Janna Teixeira: Arquiteto da poesia Eu faço versos para...

Arquiteto da poesia

Eu faço versos para não sofrer
choro com as palavras
transbordo em sentimentos
roubo pensamentos
transformo emoções

Eu me transporto para o papel
escrevo sobre amor e dor
uso lágrimas como tinta
monto quebra-cabeças com as letras
crio ilusões com a vida

Eu retiro farpas de meu coração
converto-as em adjetivos e predicados
exploro os espaços vazios,
entorno o sangue contaminado,
e filtro a maldade que guardo em mim
afinal, 'o ódio é o verbo de quem se acovarda'

Sou homem, sou mulher, sou palavras
sou produto de uma ilusão
na arte não tenho um gênero
minha alma não tem identidade
a imagem que ostento é a poesia
esse é o meu choque contra a realidade

Eu arquiteto da poesia, sigo a conceber
em forma de envolventes versos
pequenos fragmentos de meu próprio ser
palavras que expõem meu ego,
minhas incertezas e o meu sofrer.

1 compartilhamento
Inserida por janna73