As cores são para a vida, assim como a... Katiana Santiago

As cores são para a vida, assim como a flor é um símbolo de amor!

Queres as cores? as cores eu busco e te dou, qualquer uma beija-flor...

Se guie pelas constelações mais loucas, que o céu é um véu de mistérios que ilude a nossa alma, e tudo dança e canta em amor, e esse céu te dou. Meu coração estará sempre aberto para teus anseios pássaro em flor.

Todo canto deve ser livre, precioso é o amor de quem o doou. Há moradas na quina de cada despedida, não existe adeus na partida, ela é só fingida e sempre abrigará a veracidade de um coração. O amor se realiza até com a própria solidão, das lembranças dão a canção, versos já ditos que transbordam ao infinito seja pelo silêncio estabelecido do não dito que a alma se “extasia” na mais COMPLETA SATISFAÇÃO.

O imaginário é um “lendário” mais forte do que o toque em qualquer região, ele é alma, eterna pulsação! Beija-flor ,pássaro em flor, tu florescerá em qualquer estação.

Para ti Beija flor o tempo é precioso, e falta muito para o pouso. Traz contigo o canto engenhoso que o colibri invejoso tenta vedar. Repara que as correntezas das palavras que jorram dos “Rios” de ti são águas que abastecem os mananciais das “solitárias solidões”.

Teu canto traduz em mim versos, vais e entoa-os nos montes, nas encruzilhadas, nas mesas, nas calçadas, igrejas, praças, eles são vida e quem dirá que todo canto é de vida reprimida?

Cada um tem sua porção de púrpura e candura que vai se abrigando, se afligindo, lutando ou se adaptando pelas palavras recebidas, independente da estação. Há palavras que transformam inverno em verão. As tuas, beija-flor, são vida em forma de canção...

Para que o luto de uma emoção? se a própria vida já se encarrega dessa alusão...

A morte nos espera e cada partícula de vida vivida ou não vivida já é uma separação.

De fel à mel, de capim a jasmim, sempre vou querer o cheiro do alecrim contido nas tuas veias, o canto das sereias, sempre a ludibriar, assovia poesia, bem precioso, como é bom mergulhar.

E nas horas vespertinas ou na própria aurora ou madrugada busco a letra e ela vem me tragar. Bebo do teu canto beija-flor querido até me embriagar, são absolvição, estou sempre a voar.

Ah Beija flor- querubim, pássaro assombroso, beleza que fascina qualquer fantasia no voo ou no pouso.

Lindo pássaro selvagem, sobre ti há feitiço grego, teu canto tímido transborda segredos, nos faz sonhar só em te olhar. Ofereço-te a beleza das cores porque delas tu já me doou, tanto na alegria como na dor!

Queres as cores as cores te dou...

Katiana Santiago

1 compartilhamento
Inserida por KatianaSantiago