Coleção pessoal de manuel_santos_1

1 - 20 do total de 818 pensamentos na coleção de manuel_santos_1

Não comento: eis a resposta preferida do MAU político… 

Sempre que um perguntar, tal importuna;
Por mais que seja vital, pra quem sente;
Adora esconder-se, em resposta ausente;
Havida em esse assumir, coisa alguma!

Assim se esconde o tal, a toda a gente;
Sempre que vê em risco o seu reinado;
Por ir ter que ser franco, esse coitado;
Caso: a verdade houvesse, em si presente!

Por isso, um não comento, é desculpa;
Tão tida em quem no poleiro, se apanha;
Entregue a tal pra defender a gente!


Mas que em tal responder, tão fica ausente;
Nessa resposta havida, aonde a manha;
A nós, tão mostra: a em tais, havida culpa.

Com o sentir da vontade de neles “votar”;

Manuel Santos

⁠IRAQUE ano 2020: Não matem as MÃES do vosso povo!!!!!!

Que tão grande, tão foi minha tristeza;
Quando assisti a um triste documentário;
Feito pela Arábica BeBeCê!...
Lá vi, tão malvada e havida AVAREZA;
Que ainda existe no IRAQUE, em tanto otário;
Devido a em ele haver tanta pobreza.

Pobreza, no fazer desses malvados;
Que estão a em tal condenar: as deles MÃES;
À morte, em esta vida; tão novinhas!...
Pra satisfazerem tais desgraçados;
De prazeres havidos, só em cães;
Abandonados, como as COITADINHAS!

Não consigo entender, tal MAL fazer;
Não consigo entender, tal permitir;
Não consigo entender, tal actuar!...
Não consigo entender, como há prazer;
À custa de a tanta MÃE, destruir;
Com porca política, a pactuar!!!

Vamos tentar nosso MUNDO alertar;
Com toda a força, por todos nós vista;
Em lutas, como as na: contra o RACISMO!...
Para tentarmos, estas MÃES salvar;
Dos tais, colocando-os em numa lista;
Com nome tanto igual, a: TERRORISMO.

APELO, aos políticos da Terra;
Que usem: a BONITA diplomacia;
Por tal, ter a LINDA: força do BEM!...
Pra que em ela, ELIMINEM, esta guerra;
Dando a tais MÃES, viver que em tais HAVIA;
Pra viverem, sem mal fazer de alguém.

Pois quando em nossa Terra, nos unimos;
Nem que o tal seja só para: a um SALVARMOS;
A todos nós estamos a SALVAR!...
E a em tal provar, que afinal existimos;
Para todos em UM, nos transformarmos;
No COMBATER, todo o a nós, maltratar.

Quão LINDA, é a força da UNIÃO;
Quando em nós havida para SALVAR;
A qualquer um de nós, tão primo ou IRMÃO!...
Quão feia, é a da destruição;
Por nela, tanto haver: vida roubar;
Por distraída em NÓS, desunião.

Vamos, pois, SEMEAR a EVOLUÇÃO;
Nos locais, onde a virmos a faltar;
Fazendo a tais chegar: A EDUCAÇÃO!...
Que lhes permita EVITAR tentação;
De A VIDA em esta havida, a ALGUÉM roubar;
Pra que em tais, nasça a força da UNIÃO.

Com ESPERANÇA por fé em NÓS;

Manuel Santos

O nosso 38º Aniversário de CASADOS…

Por de ninguém, donos sermos;
mas a tanta gente, AMARMOS;
que bom é: O AMOR, nós termos;
para O a quem, quisermos; darmos!...

Parabéns Querida AMADA;
por mais um ano passado;
sempre contigo a meu lado;
nesta de AMBOS, caminhada!

Pois nem senti, tal passar;
mesmo a tal, já ter passado;
por em ti, ter encontrado;
todo o pra mim, desejar!!!

Que em eles tivesse havido;
uma única traição;
antes tivera morrido;
pois TRAIR, em mim; há não!!!

