Coleção pessoal de ProvenceMaison

Encontrados 5 pensamentos na coleção de ProvenceMaison

Independentemente da sua religião, pensemos em etiqueta social e sanidade mental.

Imagine se no seu aniversário, invés de lhe prestarem as formalidades, todos passassem a adorar freneticamente um gordinho vestido com gorro de pompom e pesadas roupas vermelhas justo nas férias de verão? De riso estranho (tal como Roberto Carlos) e com o hábito de estar sempre a invadir à surdina casas burguesas (só elas tem chaminé e árvores cortadas agonizantes) e a lidar noturnamente com meias sem par?
Isto pra não falar do sino badalando como o caminhão dos recicláveis.

Não bastasse, para lhe comemorar, sentariam às fartas mesas dos que têm, repletos de um inexplicável sentimento dito natalino e comeriam complusivamente pratos igualmente alheios ao clima e horário, sentindo vibrar no ar a ansiedade infantil dos pézinhos agitados sob as toalhas aguardando pular no meio dos embrulhos caprichosos.

Pensemos que o homenageado nasceu miserável, prensado entre pomposos fariseus e escalafobéticos romanos que marchavam de sandálias com estranhos chapéus metálicos.
E havia de escapar ainda de um rei das solteironas a decapitar sem dó os bebezinhos, só por precaução.

Não sei bem onde queria chegar com isto, mas vale o esquisito gosto que tenho de fazer parte da coisa toda. Até a ressaca do champagne sem culpa e a boca seca pela manhã fazem parte do ritual.

Paulo Lebiedziejewski
1 compartilhamento
Tags: feliz natal

Desde antes da primeira aula de catecismo,
Detrás daquela janela uma voz já lhe dizia:
- Deus não sabe de latim.

Que se quisesse Lhe falar, dispensasse os tradutores.
Amasse e pronto!
(Receita incompleta).

De pronto, já na segunda aula,
Pôs-se disposto a praticar e de tanto
Olhar o enrolado cabelo de Mariazinha,
Que dourado refletia a luz do vitral da torre,
Viu sua orelha de repente na mão da professora.
- Beijo tem idade menino!

Levou toda a vida para aprender que
Todo mundo tem um medo,
Que amor não é desejo,
Que a língua de Deus muito mais se parece
Com o silêncio calmo nos olhos recém-iluminados de Davi,
Seu filho que nada sabe de qualquer catecismo.

Paulo Lebiedziejewski
1 compartilhamento
Tags: catecismo criança

A política das frases:

Na época que antecede as eleições, algumas pessoas pensam estar numa guerra à moda dos filmes americanos, que eleva os homens de valor e seleciona os bravos e destemidos.
Sempre são pessoas que se engajam na disputa (como funcionários descartáveis, colaboradores ou fracos idealistas) e confundem campanha eleitoral com política.

Marquês de Maricá disse em 1812:
"Nas revoluções políticas os povos ordinariamente mudam de senhores sem mudarem de condição."

E estes chatos que tanto incomodam nas redes sociais e na mídia, sem ter sequer uma causa própria, esquecem que "Um político divide os seres humanos em duas classes: instrumentos e inimigos.", nas palavras de Friedrich Nietzsche.

Deveriam saber que quando Aristóteles afirmou que o ser humano é um animal político, não era a esta atividade de fuxico que se referia. Pois estas pessoas estão por demais inseridas na nossa podre estrutura partidária, onde:

"Partido político é um agrupamento de cidadãos para defesa abstrata de princípios e elevação concreta de alguns cidadãos.", na concepção de Carlos Drummond de Andrade.

A política aristotélica é aquela que humildemente pregavam Madre Teresa de Calcutá e Zilda Arns, que, não se enganem, não faziam caridade, mas defendiam liberdade e um Estado mais humano e lutavam contra a máxima de Voltaire:

"Encontrou-se, em boa política, o segredo de fazer morrer de fome aqueles que, cultivando a terra, fazem viver os outros."

Ao que parece, estes que confundem política com campanha são os mesmos que desacreditam a educação e a filosofia, que a eles não ensina a pensar. Bertold Brecht, educador de verdade (daqueles que morrem pobres), sempre teve opiniões políticas difíceis de engolir, reclamava por mudanças e nos deixou esta última lição:

"(...) não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em tempo de desordem, de confusão organizada, de arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural e nada deve parecer impossível de mudar.".

Paulo Lebiedziejewski
2 compartilhamentos
Tags: maricá nietzsche

Duro é temer que
A cega lâmina ou o
Áspero baraço,
Cessem apenas o grito
Ali mesmo na garganta.

E assim, no incerto Além
Esteja eu a gritar sem voz
No maçador silêncio
Da minha breve eternidade.

Dantes ter que correr num campo de Helena!
Nas mãos escudo, espada e certeza.

Hoje, ter coragem exige amar
A vida até o último hospitalar suspiro.

Atitude, às vezes, é poder-se estar dignamente morto.

Paulo Lebiedziejewski
1 compartilhamento

Dar bons conselhos é a mais perfeita forma de altruísmo, pois consiste em dar ao próximo aquilo que você mais precisa.

Paulo Lebiedziejewski
1 compartilhamento
Tags: frases conselho