Antonia Diniz: (Goteiras dos Meus Olhos) Escorrem nas...

(Goteiras dos Meus Olhos)

Escorrem nas goteiras dos meus olhos
chuvas forte de verões passados
para que a correnteza não me leve
me seguro na esperança de um novo dia

Chega a tarde e mais uma nuvem
se forma no céu dos meus olhos
São chuvas de verão que sempre
vão lavar minha alma

As chuvas caem no rio e voltam
em formas de nuvens
e a vida é bela, abrirei as janelas
e rasgarei sobre a terra pedaços de mim
que serão plantados

Sabendo que a vida é passageira
e depois que a morte me levar não tem volta, então, eu brinco com a sorte,
de ir e vim nas chuvas de verão

Não me importo com as goteiras
que vaza dos meus olhos
contemplo as gotas que caem
com o cheiro da terra molhada

Com a alma lavada, de amores que passam
amores impossível, amores duradouros
a aproveito em quando durar a minha ilusão
sendo cautelosa a penas com as enxurradas, porque a vida é bela.

(Antonia Diniz)

1 compartilhamento
Inserida por AntoniaDiniz