Coleção pessoal de PhilipeThomsen

Encontrados 19 pensamentos na coleção de PhilipeThomsen

" poema do assassino"
De seus lindos olhos
Que vejo a tristeza
Os cabelos castanhos
Onde floresce o orvalho
Que escorre pelo rosto
Tangendo entorno a alma
Sedenta em todo sangue
Cujo a lâmina seca
Gerada a ferro frio
Transborda o sangue quente
Carne dilacerada
De seu corpo agora morto

PhilipeThomsen

"Este mundo bêbado e torto"

Ah!
Este mundo
Desses dias em que aqui passei
Me foi fundido a fogo quente
O meu pecado
Não te assustes
Nasceste ao lado do meu também o seu pecado
Doce ele era , pequeno e ainda criança, apenas
Sorria... Sorria... E sorria
Este sorriso branco, a quem lhe foi concedido
Tão branco, quanto a pureza de meu ser
Tão branco... Tão branco... Tão branco
Mas, o que a de branco, se só existe o pecado ?
Aquele pecado vestido a couro
Couro, tão sujo quanto ele
E aquela barba por fazer
Escondendo seu rosto gordo e fedorento...
Basta! Não quero mais viver
Não quero mais viver neste mundo
Não neste fedorento mundo
- ah, é?! E o que a de tão fedorento nele ?-
Simplesmente seu hálito
Que denuncia seu pecado
Como pode?
Você que era mundo
Se faz pecado
Meu pecado
Seu pecado
Nosso pecado
- e o que vai ser, hein?-
Um uísque escocês
Para afogar as mágoas
Afogar meu doce pecado
Engoli-lo sem dor
E para tira-gosto
Uma porção de amendoim torrado
Para não sentir mais o gosto, deste tal de pecado

PhilipeThomsen
1 compartilhamento

Não havia coisa mais bela, seu rosto era inocente, a coisa mais linda já vista, fomos apenas crianças, que corriam e caiam, crescíamos juntos, lado a lado, e eu a amava, amava mais que tudo, pois não havia mais nada à amar, mas me magoei chorei inúmeras vezes durante ela, e como qualquer coisa, que não dá certo, eu terminei com ela.
À minha vida

PhilipeThomsen

O tempo é a única coisa entre mim e a morte

PhilipeThomsen

Me ponham aos olhos 800 réis de 18, e me vistam um terno com um baralho e um isqueiro trabalhado, quando estiver descendo, quero que toque queen mary funeral march a laranja
Se alguma lágrima cair, ficarei desapontado com você

PhilipeThomsen

Ela era bebada, que se arrastava pelas fossas murmurante, dos rios, das enxurradas, e a única coisa que tinha, era material

PhilipeThomsen

O único jeito de matar um humano é tirando sua sanidade

PhilipeThomsen

O quanto você quer esquecer algo já esquecido ?

PhilipeThomsen

Este pinhão, este pinhão! Muda tudo

PhilipeThomsen

Eu costumava vir aqui, quando o mundo fechava e eu sufocava

PhilipeThomsen

Quero perder de vez sua cabeça
minha cabeça perder teu juízo
quero chorar fumaça de óleo diesel
Me embriagar até que alguém me esqueça

PhilipeThomsen

A música se torna o ritmo do mundo

PhilipeThomsen

O que acontece no escuro ?

PhilipeThomsen

O tempo não é mais necessário

PhilipeThomsen

Era frio e chuva, mais os dias não eram diferentes na velha Londres

PhilipeThomsen

Olhas estas flores
- olhas tu que estão sendo arrancadas
Olhas as árvores
- olhas tu, estas sendo desmatadas
Olhas as águas
- olhas tu, estas virando esgoto
Olhas as aves
- olhas tu, estas caindo
Olhas o sangue
- olhas tu, que este escorre
Olhas o ferro
- olhas tu o tubo da arma
Olhas o chumbo
- olhas tu as balas derramadas
Olhas o fogo
- olhas tu o incêndio
Olhas os seres
-olhas tu ser imperfeito
Prostitutas e ladroes
Que usam o fogo a chumbo
Que nasce do ferro
Que mata as árvores, as aves
Os seres
Que me mata '
Olhas os teus olhos
- olhas tu que já estou cego
Olhas teus ouvidos
- olhas tu que já não escuto mais
Olhas a tua boca
- olhas tu que dela não saem palavras
Olhas os teus dedos
- olhas tu que já não os mexo mais
Olhas tua vida !!
- olhas tu, que Deus me abandonou, olhas que já morri, abra seus olhos, você já está morto

PhilipeThomsen

O que você tem ?
Uma vida mal utilizada

PhilipeThomsen

Meu filho aguenta, faça tudo para passar

PhilipeThomsen

O não é, ele está

PhilipeThomsen