Nilton Mendonça: Coitado Tenho visto, ouvido e...

Coitado

Tenho visto, ouvido e acompanhado inúmeros relatos de pessoas que adoram fazer-se de coitadinho. Percebo que ao precisar de um afeto ou carinho muitos caem no velho e único meio que é o de chamar atenção simulando seus estados imitando crianças que requerem usado até mesmo o choro. Devemos criar outro meio porque a fase de criança passou e já vai longe este tempo, é hora de cresce sem ficar inventado modos. Todos os afetos são pra ser espontâneo e sempre na gratuidade sem requerer esforços ou estigmas. Existem pessoas que acham que fingindo ou ficando auto compadecidas arrancarão carinhos, mas só conseguirão arrancar pena e nada mais. Fazer-se de coitado e tentar arrancar olhares ou atitudes desdenhosas que breve se perderá no tempo pois quando percebido cairá por terra o afeto requerido. 0 bom da vida mesmo em situações de desconforto é doar-se, sem cobrar nada até por que toda cobrança será logo denotada como interesse e sendo assim se instalará o feito que eu chamo de obsessão e confirmado isso não se pode chamar de amor. 0 bom de viver é se surpreender a cada minuto, sem estar querendo forçar nada nem ninguém. Ficar exigindo algo pro outro no inicio pode até dar certo mas com o tempo logo ficaremos chatos pela cobrança. Por isso devemos fugir do fingimento ser espontâneo, usar a gratuidade, doar, ser você agindo de forma calma e sempre passiva deixando se perceber pois você disfrutará da presença um do outro sem querer obrigar mesmo que indiretamente o outro a ficar te pajeado só pra te agradar, tirando do outro o prazer de estar com sua presença.

2 compartilhamentos
Inserida por dalainilton