PASCOAL, Marcelly: Admirável displicência Eu tinha algo a...

Admirável displicência
Eu tinha algo a te confessar, mas você sumiu sem se dar ao luxo de justificar a ausência.
Ignorância, descaso, demência.
Nem sei se quero mais me doar, as migalhas que você tem a me oferecer não tem sido suficientes.
Desmazelo marcado por prepotência, e excesso de autoconfiança.
Envolta em um emaranhado de fios claros dos cabelos da minha própria cabeça que lateja em agonia por não esperar mais nada de ti.
Misturada aos lençóis da cama que ainda guarda teu cheiro, vejo um vazio do lado esquerdo, o oco silencioso e sombrio que você deixou.
Sua autoestima subestima minha essência agridoce, minha acidez inerente.
Mas acredite, sou mais rude do que você possa presumir.
Quando resolver voltar não precisa alardear, você tem as chaves.
Tudo que é seu estará no mesmo lugar, em todo lugar.
Em cada brecha, imagem, oração, palavra, poema, canção.
A única coisa que não vai ficar é o troféu que penaste pra ganhar, mas que o tempo estragou, e passado a euforia da conquista você negligenciou.

1 compartilhamento
Inserida por Cellycris