Coleção pessoal de JaniaraLimaMedeiros

1 - 20 do total de 151 pensamentos na coleção de JaniaraLimaMedeiros

⁠⁠Um coração apodrecido pela frustração procura enxergar o mau e, ainda que em tom suave e com palavras brandas, profere sua perversidade.

Janiara de Lima Medeiros

⁠A soma de simples gestos traduzem os sentimentos ou a ausência dele(s) por você.

Janiara de Lima Medeiros

⁠Repudio os que levantam a bandeira do cristianismo mas são os primeiros a agirem com críticas e condenações, contrariando o ensinamento pacificador.

Janiara de Lima Medeiros

⁠Emitir opinião pode causar desconforto. Logo, é melhor silenciar e não agir com hipocrisia.

Janiara de Lima Medeiros

⁠Malditos são os que pregam a empatia mas agem com deslealdade.

Janiara de Lima Medeiros

⁠... prazerosos são os momentos compartilhados com pessoas que fazem questão da nossa presença porque gostam da gente do jeito que realmente somos...

Janiara de Lima Medeiros

(...) tão importante quanto desenvolver pesquisas, é torná-las públicas. É preciso fazer com que a pesquisa tenha sentido e que o conhecimento, efeito.

Janiara de Lima Medeiros

... busco provocar à reflexão sobre o 'fetichismo da educação'
e o fenômeno da
'coisificação do trabalhador'...

Janiara de Lima Medeiros

(...) é oportuno refletir sobre a educação enquanto fetichismo contemporâneo. Para o trabalhador a educação escolar transformou-se no ‘passaporte’ para o mundo do trabalho e, quanto melhor a instituição de ensino (normalmente privada), maior é a garantia de realização profissional. Nesta mesma linha de pensamento, da mesma forma com que a educação teria se transformado num fetiche, os estudantes formados para o mercado de trabalho transformaram-se em objetos para o capital. Desta forma, o pensamento marxista sobre ‘fetichismo da mercadoria’ e ‘coisificação do operário’ estaria numa versão atualizada para o século XXI em que se presencia a o ‘fetichismo da educação’ e a ‘coisificação do trabalhador’.

Janiara de Lima Medeiros (2020)

Janiara de Lima Medeiros

O que você é capaz de receber? e de oferecer?

Aprendi algo simples, mas transformador: "Cada pessoa só pode dar o que tem dentro de si." Se é uma pessoa boa, ela dá bondade, generosidade. Mas se é má, você vê isso em todas as suas ações. Não existe maldade pequena ou grande. Maldade é maldade. Ou bondade pequena ou grande. Há bondade ou não. A intenção de ser má ou boa é a mesma, independente da ação ou do foco.

Na Bíblia, em Lucas 6:44 encontramos o versículo que descreve sobre como reconhecemos a árvore pelo fruto que ela dá. O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem; e o homem mau, do mau tesouro tira o mal. Porque, do que está cheio o coração, disso é que fala a boca. (Lucas, VI: 43-45).
A inveja ou a falsidade vem com vestidos de ovelhas, e por dentro são lobos interesseiros. Observe seus frutos, pois, pelos seus frutos os conhecereis. (Mateus, 7: 15-20).

Já observou algumas pessoas que têm uma implicância gratuita com outras? Talvez não se dêem conta da inveja que repousa no seu subconsciente. No entanto, não significa serem pessoas ruins: podem combater a inveja se encherem o coração de humildade. Para tanto é necessário o autoconhecimento e a vontade de serem pessoas melhores.

Muitas pessoas podem ter rompantes de bondade, porém sua sociopatia os engana. Esse autoengano as faz confundir a muitos. Desta forma não percebem que sua maldade transforma seu caráter a ponto de se convenceram de uma ignorante 'opinião formada' e não se dão conta de que nesta convicção fortifica-se a maldade e a ausência de amor - que é o primeiro mandamento de Deus como promessa.

Também na bíblia, em Gálatas 5:19-23, podemos ler sobre os frutos do Espírito Santo que são o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade, a mansidão e o domínio próprio.

E, desta forma, volto à reflexão inicial: é pelos frutos que conhecemos a árvore:
Sou muito imperfeita por isso peço a Deus, a cada dia, para que seja uma pessoa melhor. Nos momentos de silêncio busco refletir no que e como devo melhorar. Tenho um longo caminho pela frente. Portanto só peço a Deus que mantenha em meu caminho 'árvores' de bons frutos e afaste as de frutos podres. Que eu aprenda a ser melhor e, desta forma, possa frutificar e germinar em terra fértil (terra disposta a frutificar).

Janiara de Lima Medeiros

Tornar os alunos competentes linguisticamente na comunicação do novo idioma não significa levá-los a memorizar as regras gramaticais, mas permitir-lhes a escolha comunicativa mais adequada para a cada contexto.

Janiara de Lima Medeiros

O ensino da língua pressupõe o conhecimento da realidade linguística dos alunos em função da heterogeneidade linguística a partir do meio social em que vivem.

Janiara de Lima Medeiros

Não retribuo o sentimento de quem me desgosta e desconsidera. Contudo me entristeço quando é alguém que, ao contrário, tem todo o meu respeito, afeto e admiração. Vou assimilando até esquecer.

Janiara de Lima Medeiros

Aprender um segundo idioma para os militares estrangeiros revelou ser um desafio, onde o ensino de história acompanhado da linguística mediou o processo de aprendizagem dentro de um panorama sócio-histórico, através de contextualizações em aula além da classe.

Janiara de Lima Medeiros
Tags: português para

MEDEIROS, J. L. Formação para o Trabalho x Formação para a Vida: Do princípio educativo do trabalho à educação emancipatória. Mauritius: Novas Edições Acadêmicas, 2019.

ISBN 978-3-330-73095-3

Janiara de Lima Medeiros

Toda pedagogia é comprometida com o projeto de educação de acordo com os ideais de sociedade. E assim, reconfigura-se a histórica.

Janiara de Lima Medeiros

O Português como língua estrangeira não se trata somente de um desafio linguístico, mas sim em como as questões que envolvem as relações sociais, os distintos padrões estéticos e a comunicação - como reflexo das diferentes culturas - contribuem para facilitar este processo de aquisição do português como segunda língua.

Janiara de Lima Medeiros

Os pensadores não são aqueles que revelam a ilusão de algumas verdades, mas os que sugerem a verdade das ilusões.

Janiara de Lima Medeiros

Os ferrados: interessante é que o objetivo das ferraduras criadas no século X era para a proteção dos animais. Com o tempo, o mesmo instrumento passou a ser usado pelos gregos e romanos como instrumento usado para torturar escravos.

Janiara de Lima Medeiros

Na relação com a natureza e com os demais homens, mediada pelo trabalho, que o ser humano constrói sociedades, reconfigura a história e, simultaneamente, molda a sua essência.

Janiara de Lima Medeiros