Rafael Rodrigues: "Mães e filhos." Estranha...

"Mães e filhos."

Estranha relação, bela relação!
As vezes penso que o choro ao nascer
Não é de "milagre da vida!"
Mas sim de dor ao vir ao mundo...
A vida é tão intensa que dói...
E dói...
Mas existe remédio para essa dor;
Se chama mãe.
As vezes queremos seguir só, mas quando nos vemos sem a guia constante de seus pés na areia ficamos perdidos.
Mas seguimos, sempre mesmo sem querer o alcançar divino de seus passos onde nossos pés seguem...
Um dia dizemos: CHEGA DE CAMINHAR EU QUERO VOOAR!
Vooar tem seus preços de inevitáveis quedas,
As vezes muito dolorosas.
Mas quando achamos que estamos perdidos lá esta ela!
Com suas belas asas de anjo ao nos salvar e reencorajar
Para nosso intento de tentar sonhar e vooar sem elas...
Sendo assim, essa relação de dependência da salvadora e salvado, tornam elas seres perfeitos?
Não! definitivamente...
Nossos pés ao caminhar são seu motivo de seguir
E nossas asas seu motivo de sonhar...
Vivemos com a ilusão de que nossos caminhos jamais irão se separar
E que nosso céu juntos sera infinito!
És quando, em um dia cinzento surge o anjo!
O anjo que beija a face de quem outrora era uma doce reticência nos seus dias...
É quando a relação se separa!
Aindo olho nos olhos dela com as dores do adeus...
Adeus que sega e me mutila!
Que fere e amordaça a vontade de gritar e profanar o santo!
Em seu olhar eu vi tudo que eu fui, e aquilo que sou.
Relação quebrada, e ela acalenta-se em relva de descanço.
Chegou sua vez de descansar
E eu seguir...
Afinal é o que me resta abruptamente...
Eu chorei de dor ao nascer;
E agora choro de dor ao ver a dádiva de minha dor seguir com suas asas onde jamais poderei ir!
Com amor: De um filho que caminha só para uma mãe que aprendeu a vooar de verdade.

1 compartilhamento
Inserida por rafaelaquiles