E por saber que tal sabes;
como eu de Ti, tanto o sei;
sempre a Ti, tanto me dei;
daí, em mim, Tu tão cabes!

Por isso AMADA e Querida,
vou AMAR-TE, como ninguém;
por cá já TANTO, AMOU a alguém;
LINDA ROSA, em mim havida.

Em mim havida, por minha;
vida havida, em meu viver;
por só UM, nosso dois ser;
minha AMADA e PEQUENINHA!

Agora aprecia o nada;
deste meu, pra Ti dizer;
tão criado, pra o Teu VER;
minha eterna NAMORADA:

Muito obrigado, AMADA e ESPOSA minha;
pelo AMOR, que a mim tão deste, em trinta e oito;
nascido, em Ti pra nós, desde: os dezoito;
aninhos, nessa em Ti; Bonita ALMINHA!

Sei bem, que por Ti, nunca fui traído;
devido a: em teu AMAR tal, caber não ter;
daí, preferir: mil vezes morrer;
que em uma, dessas a Ti; ter caído!

Não foi, por não me ter apetecido;
nem sequer, por ninguém ter desejado;
nas tantas tentações, por mim passadas!...

Mas foi pelo: meu AMOR, a Ti TÃO tido;
que a todas, essas tais, tão pus de lado;
sempre, que por mim foram; desejadas!

Posto tal, AMADA Linda;
já com pena, de acabar;
este em verso, a Ti, tão dar;
aprecia, estes; ainda:

Que bom foi, pra mim achar-Te;
neste difícil, achar;
pra tal poder entregar-te;
em: esta forma de AMAR.

Pois não há, nada em mim melhor;
que O tanto, a Ti poder dar;
como O a mim, tão deu: o sabor;
da poesia, ensinar!...

Que sorte eu tive na vida;
de tão rápido passar;
nosso dois em UM tornar;
por ter-Te achado querida!

Que sorte, eu tão tenho tido;
por Contigo estar, Querida;
a dar graça, a minha vida;
por tal passares comigo!

Venham mais, AMADA LINDA;
minha MULHER Adorada;
e minha QUERIDA Amada;
porque eu quero, mais ainda!!!!!!!!!!!!

Ai como adoro tornar;
tão público o nosso AMOR;
para a todos, demonstrar;
Esse Sabor do SENHOR!

Que pena, um dia a má morte;
O, em nós, ir interromper;
neste viver, pra morrer;
por tão ser, mais que nós forte!…

Mas apesar de: o assim ser;
ELE há-de continuar;
em quem cá, vamos deixar;
pra: em ELES, a irmos vencer!

Tão vencer, AMADA minha;
como: a tão venceu, JESUS;
pós, Corpo morto, na cruz;
com a VIDA, que em TAL, tinha.

Ai que lindo, é: O AMOR;
por tão bonito, em Tal Ter;
por Ser tão FORTE, EM viver;
como O É, nosso SENHOR.

Mas já, que a ELE, em verso Cito;
deixo a todos um desejo:
oxalá, como O em nós vejo;
nasça em VÓS, VER tão BONITO.

Pois quem NELE acreditar, podem crer;
mesmo após seu morrer, irá ficar;
bem VIVO/A, embora esteja em outro ser;
por em UM, não haver um, pra separar!

Como podia: a morte separar;
esse UM, havido em um, ao um matar;
se só UM, há, havido em tal lugar!...
em que ambos, se resolveram juntar?

É claro, que ela triste irá ficar!!!
pela força havida, DO CRIADOR;
no de AMAR, em dois havido; a UM tornar!...

Por jamais tais, poder ir separar;
por ser, muito mais fraca, que ESSE AMOR;
por NO TAL, não ter margem; para entrar.

Não tem, pois foi por ELE Decidido;
que o AMOR, só a ELE então, tanto Pertence;
daí, ter Força que a morte, em Tal vence;
quem tiver, TAL, DELE em si, então tão Tido!

