Bruno M. Tôp: Sabe aquele olhar incrível? Aquele que...

Sabe aquele olhar incrível? Aquele que se sobressai a milhares numa multidão, que te pega de surpresa, de faz sorrir sem nem um motivo plausível, só te traz uma alegria inexplicável? Pronto, ele tem esse olhar.

Dizem que os olhos são a janela para a alma, e que um bom flerte começa com troca de olhares… Se isso é verdade a alma dela é a coisa mais linda que eu já vi, e principalmente ele é um eximio flertador!

Como pode, duas orbes verde musgo me atrairem tanto? Não! Impossível, eu sei quem eu sou! Mas não resisto àquele olhar, àquele modo como seus olhos se sincronizam com os cabelos castanhos acaju despenteados, e mais com aquele sorriso ladrão de corações!

É eu sei o histórico dele, sei que vou ser só mais uma, mas e eu resisto? Não. Eu sei que devia fugir do que me é ruim, mas não resisto quando ele fala:

“Ó anjo meu, da têz tão alva…”

Ou

“Como podem lábios terem um carmesim tão gostoso de se vislumbrar e provar…”

Ah, eu não resisto, vivo me penitenciando, dizendo pra mim mesma “Maria Clara, você tem que largar esse cafajeste o quanto antes!”, mas simplesmente eu não largo.

Acho que ele se enquadra bem na definição de sedutor: 1.Quê ou aquele que seduz; 2.Tentador: 3.Demônio sedutor.4.Atraente; 5.Fascinante: 6.Jovem sedutor; 7.Homem leviano que seduz e desonra as mulheres, abandonando-as em seguida.

Se bem que ele não é um demonio, está mais para um anjo caído… E que belo anjo! Tecnicamente ele nunca me desonrou, mas acho que meu coração não deve ter honra ao se submeter a esse tipo de relacionamento…

Ele é esse tipo de amor-amizade que não quero abandonar nunca.

Antes que você queira me penitenciar apenas por eu me envolver com esse tipo de cara, saiba ainda mais, que ele tem namorada. É agora sim você pode me jogar quantas pedras quiser.

Sabe, eu o neguei o quanto pude, disse que a vida não era assim, e que ele não precisava de mim, porém ele nunca desistiu, ele é um cafajeste que sabe ser cafajeste, e ao mesmo tempo, é a personificação do carinho na superficie terrestre.

Argh, odeio ser canceriana, tolos sentimentais do inferno. E agora esse conceito dele de amor-amizade se impregnou em mim. Ah maldita ladainha de cafajeste… E o pior é que ela se encaixa tão bem quando ele usa aquele oculos escuro tão brega… Porque o brega combina tanto com o sorriso dele? Acho que porque ele é brega… Argh, odeio ser canceriana!

“Você será o meu amor-amizade, um pouco mais do que as amizades comum, um pouco menos que o amor, pois não te quero monopolizar, e sei que você não me deseja só pra si”, ele estava absolutamente certo!

Eu posso fazer o que? Eu até já resisti algumas vezes, mas as cantadas sutis, os suspiros romanticos, as indiretas ridiculas… Todas me divertem, inflam meu ego, e cada vez mais vou me envolvendo por ele.

Não me condenem, sou só vítima desse olhar destruidor de lares… Eu já disse a ele uma vez:

“Gui, esse seu olhar, acaba comigo… É como se eu fosse alvejada por inúmeras flechas, sou destruida, e dizimada, mas do que seria se fosse envenenada ou atropelada!”

Ele deu aquela risada gostosa e rebateu:

“Isso é você falando, ou as várias doses de vodka com laranjada?”

A minha resposta foi um beijo.

Talvez eu esteja errada, mas eu aprendi com ele, que o erro só existe, quando somos julgados, e enquanto isso não acontecer, vou fazer o que quiser, pois essa vaidade em mim, exige esse olhar de conquistador barato!

1 compartilhamento
Inserida por brunomtop