⁠CAIR DA TARDE... O céu do cerrado... Luciano Spagnol - poeta do...

⁠CAIR DA TARDE ... O céu do cerrado está tão imenso
Todo dum vermelho compassado
O vento lhe rodeia, incerto, tenso
Na vastidão do azul, árido e alado O horizon... Frase de Luciano Spagnol - poeta do cerrado.

⁠CAIR DA TARDE ...

O céu do cerrado está tão imenso
Todo dum vermelho compassado
O vento lhe rodeia, incerto, tenso
Na vastidão do azul, árido e alado

O horizonte mais rubente, intenso
No aparato carmim que é tomado
Em nuances no celeste suspenso
Em reza, num oratório imaculado

Quanta ilusão, quanta, no parecer
Do entendimento, fica a embalar
A imaginação, perdidas no viver

Ah! grandioso, de infinita beleza
Aos olhos não se pode desvendar
Os mistérios ocultos na natureza! ...

© Luciano Spagnol - poeta do cerrado
23/02/2021, 18’28” – Triângulo Mineiro

Inserida por LucianoSpagnol