Havido, e que em nosso caso, tão é:
esse AMAR, que nas Almas, semeou;
quando um dia, Em: FILHO, SE Transformou;
pra Semear, Tal Ver; em quem tem Fé.

Que feliz, pois, será quem O tiver;
em si, para a ESSE AMAR TAL, poder dar;
tal como, de outrem, O TAL receber!...

Porque em quem, por O ver, ELE couber;
quer seja pra O receber, ou O entregar;
terá: O CRIADOR, DELE; em seu Ser.

Por a ninguém, pertencermos;
mas a tanta gente, AMARMOS;
que bom é: O AMOR, nós termos;
para O a quem, quisermos; darmos.

Parabéns Querida AMADA;
por mais um ano passado;
sempre contigo a meu lado;
nesta de AMBOS, caminhada!

Não fora o eu já contigo haver casado;
agora casaria de certeza;
dada essa em Ti, tanta e ENORME beleza;
que satisfaz em mim, tão todo o agrado!

Beleza em ti tão tida, minha AMADA;
do exterior, até o interior;
que faz por Ti, todo Este em mim, AMOR;
querer-Te, como ETERNA Namorada.

Que sorte eu tive em meu breve passar;
num sem querer, tão querendo, encontrar-TE;
achar-TE, em este difícil; achar!...

Pra enquanto viver cá, tão te ir AMAR;
pra enquanto viver cá, tão desejar-TE;
pra enquanto viver cá, sempre em TI; estar.

Amo-TE

38º Aniversário de casamento de: Manuel Santos e Maria Rosa- 1982-08-07-a-2020-08-07

Com uma indescritível alegria, hoje, passados estes trinta e oito anitos, digo-te: voltava a contigo CASAR… e que te AMO, AMADA LINDA e Rosa minha, como tanto AMO; os meus/nossos FILHINHOS tal como; que para todo o meu sempre, te/vos AMAREI!!!

Com o carinho do AMOR, Teu/Vosso;

Manuel Santos

⁠Porque o nosso 38º aniversário de casados, é já amanhã; hoje digo-TE Amada minha, Maria Rosa:

Não fora o eu já contigo haver casado;
agora casaria de certeza;
dada essa em Ti, tanta e ENORME beleza;
que satisfaz em mim, tão todo o agrado!

Beleza em ti tão tida, minha AMADA;
do exterior, até o interior;
que faz por Ti, todo Este em mim, AMOR;
querer-Te, como ETERNA Namorada.

Que sorte eu tive em meu breve passar;
num sem querer, tão querendo, encontrar-TE;
achar-TE, em este difícil; achar!...

Pra enquanto viver cá, tão te ir AMAR;
pra enquanto viver cá, tão desejar-TE;
pra enquanto viver cá, sempre em TI; estar.

Amo-TE

Manuel Santos

⁠Amor… Amar… sofrer… NÃO!!!!!!!!!!!!!!!!

Por de ninguém, donos sermos;
Mas: a tanta gente, AMARMOS;
que bom é: O AMOR, nós termos;
para O a quem, quisermos; darmos!...

Por quase oito mil milhões, em nós termos;
De seres, tanto humanos como nós;
São horas, de a nossa raça, darmos voz;
Em vez, de com eFe, tão nos podermos!

Não temos, qualquer razão, pra roubarmos;
Companheiro/a, entre nós, comprometido/a;
Com tanto milhão descomprometido/a;
Logo livre e ansioso/a pra o/a tão AMARMOS!

Usemos, por tal nosso: LINDO AMOR;
Pra AMARMOS, não pra fazermos sofrer;
Esses tantos milhões, livres pra AMAR!...

Pra quando morrermos, irmos deixar;
De nós, um só possível: bem-dizer;
Por bem termos usado O SEU valor.

Vamos, pois, viver pra AMAR, não iludir;
Vamos, pois, pôr fim à: NELE a tristeza;
Vamos, pois, usar DELE o BOM UNIR;
Vamos, pois, só bem USAR; TAL RIQUEZA.

