Priscila A. Oliveira: Quando eu me for, Farei uso da...

Quando eu me for,
Farei uso da delicadeza.
Vai ser bem devagarinho,
Silenciosamente,
Sem avisos, sem alardes.
Talvez na madrugada,
Eu calce meias para não fazer ranger o chão,
Separe a chave do carro das demais
para não fazer tilintar minha pretensão,
E assim,
Atravessando portas e corredores,
Ganhando ruas desconhecidas,
Eu me vá para não mais voltar.
Sem bilhetes ou despedidas,
No momento menos esperado
Em que não mais suportar viver
Tantas vidas que não são minhas...

1 compartilhamento
Inserida por priscilaaoliveira