Alene Chagas: Nós Esse ano o inverno chegou mais...

Nós

Esse ano o inverno chegou mais cedo, junto com minha crise que também resolveu dar as caras antes do combinado. Ainda não era hora de sentir saudades, nem falta, nem carência, nem nada! Tava tudo bem... até eu me sentir sozinha. Resolvi me trancar e me guardar daquele mundo agitado que estava a mil ao meu redor. Enquanto todos se preparavam para uma noite que precedia o feriado, eu, meus travesseiros e a crise íamos ficar a sós. Quarteto fantástico, nós três mais o edredom que tentava aquecer meu coração empedrado. Conversando silenciosamente com eles, discutíamos o porquê das coisas. Por quê logo eu? Por quê você? Nós? Será que existiu ou vai existir esse tal "nós"? Não sei... É, não sei mesmo. Você inteiro é um enorme ponto de interrogação escondido atrás de um quase homem que mal sabe do seu futuro. Futuro... essa palavra me faz sentir saudades do que nunca vivi. Em um momento descontrolado do meu jeito "tanto faz, tanto fez" acabei te enviando uma mensagem de texto. Pra não sair do contexto, você não respondeu. Naqueles segundos em que digitava teu nome, inúmeros pensamentos se formavam por aqui. Ah... eu sonhei!! Foi tão lindo... E por um milésimo de segundo achei que pudesse se realizar. Imaginei eu levantando daquela cama, com aquele cabelo maluco e eu mais maluca ainda gritando pela casa dizendo assim: "Nem sabe com quem eu vou sair...É ele me chamou pra gente dar uma volta" Foi o sonho de olho aberto mais incrível da minha vida até agora. Sim, eu tava realizando tudo ali, na cama com meu pijaminha rosa, mas pra mim, você estava chegando todo lisinho, com aquela cara de limpinho e o teu jeito meio envergonhado sempre quando bate na porta. E eu ia te encontrar, a gente ia sair... Conversar, rir, então você ia estacionar em um lugar qualquer e falar pra mim que estava feliz por isso. Puff!!! Foi aí que eu me dei conta que era mais difícil do que parecia. Pra início de tudo, você nem tinha respondido aquele sms e quanto mais me convidado pra sair. Não pude conter, a crise tava ali grudada em mim, então me abracei nela e chorei. Quanto mais o tempo passa, as pessoas passam, você passa... e eu ainda continuo insistindo na ideia de que um dia nós iremos ser "nós".

1 compartilhamento
Inserida por AleneChagas