Walace Miguel: OPOSTO DE UMA VIDA O vento interroga...

OPOSTO DE UMA VIDA

O vento interroga meus sentimentos com constrangimentos.
Os inocentes de mais se tornam tolos de mais, e quem é tolo de mais se envergonha e deixa o futuro no inconsciente e desordena o tempo pra trás.
Os gênios são tolos mais não tem medo, os gênios não são lembrados, nem esquecidos, os gênios sempre morrem cedo.
As pessoas fúteis não são úteis nesse mundo útil onde você é usado por um minuto, e por uma eternidade se torna inútil.
As palavras calariam o mundo, se não fosse o medo de dizer o que as palavras deveriam significar, e vejo que com palavras, movo os povos de lugar.
A arrogância mede a altura simétrica com o medo, os velhos se esquecem de ser cruéis, e os mais novos aprendem a ser cruéis mais cedo.
Nas medidas que as alturas de um metro e poucos sentimentos me impôs, faço versos, escrevo pra mim, mais não deixo nada pra depois, afinal quem se dispôs, não compôs, o verso que disponibilizei pros meus iguais, ou pros diferentes de etnia e cor com pouco verso, mais com muito amor.
O sono uma vez quase me mata, mais a preguiça de viver me renasce a todo momento, levo a sério o que ouço pela vida pelos efeitos sonoros de um coração afogado de sentimento.
O primeiro beijo não marca as nossas vidas, pois são trocas de salivas, o que marca de verdade, é sentir o calor humano de quem te ama entre a sua imagem e outra alma por outras almas vivas.
Nunca liguei pro exterior das pessoas, mais exteriores se multiplicam as centenas, mais corro na vida em uma cena, a primeira vez que julguei uma pessoa pela aparência, vi que ela era linda, mais percebi que o tempo me disse que essa mesma pessoa não valia a pena.
Sou morto antes mesmo de viver, consegui ser inteligente antes mesmo de aprender, e novamente, morri, antes mesmo de nascer.

1 compartilhamento
Inserida por walacemiguel