Por a ninguém, pertencermos;
Mas: a tanta gente, AMARMOS;
que bom é: O AMOR, nós termos;
para O a quem, quisermos; darmos.

Com carinho;

Manuel Santos
Tags: amor... amar...

⁠⁠AMAR, mas como manda O AMOR!…

Amar, como a nós manda o Lindo AMOR;
Nada mais é que tudo de nós darmos;
Mesmo a tantas vezes, sequer gostarmos;
Por não vermos ser-lhe dado, o valor!

Mas assim deve ser, pra quem AMAR;
Devido a quem AMAR nada querer;
Que seja: um ver fluir, em outro ser;
A sua mais PURA forma de dar.

Que feliz, tão será quem conseguir;
Neste viver tão curto pra morrer;
Amor a um outro ser, tanto entregar!...

Muito maior, que o dele desejar;
Muito maior, até que um dele ver;
Muito maior, que um dele em si; sentir.

Pois nesta vida, nada há de melhor;
Que em nós sentirmos, este sentimento;
Quando em nós havido, a alguém dar alento;
Mas com dar, como manda O Lindo AMOR.

Com um indescritível, por bom, sentir;

Manuel Santos

⁠AMOR…

Nunca me hei-de cansar, de anunciar;
O seu tão bom sabor, quando em nós tido;
Por nascido mais puro, em nós havido;
Pra com todos, devermos partilhar!

Partilhar, porque em todos vai deixar;
De quem tal der, o que tem de melhor;
Por ser um dar, do nosso interior;
Por ser um tão dar, com A Alma, em Seu achar!

Por isso, primo/a da Terra e IRMÃO meu;
Cultiva esse a ti TAL, dado em menino;
E partilha-O por cá, com quem puderes!...

Porque ELE em nós, tem um sentir tão SEU;
Tão GRANDE, em nosso viver pequenino;
Num pôr em nós, tantos; dos SEUS poderes.

Com alegria;
 

Manuel Santos

⁠Exijo informação cabal… mas para quê?

Tanto exigir, para nada fazer;
Nem sequer para satisfações dar;
A quem um dia nele foi votar;
Assim vai: o de um sabichão, tão saber!

Pra quê exigir coisa, tão cabal;
Se afinal, tal é só para inglês ver;
Ou será, pra a Português, fazer crer;
Que dali irá sair, resolver tal?

Que pena, ande em nós, quem tal, caladinho;
Sempre, envolto em selfies, quer em vinho;
Quando tão devia fiscalizar!...

Ratos, como o berardo e o salgadinho;
Ladrões como os das armas do seu ninho; *
Tal como: um cumprir, do que foi jurar.**

Agora, e da saúde, vem mais uma!
Com vergonhoso: encobrir resultados;
Como a escravos tais, roubar ordenados;
Irá haver: visão CABAL, alguma???!!!???

*Dado que é o responsável mor das forças roubadas!
**Jurou CUMPRIR e/ou fazer cumprir a constituição.

Cá ficarei a aguardar deitado, [para não me cansar de esperar bons resultados] porque assim, realmente vale a pena; termos um PRESIDENTE!!! enfim…

Manuel Santos

⁠Coincidências…

Por com todos nós se darem, as tais;
Sem termos pra as mesmas, um explicar;
Nas mesmas, tanto em tais vêm, demonstrar;
Que pra além vermos, inda há muito mais!

Que engraçado, por nós, é tais julgarmos;
De acordo: com esse havido, em cada uma;
Dado, que iguais a tais, há mais nenhuma;
Daí, a coincidências, lhes chamarmos.

Que bom, quando em tais, a bom assistimos;
Que bom, quando em tais, a milagres, vemos;
Que bom, quando a tais ver, tanto gostamos!...

