Antonia Diniz: Meus sonhos andam magros, esqueléticos,...

Meus sonhos andam magros,
esqueléticos, esquizofrênicos
Ando entre a loucura e a lucidez
as vezes me perco num labirinto
de buscas e em meus encontros
desastrados sofro, viro mesa
esvazio copos, viajo na insonia
E na magreza dos meus sonhos
não consigo mais me lembrar
do teu amor, que me alimentava
foram se as lembranças que por
tantos anos engordaram meus pensamentos
Sinto falta, mas os nossos castelos
são de areia e quando vem a maré
eles se desmancham
e não tem jeito de reconstruirmos
Antonia Diniz

1 compartilhamento
Inserida por AntoniaDiniz