Eu Passarinho

Cerca de 8 frases e pensamentos: Eu Passarinho

Eles passarão, eu passarinho.

Mario Quintana
136 compartilhamentos

Para aqueles que atrapalham meu caminho: eu passarinho, eles passarão.

Mario Quintana
108 compartilhamentos

EU... PASSARINHO... PASSARAS
... e eu estava agora no PC (sala) , compenetrada nuns papos com amigos inbox, ouvindo programação de TV no quarto - a distancia -, ouvindo radio on line, ligada na rua ... (junto e misturado) qdo percebi ao meu lado um passarinho ...
... ele estava caprichosamente andando pela minha sala, tentando ciscar sei la o que ... não me via ou notava ... apenas pulava nas duas patinhas (perninhas ?!?!) ... ciscando (o que , meu Deus?!?!?)
... fiquei viajando nos significados alem do etéreo que pudesse conter.. das magias sendo emanadas daquela pequena força da natureza em meio a armações de concreto e perto de um ser humano tao complexo qto eu... quão grande o passarinho e quão pequena eu ?!?!?!

... foi quando eu me dei conta ... foi apenas um passarinho que entrou na minha casa, em busca de algum cisco... nada metafórico ou sobrenatural ... nenhuma mensagem alem da que aqui dentro ele achou que encontraria alguma coisa que solucionasse seus problemas e eu, pelo me lado, acharia que ele traria as respostas ocultas a sua presença .....

FICA A DICA : ENTRELINHAS, ou não...

Drica Bizzo
Inserida por DricaBizzo
1 compartilhamento

Porta Aberta?

Tudo passará.
Eu, passarinho?
Passa! Passa!

Francismar Prestes Leal
Inserida por FrancismarPLeal

Eu passarinho
Quando me mataram,
Pela décima vez,
Eu ainda era um jovem talento,
Ainda desconhecido.

Hoje estou velho,
Com o rosto esmaecido,
Agora, já me conhecem um pouquinho,
Só que me matam devagarzinho...

