Priscilla Dias Cavalcante: Falar dela, já tentei, mas a verdade...

Falar dela, já tentei, mas a verdade é: quem poderia?
Que mulher versátil aquela... cada dia é dia de ser sempre tão ela.

Batom vermelho nem sempre quer dizer bom humor, às vezes é só fantasia pra um dia sem muita cor. Às vezes não se sabe se é menina ou se é mulher, cabe as duas sem esforço dentro dela.

E cabe mais, muito mais, dentro dela cabe sempre um algo mais...ou, alguém. Cabe também amor, aliás amor cabe e extravasa. Ela é a verdadeira definição de “amor da cabeça aos pés”. Intensa como ninguém.
Ama com loucura o quanto pode e enquanto seu coração é correspondido, mas, não se engane, ela também se cansa e sabe bem quando se amar em primeiro lugar é preciso.

Quando há necessidade, arrasta seus cacos, mas, com dignidade. Se educou a seguir em frente mesmo quando quer voltar atrás.

Que menina aquela! Gostar ou não gostar em um minuto se dissolve dentro dela.
Seu ciúme ela esconde debaixo de uma peneira. E a risada? Essa nem tentando ela consegue esconder.
Ela ri. E como ri. E chora. Ah, como chora. Se de alegria, ou de tristeza nem sei. Mas, pra ela isso é tudo a mesma coisa. Ela não faz distinção, nem escolhe ocasião.

Das certeza que tenho sobre ela? Nunca foi brisa mansa. Ela é sempre furacão. É mais fácil esconder um vulcão que a presença dela. Presença que se sente, ausência que se nota.

Bagunça  é o que ela faz por fora, mas se você a carrega por dentro, o coração tá sempre em ordem
Forte como um leão a defender a cria, mas ávida por colo e cafuné ao fim de cada dia.

Que menina aquela.
 Imagina um mundo, cheinho de pessoas iguais a ela?

1 compartilhamento
Inserida por PriscillaCavalcante