Kevin Martins: Ainda somos desajeitados para pegar essa...

Ainda somos desajeitados para pegar essa criança - que se chama amor - no colo.
Pegamos algumas bonecas, talvez fosse o treinamento para esse dia.
Nunca senti tanta vida em minhas mãos. Acho que é minha vida, a sua, talvez a nossa... Sei que sinto o coração bater na palma da minha mão... Tum tum... Tum tum...
Meu amor não necessita que seu amor se mostre, nem que ele exista. Meu amor necessita que você exista, somente. Não te peço reciprocidade.
Ela consegue dizer que ama, mas não todas as horas do dia. Ela comenta os filmes, os livros, os episódios...
Essa mulher é a mulher que eu vou levar de companheira para o sítio. Vamos criar nossos filhos num lugar de verdade. Cercados de vida e amor.
A verdade é que a gente ta cheio de gente que tem aquele velho discurso e a opinião formada sobre tudo. Sempre fomos os estranhos. Sempre nos orgulhamos. Somos bregas.
Eu quero mais é ser brega, estranho, triste, alegre, pai, com ela.
Vou deitar ao lado dela, podendo dizer as palavras que tanto doeram durante minha vida: te amo.
Também podia aproveitar mais essas linhas, ou a falta de linhas desse papel. Mas acontece que estou com vontade de dormir, deitar minha cabeça no travesseiro e aproximar meu pensamento do dela.
Com licença...

1 compartilhamento
Inserida por kevinmartins6