Ana Paula Silva - Moc: O limite da sinceridade Para tudo...

O limite da sinceridade

Para tudo precisamos estabelecer um limite, por mais fortes que as pessoas se apresentem, todas elas tem o que chamamos de “sentimentos” e esses não devem ser feridos. Temos que ser cuidadosos com os sentimentos dos outros. Muitas vezes nós acreditamos que sinceridade é tudo, que devemos ser sinceros o tempo todo, mas, qual o limite, em que essa sinceridade vai ajudar o outro? É muito difícil estabelecermos limites. Tudo faz bem até determinado limite, a água sacia a sede, mas se bebemos muita água, morremos afogados, o fogo aquece, mas se intensificado, queima a pele, assim também vejo a sinceridade. É muito louvável uma pessoa sincera, mas devemos nos ocupar dos sentimentos (dos nossos e das outras pessoas) para nos orientar no momento de nossas falas, de nossos desabafos. Na intensão de sermos verdadeiros, muitas vezes magoamos alguém, sem em nada ajudar aquela pessoa.
Cada pessoa é um ser único, devemos respeitar esse fato. Todos nós somos diferentes, pensamos diferentes e temos limites diferentes para cada situação. Devemos procurar usar da sensibilidade para perceber o outro, sentir suas possibilidades, seu momento de vida, suas dores, seus desejos. Só porque uma pessoa é boa, forte e inteligente, não significa que essa pessoa esteja pronta para suportar nossos ataques de sinceridade. Devemos ter muito cuidado, mesmo que estejamos diante de “defeitos corrigíveis”, cada um tem seu momento, e há momentos em que não se tem forças para corrigir nada e aquelas palavras (na tentativa de sermos sinceros e ajudar) só irão trazer dor, só irão ferir aquela pessoa.

Não é fácil calar, muitas vezes ouvimos colocações de nossos amigos, de nossa família, de nossos amores, que temos vontade de responder, de fazer colocações em relação àquela pessoa, às vezes, elas estão nos falando de defeitos que elas mesmas têm e não são capazes de identificar, e fica muito difícil de calar diante disso. Mas é preciso nos esforçar, pensarmos em que nossas palavras poderão ajudar, em que nossa sinceridade vai acalentar a alma daquele ser. Se verificarmos que nada mudará a partir disso o mais certo é calar. É mais importante cuidarmos dos sentimentos dos outros, e, controlarmos os nossos próprios, para que com melhores sentimentos em nossa volta, possamos nos tornar pessoas melhores e ter a cada dia mais perto de nós aquelas pessoas queridas. Estabelecer um limite entre a sinceridade e o silêncio é uma arte.
Ana Paula Silva
Autora do Livro: Me Apaixonei Por Um Poeta
https://www.clubedeautores.com.br/book/187032--Me_apaixonei_por_um_poeta#.VafGivlViko

1 compartilhamento
Inserida por AnaPaulaSilvaMoc