Rosa: Por onde olho vejo muitas pessoas,...

Por onde olho vejo muitas pessoas, tantas lindas, criativas, amadas. Olho e penso que queria um pouco de cada uma em mim.
De uma podia pegar a beleza, da outra a felicidade, de mais uma o bem estar e de mais outra a riqueza.
Juntaria tudo em mim e quem sabe assim, pudesse atingir a perfeição.
Impossível, já que hoje o ser que eu me tornei é indestrutivel. Só mudo se eu quiser e dentro das possibilidades do meu universo. Está aí a chave para o meu desgosto. Queria ser tanto e tanto não sou, minha moral pouco vale e eu nao mereço o que tenho, o que faço ainda virá em dobro como retorno, os meus passos são tao errados que nem mesmo eu consigo ter controle. Em meio a tanta gente que ainda consegue me amar apesar de todos os meus pesares, me sinto só. Tenho amor mas ao mesmo tempo nada tenho, tudo que transborda na realidade em mim falta . E eu sinto falta. Ja tentei por muito viver do pouco, já tentei o amor e dele pouca fidelidade tive. É certo que em cada passo, meu compasso perde a harmonia e me abandona lentamente, como numa dança longa. Eu amo sozinha cada dia mais . Deito-me agora e vejo que a minha tese defendendo o "tanto faz" nada faz ao meu favor. É certo sim que eu preciso me encontrar em amor, recusar a dor e recuar meus instintos sobreviventes. Eu não preciso viver como digo, preciso mesmo é ter sabedoria para tal.

1 compartilhamento
Inserida por RosadeOLiveira