David Franca Martins Pereira: Vivemos a era do amor virtual. Sim, um...

Vivemos a era do amor virtual. Sim, um amor que possui mais downloads que uploads. Um amor Hipócrita, falso, frágil e prepotente. Um amor que substitui cartas carregadas de sentimento, por "emotions". Relacionamentos que se iniciam com alguns dígitos e terminam com um clique. Um amor sem pernas e sem braços, apenas visual. Aparência vale mais que caráter. O que você possui vale muito mais do que você é por dentro. Um amor que considera respeito, não respeitar. Quem ama é considerado fraco, pois os fortes não amam, afinal "coração blindado não pega feitiço"....na verdade, não pega NADA. Se torna oco, vazio. Nossa Geração adotou o "amor desapegado", que desapegou até do próprio amor.Um amor que não aceita o defeito alheio, não respeita opiniões, que não suporta dificuldades. Patético, sem paladar, egocêntrico, pobre, egoísta, preconceituoso... mais ta ai pra qualquer um acessar. Um amor que é Rei Virtual, sim....seu reinado é no deserto, seus súditos se tornaram cactos, a espreita de quem possa ferir. Porém ainda acredito no Amor REAL, ainda vejo nas ruas, nos barzinhos, nos almoços de domingo em família, pessoas que se amam, Pais que beijam seus filhos, amigos que se perdoam, casais que ousam se conhecer de verdade...Um amor com paladar, incondicional, um amor que valoriza o interior e não a carteira...Um amor maduro que ao menos tenta suportar os defeitos de quem é amado.Que prefere as vezes não ter razão, mais ser feliz com quem ficou com ela. Um amor não limitado a dígitos, mais infinito em abraços e beijos. Um amor carregado de esperança de dias melhores. Sem filtro pra verdade, sem espaço pra mentira. Não ouso explicar ou entender o amor, mas digo com segurança que ele não se resume a frases do Facebook retiradas do Google ou corações enviados no whatsapp. Dizem que a internet aproximou as pessoas...só se for do fim. Relacionamentos, amizades terminam em áudios, acabou o "o olho no olho"...pra que né? É mais fácil...Em um mundo virtual, com sentimentos virtuais, quem ousa amar de verdade, é taxado como louco. Sim, sou adepto dessa loucura. Ainda quero acordar com a luz do sol no meu rosto, gargalhadas infantis ao fundo, o cheiro de café fresco no ar, um beijo no rosto e uma voz suave ao pé do ouvido: "amor, o café esta na mesa".

1 compartilhamento
Inserida por pyve2v