Guria da Poesia Gaúcha: ILUSÃO Ilusão eu achar que família é...

ILUSÃO

Ilusão eu achar que família é assim,
Um por todos, todos por um, sempre,
Sempre que preciso for, independente
Se o objetivo que une é de amor ou dor.

Afinal, foi pura ilusão eu achar que ao
Valorizar lar, que ao honrar a raça teria
A graça de igual ser tratada pelo homem
Que tem meu sangue e igual sobrenome.

Ah como eu quisera orgulhar-me agora de
Não ser anônima, de ser mais uma em uma
Família, dos tantos loucos uns pelos outros,
Do que menos uma numa família de poucos.

Ah! Que triste ilusão eu achar que por teres a
Mesma origem pudesses um dia evitar que eu
Tivesse vertigem e achar que porque viemos do
Mesmo ventre fôssemos mesmo gente da gente.

Mas, não, não foi ilusão quando usei a palavra
Mano e não vi a tua mão estendida, quando eu
Gritei a palavra irmão e não fui ouvida, quando
Toquei o teu coração e vi o teu trocado em vida.

Ah! Que desilusão senti quando não pude contar
Contigo como amigo, afinal vi o ledo engano até
Do cartório que registrou o igual sobrenome num
Homem desumano neste plano como meu mano!
Pedaços de Mim, página 46, 1999

2 compartilhamentos
Inserida por PoesiaGuria