Erasmo de Roterdã: Quanto a mim, deixo que os outros...

Quanto a mim, deixo que os outros julguem esta minha tagarelice; mas, se o meu amor-próprio não deixar que eu o perceba, contentar-me-ei de ter elogiado a Loucura sem estar inteiramente louco.

Erasmo de Roterdã ERASMUS, D. Elogio da Loucura. eBooksBrasil.com, 2002.
1 compartilhamento
Inserida por pandavonteesedois