Que bom, quando a tais não ver, tão sentimos;
Que afinal, esse amostrar que em tais temos;
É sinal, que em sozinhos, sós não estamos.
Com gosto por tais;

Manuel Santos
Tags: coincidências...

⁠Estórias-XXV… o insosso salgado Angolano e alguns dos seus comparsas…

Por não ter humildade, pra desculpas;
Daí, cá nunca as pedir, a ninguém;
Este nababo em nós parece alguém;
Por ser nabo maior, que as dele culpas!

Não há, entre nós cá, um paxá MAIOR;
Que este ocioso, ou grande malandrão;
Por não passar de insolente e mandão;
Tão mamão, como em nós; não há um pior!!!

Que pena a portuguesa, justiceira;
Por cá não possa, o tal fazer pagar;
Os mais de: DOZE mil milhões, roubados!...

Devido, à dele, imposta cegueira;
Com tal roubado, a todos tão calar;
Num ter tantos MAMÕES, alimentados.

Com uma triste sensação provocada pela tão preVISTA impunidade;

Manuel Santos

O espanto…

Oxalá, sempre que um tal provoquemos;
Tal seja, por algo bom por nós tido;
Pois caso o tal seja por mal havido;
Será para nós melhor, que o olvidemos!

Por tal, cuidemos todo o nosso agir;
Pra que dele não saiam: más acções;
Ou tais irão mostrar, de nós mamões;
Por a burrice em tais, ter tão fluir!

Que pena, geralmente, o tal causarmos;
Somente, quando menos bem fazemos;
O que devíamos fazer melhor!...

Por tanto, uns aos outros, invejarmos;
Que cá, tanto com eFe, nos podemos;
Por termos, tão grande olhar; pra o pior.

Com prudência;

Manuel Santos

⁠O nosso verdadeiro valor…

Quem pensar, valer pelo que aparenta;
Um grande iludir em si, anda a meter;
Dado o valer, qualquer parecer ter;
Por ser no interior, que se apresenta!

Daí, pensarmos que por cá valemos;
Pelo que apresentamos, ou julgamos;
Ou pelo que temos, por onde andamos;
Tão prova, como a julgar-nos, mal vemos!

Pois nosso valor, somente se encontra;
Visível, pra se poder exibir;
Num ver, só tido pra ser espelhado!...

No havido em outro, quando de nós montra;
No havido em outro, com de nós fluir;
No havido em outro, quando em tal; mostrado.

Com precaução;

Manuel Santos

⁠O Facebook e a pergunta: em que estás a pensar?

Quem andar, cá a viver, sem AMAR;
Por em seu SER, pra dar, TAL bem não ter;
Por cá, mais nada andará a fazer;
Que não seja a um em todos, dor causar.

Inspirado em: esta no Face, havida;
Pergunta ao, o tal irmos visitar;
Por ter um tão engraçado perguntar;
Vou dar-lhe: um pouco mais da minha vida!...
Vou dar-lhe, pra vos tentar animar;
Por saber que a tristeza, tanto vence;
A alegria, sempre que nos convence;
Haver melhor pra nós, que: um vivo estar!

Pois nada em nós, há pior: que o deixarmos;
Pôr-nos tristes, a um qualquer, mau acordar;
Neste viver que temos que deixar;
Muitas vezes sequer, sem fé; lhe darmos!...
Por isso, hoje no que eu estou, a em cá pensar;
É na sorte de cá ter acordado;
Para em mim, ver mais um dia contado;
Por tantos, sem cá estar, tão ir passar!

Aproveitem bem pois, tal rica vida;
Mesmo não vendo em tal, qualquer riqueza;
Aparente, em acordar na pobreza;
Por nesse, haver tanta riqueza havida!...
Havida, no tão rico pertencido;
De quem tenha a tal, sorte de acordar;
Para em seu cá viver, tal desfrutar;
Como a desfruta: o tanto cá nascido!