J B Ziegler
Inserida por ninaflorcore

EU PASSARINHO
Desolada, sofre o pobre ser.
A dor teima e queima devagar aquela alma.
O sofrimento adentra os sonhos e os desarruma,
De novo, impregna-lhe as narinas, quando já é dia.
E assim, como num vício, a tristeza a acompanha pela repetição enfadonha das horas.
De longe, assiste tudo o amor amigo.
Pensa: é dor de amor apaixonado, é dor de perda, é dor de luto, é dor...seja que dor for, ele conclui, é grande a dor.
Não há o que fazer, reflete consigo consternado.
Já se ía dando as costas, quando resolveu voltar.
Nada tendo o que dizer, sorriu encabulado.
Estendeu os braços e a abraçou bem apertado.
O ser sofrido chorou...chorou...chorou.
Enquanto isso, o abraço amigo a envolvia mais e mais e mais.
Na esperança que não lhe esvaísse a vida, permaneceu o amigo ali parado.
Sem dar conta das horas, pode perceber qdo ela aprumou a fronte.
O que viu foi um rostinho amassado, olhos vermelhos em semblante pálido.
Porém, tudo parecia mais leve agora.
Na boca trêmula do serzinho envergonhado, um ensaio de sorriso. A voz dócil, quase inaudível, deixa escapar, com dificuldade, um muito obrigada bastante atrapalhado.
Despediu-se o amor amigo e se foi.
Naquela noite, ela adormece tranquila.
Sonha com braços lhe envolvendo os ombros.
Protegida naquele abraço, vê um casulo que se rompe numa linda borboleta multicolorida.
A borboleta ganha o céu.
Seus olhos... distraídos... acompanham o vôo do bichinho, enquanto seu corpo se aninha naquele abraço afetuoso.
De repente, a voz a chama pelo nome e diz: --Aquela borboleta é vc.
Ela sequer estranha a afirmativa. De fato, aquele abraço lhe fez voar.
-E vc, quem é? - Ela pergunta.
A voz responde:
-Sou quem te quer bem.
Então, a moça desmonta em desabafo:
- Estou tão decepcionada e com a alma aflita...Foi-se embora o meu amor.
-Quem ama, não abandona. Nunca foste por ele amada - argumenta a voz com convicção.
Percebendo que os braços se distanciam, a menina se desespera.
-Não me deixe vc tbm. Como poderei ter de novo esta sensação tão boa do seu calor? Onde poderei sentir novamente esse seu amor? - Ela pergunta ansiosa.
Já longe, mas tão nítida, a voz revela:
_O meu amor nunca encontrarás em mil beijos apaixonados, mas sempre o terás em um abraço amigo.
O serzinho acordou radiante, sonhou algo, mas não lembrava o quê. Apenas sentia-se amada naquela manhã.
O coração estava aquecido por um calor diferente, não lhe parecia passageiro, como das outras vezes.
De repente, se viu cantarolando uma música que nem é do seu tempo:.. são as águas de março, fechando o verão, é promessa de vida no seu coração…
Ao longo da manhã, vieram à lembrança flashes do sonho que teve. Eram partes desconexas de um todo que não conseguia juntar. Acha que sonhou com uma borboleta colorida. E sonhou com a voz firme, disso tinha certeza. Dizia algo belo e importante. Mas o quê? O quê???
Como se busca uma fresta de luz em túnel escuro, ela franzia a testa e forçava a memória. Percorria alucinada o tempo num giro anti horário, para reviver a sensação do melhor sonho de sua vida. Até que…pufttt...um clarão eclodiu na desejada anamnese. Lembrou, enfim. A voz era um amor amigo!
Naquela manhã, descobriu quanto tempo perdemos, insistindo em pessoas, situações ou coisas que só nos abrem feridas. Quantos braços e abraços são cárceres...Contudo, o mais interessante foi descobrir que somos nós quem nos aprisionamos ali e, não, o outro, porque é nossa a escolha de permanecer.
Já o calor de quem ama de verdade é diferente, não queima, não arde. É um bem-querer comprometido, em cujos braços vc se sente protegido, no aconchego de um abraço que só lhe traz a paz. Um abraço tão apertado e ao mesmo tempo tão libertador, do tipo que te permite voar, ir e voltar, para sentir de novo, e mais uma vez, e novamente, e sempre, o mesmo amor. É um abraço de um amor respeitoso, que considera o que você quer e quem você é, considera a sua forma e admira o colorido das suas asas.
Já o amor apaixonado é criatura efêmera, é intenso e louco, porém tão raso. Por ser quente e voraz, está sempre sedento de mais e mais calor. Nada nunca o satisfaz. E no êxtase dessa busca, ele se auto consome, se dissipa e morre, deixando um rastro de decepção por onde passa.
Então a menina, enriquecida em suas reflexões, antes mesmo de tomar o café da manhã, passou a mão no celular e ligou para o amor amigo:
-Quer almoçar comigo hj?
O rapaz aceita prontamente, mas percebe q a moça está diferente, tem vida na sua voz. Por curiosidade pergunta:
-O que deu em vc para se lembrar de mim?
Ela riu:
-É que, acredite vc ou não, dormindo, eu acordei!
Enfim, a vida é mesmo assim, nem tudo que reluz é ouro, já diziam nossos avós. Uma hora a gente acorda e reconhece o a(braço) certo.
Num diálogo à moda Mario Quintana, diria o amor amigo ao rival apaixonado (numa gargalhada que beira a vingança):
Vc passará e EU PASSARINHO!!!

Mônica Arêas

Mônica Árêas
Inserida por monicaareas
1 compartilhamento

A brisa, ao bater das minhas asas,
Esvoaçou a sua saia,
Eu, “passarinho”,
Beijei suas sardas
Polinizadas com gosto de jardim.

Sadraque Mesdras
Inserida por SadraqueMesdras

Seu peito , um ninho
Enquanto eu , passarinho .
De súbito ouso ,
Em ti , fazer repouso .

Michele Miranda
Inserida por michele_miranda