Sim nestes sonhos intermináveis em que caminhamos pela orla do mar da minha terra de mãos dadas sem nada para se preocupar, apenas com nós dois e debaixo do mais prateado brilho de luar. São nestes sonhos que te busco com aquele vestido marrom e aquele chale europeu que te deixam mais aparente, mais presente e que me fazem quase flutuar. Os sonhos que nunca acabam E que sempre dizem uma coisa só – queria estar mais perto de você, sempre.
Então irei continuar sonhando e sonhando até o dia raiar, pois nele sempre estarei celebrando os nossos encontros, os nossos passeios, as nossa palavras, os nossos sorrisos, as nossa viagens, as nossas paisagens, os nossos abraços de quarenta e cinco minutos e meio e por que não dizer todas as nossas vontades que jamais termos a coragem de confessar. Celebraremos os casamentos de nossos filhos e o nascimento de nossos netos, o recomeço de nossas vidas no estilo do céu e da graça que vem do alto e que nos foi ortogada.
Mas aí o dia chega, e acordamos, o sonho acaba e o que temos então? Eu tenho a tua voz e o teu sorriso apenas. E você tem meu coração. Mas quer saber, valeu a pena sonhar, realizar todos estes desejos que mesmo proibidos me fazem mais feliz, mais forte, com asas curadas vou voando para encontro das minhas emoções com a certeza intensa de que estou vivo e apaixonado pela vida, pelos sonhos mais puros da criança que vive em mim e grita pelos campos: EU TE AMO! sem medo de quem possa ouvir, e que agora com medo de dizer só para você, e então Ter que também perder a tua voz e o teu sorriso para sempre, e nunca mais poder Ter nem ao menos estes sonhos intermináveis que me ajudam a não te esquecer, que são o complemento do teu riso e tua voz e que são o complemento da minha alegria de estar participando deste teu momento de felicidade único, pois estamos envelhecendo e daqui a penas vinte anos estaremos mais velhos e menos saudáveis, estaremos mais longe um do outro como nunca estivemos de qualquer pessoa viva ou morta em nossas vidas.
Sonhos e nada mais, é esta a minha recompensa, merecida, mas gratidão também, mesmo daqui a vinte anos continuarei grato a você, pois eles só foram possíveis por você.
só em meus sonhos. Nestes sonhos interminavelmente e felizes que estarão sempre nas memórias da minha alma que agora neste momento só pensa em uma coisa: EM SEMPRE SONHAR.

1 compartilhamento
Inserida por Diegocarvalho