Apreciai os peixinhos, que há no mar;
Tal como: os tantos milhões de animais;
Que por cá tanto andam, como em nós tais;
Que vereis o que em nós, anda a faltar!...
Que nada mais é que um aproveitarmos;
Cada dia, para mais um vivermos;
E com tal, mais um à morte vencermos;
Tentando a tal da mente, erradicarmos!

Tentemos por tal, viver nossas vidas;
Usando ao máximo a inteligência;
Como o: já tanto havido na ciência;
Pra com tais, enriquecermos tais tidas!...
Com todos, tantos bens, quantos pudermos;
Que vão desde a amizade, ou lindo AMOR;
Aos que nos dão, a paz interior;
Pra esta: tão curta havida; em nós vivermos!

Quão feliz, será por cá, quem souber;
A com muito pouco se contentar;
No que diz respeito, a pra si guardar;
Mas muito para dar, em si couber!...
Pois quem muito pra dar, em si tiver;
Devido a em tal dar, haver receber;
Terá nesse dado: um todo colher;
Com tudo, o que da vida; pra si quer.

Evitem, fazer mal, seja a quem for;
Evitem, a quem quer seja, invejar;
Evitem, tristezas deixar entrar;
Evitem, tudo o que a nós, cause dor!...
Evitem, o do injusto, maltratar;
Evitem, o do parvo, em vós entrar;
Evitem, à vida o valor não dar;
Evitem, cá andar; sem ser pra AMAR!

Porque andar cá a viver, sem AMAR;
Por em seu SER, pra dar, TAL bem não ter;
Por cá, mais nada andará a fazer;
Que não seja a um em todos, dor causar.

Com Carinho, a todos dedico; este de hoje pensar!

Manuel Santos

⁠Os políticos Portugueses, a covid-19 e os PROFISSIONAIS de saúde!!!!!!!!!!

Andam políticos parvos, em nós;
A roubar trinta por cento a: o ordenado;
Quer a Médico ou Enfermeiro infectado;
Ou a outros, que à saúde, TÃO dão voz!

Tinham sido acordados cem por cento;
De ordenado, a todos os infectados;
Que neste país fossem encontrados!...
E agora, bom político, ou JUMENTO?

Só mesmo neste país de bananas;
Que vivem: a dormir, no parlamento;
Se faz tal, a quem por nós; tanto LUTA!...

Por tanto, pra nós serem, secas canas;
A viverem com do: POVO ALIMENTO!...
Por serem: uns grandes filhos da HONESTA.

Sem palavras, também pela minha PRIMEIRA falha, [porque as nossas mães não têm culpa] numa rima;

Manuel Santos

⁠Quem me dera, AMADA Linda; que visses com meu olhar…

Que visses com meu olhar, como a Ti vejo;
Pois verias nesse olhar, quão te desejo!...
Que visses com meu olhar, como a Ti tão Amo;
Pois verias nesse olhar, quão não te engano!

Que visses com meu olhar, como a Ti quero;
Pois verias nesse olhar, tudo o que espero!...
Que visses com meu olhar, o meu desejo;
Pois verias nesse olhar, quanto em ti vejo!

Que visses com meu olhar, todo a Ti ver;
Pois verias nesse olhar, todo o meu ser!...
Que visses com meu olhar, o que em Ti vejo:
Pois verias nesse olhar, pra mim desejo!

Que visses com meu olhar, o meu querer;
Pois verias nesse olhar, Amar teu ser!...
Que visses com meu olhar, o meu sonhar;
Pois verias nesse olhar, tudo a Ti dar!

Que visses com meu olhar, meu tão Te Amar;
Pois verias nesse olhar, meu tão gostar!...
Que visses com meu olhar, meu desejar;
Pois verias nesse olhar, contigo estar!

Que visses com meu olhar, meu mais querer;
Pois verias nesse olhar, UM a nascer!...
Que visses com meu olhar, sem ti ficar;
Pois verias nesse olhar, não suportar!

Que visses com meu olhar, meu tal desejo;
Pois verias nesse olhar, o que em ti vejo!...
Qua nada mais é que esta minha vida;
Chorar, por ter que te ir cá deixar Querida!

