Os cheiros indeléveis da verdade... Luciano Calazans

Os cheiros indeléveis da verdade Sombras de um passado obscuro Que me acompanham qual um cão Sem dono, sem rumo e sem prumo Tentam ceifar o que me cabe em vida ... Frase de Luciano Calazans.

Os cheiros indeléveis da verdade


Sombras de um passado obscuro
Que me acompanham qual um cão
Sem dono, sem rumo e sem prumo
Tentam ceifar o que me cabe em vida

Mordem , puxam, arranhando tristes feridas
Já cicatrizadas e bem passadas
Extraindo uma dor desnecessária e vã
Que serpenteia, uma alma mal lavada

Não há fuga bem sucedida e sim o querer não concedido
Não há o amargo do café em minha língua
Há um agridoce meio amargo sentimento
Que se tornam agradáveis com sua receita

não muito melíflua a me fitar de cima


Um breve coma da fantasia herege
Agora é realidade vestida e travestida
Sem sombras, só gosto, só gosto

Não carece temer a desconhecida conhecida existência do lapso
Não por opção
Essencialmente , não .

Adoro o seu altar mor
Um dia ele será nosso
Sem chagas, sem feridas

Só o sentimento banalizado pelo nefasto cotidiano .

1 compartilhamento
Inserida por Maestroazul