Gerson A. Gastaldi (Garfield): A BOLHA BAILARINA No vitral da minha...

A BOLHA BAILARINA

No vitral da minha janela
uma sedutora bolha de sabão
pairava viva e fascinante,
semelhante uma estrela,
revelava na fulgente aparição
seu brilho: um diamante.

Infiltrei meus olhos nela
como viajante da imaginação,
divisei na sutil paisagem
uma fulgurante donzela,
pérola alvadia com irradiação
de luzes: plena miragem.

Neste relumbre de auréola,
de belos matizes à percepção,
sua imagem jazia brilhante
tal qual uma leda aquarela;
era uma bailarina no coração
da bolha: a dançar galante.

Num rompante do desejo
eu almejei libertá-la do balão;
soprei-o, vivaz e risonho,
para romper seu lampejo
dourado e extraí-la da prisão,
mas foi tão-só: um sonho.

Eis que a bolha estourou
esvanecendo da minha visão
a radiosa figura que mirei;
somente o seu vulto ficou
a bailar em minha feliz ilusão
quando: do sonho acordei.

Compreendi então o real
sentido dessa fúlgida alegoria;
a bolha foi toda felicidade
perdida; a bailarina jovial
foi apenas uma breve fantasia,
e o sonho: uma saudade.

Do seu Livro "Cascata de Versos" - 2019

Inserida por Garfield789