Deixar, quando a má morte me levar;
Por ser tal ver, que em mim verias também!...
Num primeiro que tu, partir pra o além;
Para um dia, em nosso Amor, te vir buscar.

Amo-te, como vejo que tão bem, isso em mim vês;

Manuel Santos

⁠Mentir…

Por ser tal, sempre um mau agir, praticado;
Por ter em tal, o encobrir da verdade;
Logo: o da bonita, realidade;
Temos que evitar em nós, tal malvado!

Pois mesmo sendo dado pra animar;
Poderá pesadelo, parecer;
Em quem a mentira, não puder ver;
Por nela ver, tanto havido; estragar!

Por isso cuidemos nosso pensar;
Sempre que ele, nos impinja, um mentir;
Por tal ser: um da verdade; ocultar!...

Porque onde houver mentir, há um falhar;
Que a nós fará chorar, por ter sentir;
De um falhar, que não deu pra desculpar.

Com prudência;

Manuel Santos

⁠Por sermos: o MELHOR dos animais;
Façamos BEM, todo o nosso fazer;
Pra que um dia de nós possam dizer;
Quão tivemos, o TAL; havido em tais!

Nós…

Pela esperteza havida, em nós tão tida:
Tal como pelo bom comunicar;
Em tais existe este gostoso dar;
Que tanto prolongou esta nossa vida!...
Prolongou pelo bom cuidado havido;
De registarmos o nosso passar;
Quer tenha feito rir, ou tão chorar;
O importante, foi esse cuidar tão tido.

Cuidar, em que sempre, nos socorremos;
Por como animais sermos dependentes;
Dos saberes que em nós estando ausentes;
Não o estão, nos deixares de quem nascemos!...
Que bom, é termos um aceder tal;
Por tão nos permitir vermos passado;
Tal como todo o em tal por nós deixado;
Deste nosso existir, como animal.

Que bom foi tal existir, registarmos;
Desde as velhinhas pinturas rupestres;
Até outras artes de grandes mestres;
Por tão gostarmos de as apreciarmos!...
Pois em tais, há pra nós todo um dizer;
Para por nós ser bem apreciado;
Nesse bonito havido e registado;
Com intenção de nos mostrar: fazer.

Fazer, deixado por antepassados;
Que para nós tiveram tal prudência;
De apurarem, sempre a havida evidência;
Dos factos que deixaram relatados!...
Daí, hoje em nós termos tais registos;
Guardados, pela em tantos: paciência;
A que hoje todos chamamos ciência;
Para por nós poderem, tais ser vistos.

Por da ciência, sermos dependentes;
Como do ar pra viver, que respiramos;
Vamos tentar expulsar, mal que herdamos;
Deixando-a perfeita aos descendentes!...
Perfeita, ao em tal: Divino anotarmos;
Quando por nós O Tal, seja palpado;
Como o é, na história, tal Registado;
Quando em boa evidência, a UM TAL provarmos.

Pois quando todos nós, bem entendermos;
Que pra além de primos, somos IRMÃOS;
Talvez então possamos dar as mãos;
Por finalmente O Tal, compreendermos!...
Porque enquanto isso em nós, cá não fizermos;
Vamos continuar a espalhar: dor;
Pela nossa enorme, falta de AMOR;
Nos ir levar a nascer, pra morrermos.

Vamos, pois, primos por filhos da Terra;
E animais em tal privilegiados;
Por dotes, a mais nenhum, nela dados;
Tentar erradicar, da mesma, a guerra!...
Tal como de nós: o malvado agir;
A que resolvemos chamar: traição;
Que em nós causa tanta destruição;
Como a guerra ao corpo, no sentir.

