Sinto saudade Sinto saudades... Saudades... Linda Lacerda

Sinto saudade

Sinto saudades... Saudades do que fui e do que poderia ter sido, de quem tive e de quem poderia ter tido...Saudades de quem eu quis e eu deixei passar, de quem me quis e eu sequer olhei...Sinto falta dos abraços que não dei, dos beijos que deixei no ar...Da inocência que perdi e da juventude que me roubaram... Dos amores que o tempo não me deixou viver,das alegrias que a vida não me deu... Sinto saudades de tempos idos, de amigos sinceros...de pular poças d’água depois da chuva e saudades de olhar um céu que era só meu refletido no espelho azul...Das espirais que as pedras formavam na água e dos meus olhos inocentes perdidos nelas.Sinto falta de desenhar monstros e anjos nas nuvens, enquanto elas e a vida passavam sem me mostrar para onde estavam me levando.Saudades de construir castelos na beira do mar e chorar quando a onda os levava junto com meus sonhos...Sinto saudades até de chorar por nada (hoje choro por tudo). Saudades de manhãs de sol, de dias nublados, de tardes de outono com seus horizontes dourados . Sinto saudades de pingos de chuva como canção de ninar, de cheiro de vó, de colo de mãe...Sinto falta de alguém que foi embora de mim... Sinto falta de farrapos de alegria que senti, de nuances de felicidade que passaram no meu caminho. Saudades de lua cheia, lua nova e pôr do sol... Sinto falta de idílios, fantasias,e de olhos secos de dor, sinto saudades até das lágrimas que chorei! de lábios esquecidos, sinto falta dos sorrisos que não dei, das minhas gargalhadas roubadas pela tristeza... Sinto saudades da menina que ficou por tão pouco tempo,de boa noite no portão, de bilhetinhos escondidos, de olhares furtivos...De cartas amarelecidas pelo tempo, que se fizeram poemas de amor...Sinto saudades de alegrias, de casas e lares de livros e histórias... Saudades de irmãos, de camas unidas, de olhar chuva na vidraça, do arco-íris que vinha depois...De varais ao vento, de moça triste na janela...Saudades de ouvir a banda passar, de coretos e cantores, de trovas e canções... De cantarolar baixinho sem motivo, sem por quê... De rir sozinha de coisas que ouvi da vida... Saudade de lenços brancos de partida, de aconchego da volta... De andar à esmo sem motivos pra voltar... De dias que não vieram,de momentos que nem existiram...Sinto saudades de outra vida, outra estrada, outro começo, outro fim... Saudade de outra saudade de um tempo que não viví , e vazia de tudo, sinto saudades de mim.

1 compartilhamento
Inserida por MelindaLacerda