Marcinha Babinsk: A vez que foi a primeira vez Crônica da...

A vez que foi a primeira vez

Crônica da Babinsk - Marcinha Babinsk

O filme era de terror...mas a gente ria...ríamos das vitrines e roupas engraçadas e da moda do shopping, ríamos das pessoas que nos sorriam...ríamos dos planos da próxima viagem...do trânsito, da fila do banco, da hora de sair, dos shows, do restaurante...o amor fazia de nós pessoas que navegavam em sentimentos únicos, era uma paixão que causava dor...tão forte que nos unia, tão forte que nos fazia uma só pessoa...esse amor invadiu nossa mente, nosso corpo, nossa alma...invadiu nossos planos, invadiu nossa vida...caminhamos por uma estrada escolhida por nós e há tanto tempo desejada e querida...chegou sem avisar e esse presente chamado amor foi contemplado e compartilhado por nós...não havia espaço para mais ninguém e nos sentíamos realizadas!
De portas fechadas nos trancamos em nós...pra quê mundo, se meu mundo era você, se para você seu mundo era eu, juntas descobríamos o corpo uma da outra, exploração ao limite do prazer e uma, duas...inúmeras vezes preferimos não ver ninguém, apenas nos bastar em nossa companhia. Escolhas nossas, meu primeiro grande amor, meu verdadeiro amor...medo de ser tão grande esse amor, vontade de te devorar nesse amor, vontade de comer você e ter você em mim, dentro de mim e assim viver, olhando-te de dentro para fora...você ao meu lado dormindo, imaginei seus sonhos e se neles eu estarei...uma mistura de ciúmes com raiva percorreu minha mente...o amor tomou outro rumo...me perdi na incontrolável versão da traição...e o filme de amor passou a ser de terror...e chorávamos, chorávamos por tudo e de todos...nem em pensamento conseguímos pensar uma sem a outra!
E o medo corria os trilhos da nossa relação, trocamos mel e agora sentíamos o gosto do fel...nesse momento delicado escolhi deixar você...vendo você dormindo imaginei toda a cena do término numa única noite, chorei amargamente e senti a mesma dor do amor, agora a dor da solidão, da paixão abandonada e adornada por lágrimas de desespero...era madrugada...você parecia um anjo sonhando...e eu divagando nos maus pensamentos, culpa sua que não sonhava comigo, que não em tinha em seus pensamentos enquanto dormia...te via como culpada e traidora, mentirosa que me enganava...e nas minhas lágrimas adormeci...
Logo cedo você me acordou cheia de mimos, beijos e afagos...bom dia, beijos...quer café...beijos, eu te amo...beijos, dormir com você é uma delícia...beijos...sonhei com você...beijos...
Respirei fundo...ALIVIADA, em sonhos tinhas a mim, levantei fui trabalhar e nosso dia foi coberto por bons pensamentos...é difícil ser uma mulher transparente em seus sentimentos, tanta dor por nada...quem entende o ciúmes? INCOMPREENSÍVEL!!!

1 compartilhamento
Inserida por marcinhababinsk