Michel Lara Resende: Descobri Observando o calendário da...

Descobri
Observando o calendário da vida
Como morre um amor

Ele não sucumbe por bactérias ou vírus,
Não morre num instante
Nem termina acabado por acidente

Ele morre aos poucos lentamente...
Sem querer,
Porque o amor
Sempre QUER sobreviver...

Mesmo metralhado por dúvidas
Açoitado por desconfianças,
Agredido por ciúmes
Ele se inclina pra um lado
Se joga para o outro
E levanta novamente,
mesmo que ressurgido de uma traiçao
Ele sofre um ataque
Cai
Titubeia
Levanta
tenta ficar forte
É esfaqueado
E ressurge de novo
É açoitado, maltratado,
E mesmo assim se arrasta
É pisado, Espezinhado
Mas segue tentando tocar o coração
Pois o AMOR quase nunca desiste...

Aos poucos aprendemos a seguir
E deixar viver o afloramento do amor zumbi
sempre tetando achar um motivo se quer para sobreviver

Mas tem uma hora, tem um dia
Não sabemos exatamente quando
Sem nem saber como
Ele some de vista como
o Inverno entra na primavera,

As vezes pode levar da adolescencia até o início da terceira idade,
mas um dia está fadado ao calabouço do esquecimento,

E quando surge novamente na memória
Já está seco
Duro
Sem emoção

Só daí saberemos
Esse amor faleceu...

1 compartilhamento
Inserida por Michellararesende