Porque esta nossa vida há-de acabar;
Mais rápido, que o nosso imaginar;
Vamos a uma outra: o nosso alento dar;
Pondo em nós, o tão bom sabor do AMAR!...
Porque quando cá todos nós, tão AMARMOS,
Como todos tão fomos, já AMADOS;
Sempre que Pelo AMOR, fomos tocados;
Não morreremos, por; NELE ficarmos.

Por tantos milhões se darem: de estórias;
Em cada dia, em nós, por cá passado;
Vamos de nós enviar, pra outro lado;
As que em nós estão: como más memórias!...
Pois pela inteligência em nós havida;
Tal como: pelo ensinado deixado;
Até, pelo havido, em nós já passado;
Não há razão para tais, em nossa vida.

Acabemos por tal, com a traição,
Pra nos podermos AMAR de verdade;
Porque esta vida em nós, já é saudade;
Mesmo ainda cá tanto estando! senão...
Apreciem mui bem a vossa imagem;
Pois nela: em todos temos reflectida;
Toda a por nós, já tão passada vida;
Tal como a da tão certa, morte; aragem.

Por aqui vou este poema acabar;
Mas com vontade de continuar;
Para com tal a ninguém chatear;
Por tão grande ele se estar a tornar!...
Pois como a vida, a poesia é;
Tão só um em tal deixar registado;
Um havido em nós presente e passado;
Tal como a de um poeta, havida fé.

Por sermos o melhor dos animais;
Façamos BEM, todo o nosso fazer;
Pra que um dia de nós possam dizer;
Que aproveitamos TAL, deixado a tais!...
Unamo-nos, como estes versos, cem;
Se uniram, por mil sílabas poéticas;
Para formarmos: UM, mas sem estéticas;
Poema, em tais milhões; que a GENTE tem.

Com pena por ter que acabar, para a ninguém chatear;

Manuel Santos

⁠A mentira…

Por em todos nós, tanto, tal se dar;
Por nela sermos especialistas;
Tornando em nós, tantos bons, vigaristas;
É bom que a comecemos a evitar!

É bom que a só usemos, para o bem;
Dado que por à verdade inverter;
Será por quem bem vir, boa de ver;
Pelo curto ocultar, que em si, tão tem!

Só caso a fazer bem, tal seja dada;
Como a havida, a dar vida, em certa morte;
Ou a bonito tornar, parecer feio!...

Transforma a dita, para o mal criada;
Em algo que até poderá dar norte;
Quando o alegrar, a tal; traga em seu seio.

Com prudência, dado nela tanto já ter escorregado, mas sem político ser;

Manuel Santos

⁠ELE ou ELA era só Poesia, mas um não sabia LER!...

Que pena, quando estas coisas se dão;
Seja ele, no haver de um, ou no outro haver;
Por tanto de ambos, se ir por tal perder;
Só por em um faltar: Tal sensação!

Que pena tal se dê, por Tal faltar;
Talvez, por já ter deixado morrer;
O Ser que a ela, tão bem, sabia ver;
Por só nesse tal Ser, a tal se dar.

Pois quem neste viver, não saiba ler;
Por seu querer, ou por querer não ter;
Eu si, Quem lhe permita a Tal Visão!...

Anda cá por andar, por sem Tal Ver;
Anda cá por andar, por sem Viver;
Anda cá por andar, por na ilusão.

Com mágoa por tais;

Manuel Santos

⁠Poluição humana…

Vamos tentar limpar, a Mãe de nós;
Agora que a vimos, limpa a ficar;
Devido a nosso poluir, parar;
Pela a nós vinda, de um vírus; atroz!

Vamos diminuir o poluir;
Que a tanto ser, em tal anda a matar;
Como a pureza, que ela tem pra dar;
Caso o seu chorar, possamos ouvir.

Que bom será, máscaras dispensarmos;
Como as tais que agora todos usamos;
Por termos medo até: do respirar!...

Por nossa Mãe tanto contaminarmos;
No pormos nela, um sujar, que abusamos;
Por pormos nela, um tanto conspurcar.

Com esperança;

Manuel Santos
Tags: poluição humana...