Sonia solange da silveira ssolsevilha poetisa do cerrado: O ladrão da minha paz.. quando nos...

O ladrão da minha paz..
quando nos conhecemos me fez sentir novas ilusões
me ensinou a voar me levou para o catar as estrelas.

Nunca imaginei como seria meu futuro com ele..
Em simplesmente me entregar a esse amor da alma..
Acreditei que fosse verdadeiro, leal, sincero..

A última vez que estive com ele
Sai arrasada, jurando a mim mesma que nunca
mais voltaria..
Mas ele insiste em me ver, em me querer
E liga insistentemente, pedindo para voltar..

Mas eu não quero voltar..
eu não quero voltar..

Eu jurei nunca mais voltarei a encontra-lo.
Minto, quero sim muito o ver..
Também não quero voltar, porque sei que
será como sempre foi.

E, mais uma vez contradizendo meu nunca mais

Quando nos vemos, ele me envolve
E eu seduzida me jogo em
Seus braços.

E toco, com os dedos, o teu corpo e fervendo
de vontade loucamente me entrego,
faço o teu jogo..
insano, maldito amor doentio..


Como um jogador amador dobro a aposta eu
Quebro mais uma vez meu juramento de nunca mais..
Depois de tudo você me humilha e me abandona..

E em lagrimas te abandono bato a porta arrependida por ter
mais uma vez acreditado que seria diferente..

E jurei nunca mais lembrar, nunca mais voltar.

..

1 compartilhamento
Inserida por ssolsevilha