Roberto Eduardo da Costa Macedo: ESCRAVIDÃO Eu que a Liberdade tanto...

ESCRAVIDÃO Eu que a Liberdade tanto adoro, Vivo por Ela e sempre Dela; Que, só de imaginar venha a perde-la, Derramo na minha alma intimo choro; Eu que escutei,... Frase de Roberto Eduardo da Costa Macedo.

ESCRAVIDÃO

Eu que a Liberdade tanto adoro,
Vivo por Ela e sempre Dela;
Que, só de imaginar venha a perde-la,
Derramo na minha alma intimo choro;

Eu que escutei, como celeste coro,
A voz, dos Ramas e dos Cristos, bela,
Eu cuja crença, cuja mente, vela
O seu altar onde, prostrando-me, oro;

Eu que lamento a mão fraca e indefesa
Contra qualquer humano despotismo,
Contra o poder até da Natureza;

Nasci para viver nesta ansiedade.
E, porque Nela, e sempre Nela, cismo
Sou escravo da mesma Liberdade.

1 compartilhamento
Inserida por COSTAMACEDO