Franvina: Etelvina minha mãe Quem sou eu sem...

Etelvina minha mãe

Quem sou eu sem você,
minha mãe amada,
sem os seus sorrisos protetores,
sem a sua voz indomada.

Os seus olhos francos,
ensinaram-me como encarar o mundo,
como amar aqueles que me odeiam
e,como ser grande homem e não homem grande.
Sem os seus conselhos brancos,
a minha vida não teria êxito fecundo,
que me leva aos sítios que nos rodeiam,
para a criação de mais um poema ande.

Amo-te,amo-te e amo-te.

Mãe,um amor verdadeiro temos,
nada de falsidade está em nós,
para sempre nos amaremos,
e nada separa um amor fortós.

Nove meses no seu ventre,
eu já sabia chamar-te mãe,
doce nome tem entre
as saudades de te chamar mamãe.

A mãe lembra sempre,
da junção dos nossos nomes.
Francisco-Etelvina,de filho e mãe,
Que deram origem ao Franvina.

Isto é pequena homenagem à minha querida,amada,linda,bonita,doce,corajosa,honesta e trabalhadora mãe.Fui buscar palavras para lhe descrever,mas só encontrei essas porque o mundo está cheio de imperfeições,mas a mãe é perfeita.Mãe,para mim ainda está ao mundo dos vivos porque está sempre comigo e,é a minha inspiração.

1 compartilhamento
Inserida por Franvina