Dayanne Cassimiro: Às vezes da vontade de te ligar e dizer...

Às vezes da vontade de te ligar e dizer o quanto dói te ver partir, te ver levar minhas alegrias, meus sorrisos... quer injustiça maior que essa? E o que me resta agora? Além do meu coração partido e esfarelado? O que resta além de lágrimas na madrugada? O que me resta além de pensamentos sobre você, textos , tudo sobre você...?! Eu ainda consigo imaginar você, de um jeito diferente... um jeito incrível que você nunca vai ser. Mas eu sei, que é só eu tentando enfeitar o mundo mais uma vez com minhas palavras. É só eu me iludindo mais uma vez com uma parte do seu eu que não existe. É só eu mais uma vez tentando convencer a todos que já não penso mais em você. E todos acreditam. Mesmo com meu olhar gritando, meu coração disparado, quase quebrando o silêncio, todos acreditam. E a cada dia você se vai, mais que depressa. Porque como eles, você também acredita. Acredita que não penso em você, e se convence que também não pensa em mim. Acredita que o destino é tentador por ter separado nós desse jeito. Por ter colocado na minha vida outra pessoa pela qual eu amasse, que por sinal não é você. Era pra ser você? Acredito que às vezes você pensa nisso também... assim como eu penso. Assim como meu rosto queima por estar pensando nisso tudo. Assim como a culpa lateja, quando olho para outros lugares e vejo você, porque não é assim que é a saudade? Num é ela que vem e nos desarma perante o mundo? Acho que estou vivendo assim ultimamente.

Mas tudo bem, pode ir... eu nem ligo mais, sério, não mesmo! Não ligo por querer fazer parte daquela rodinha de amigos que você acabou de contar uma piada, e que á metros todos ouviam os risos. Não ligo por eu querer a qualquer custo te mostrar o quanto me tornei mulher depois daquelas inúteis palavas que você me disse. Eu não ligo em carregar essa dor em minhas costas, disfarçando para que ninguém a perceba, eu não ligo, sério mesmo, pode ir... pode levar uma parte de mim com você. Pode me descompletar assim aos poucos, pode me ignorar assim todos dias. Mas saiba, que assim como você, eu também estou indo. Ainda deixo esses rastros de lembranças pelo caminho. Quem sabe você um dia vê, se arrepende, e volta? Quem sabe um dia depois de ter passado bastante tempo, você ainda se lembre do meu sorriso, e queira matar a saudade? E também queira sentir o calor do meu abraço novamente? E quem sabe esse dia poderá ser tarde demais? Tarde para me querer como eu te quero hoje. Tarde para perceber que talvez amanhã, eu já não te queira mais.

1 compartilhamento
Inserida por Dayannecassimiro