Coleção pessoal de JaneLins

1 - 20 do total de 36 pensamentos na coleção de JaneLins

Noite silenciosa; filhos que dormem tranquilos. Observando-os... Imagino o que sonham. Ele, com tecnologias revolucionária. Ela, com o mundo descrito no livro à cabeceira da cama. Beijo-lhes a face num toque gentil de boa noite...
No quarto ao lado, meu companheiro também em sono profundo; provavelmente sonha com novos projetos... Volto pra cama e, ao deitar-me, beijei-lhe os lábios... Penso em tudo que vivi até então. Uma lágrima sorrateira, um sorriso e gratidão. Outrora era como um velho casaco desgastado pelo tempo; esse, se foi. Agora sou leve como peça de seda. Enfim posso dormir...

Janilma Lins
Tags: noite silenciosa

As vezes o que pensamos ser o final, é apena um novo início!

Janilma Lins

Um sábio mantém olhos e ouvidos bem abertos para aprender evitar situações perigosas e a boca bem fechada para não criá-las.

Janilma Lins

Há três momentos bem comum em que a maioria das pessoas voltam a ser elas mesmas: fúria, embriaguez ou quando acha que o fone de ouvido do outro está no máximo!

Janilma Lins
1 compartilhamento

Entre a paz e a razão, pela evolução espiritual e a saúde física eu escolho a primeira opção!

Janilma Lins
1 compartilhamento

Você tem o dom de me deixar sem palavras quando olha em meus olhos.
Quando segura meus cabelos deixando o meu pescoço a mostra, provoca arrepios em meu corpo ao sussurrar bobagens em meus ouvidos, e de igual modo, quando me beija com paixão.
Suas carícias me enlouquecem e logo me entrego a ti, me tornando teu prazer.
A cada toque, te desejo mais que tudo. Intencionalmente, deixo as marcas de minhas unhas na tua pele, só para que saibas, que eu te quero mais que antes.

Janilma Lins
2 compartilhamentos

Sinto falta da troca de mensagens bobas ao longo do dia e, de cada pequeno detalhe de ti, dos quais me apaixonei... Sinto falta de te ouvir dizer que o dia foi duro, que está cansado e precisa deitar-se. Sinto falta de adormecer enquanto velo teu sono. Sinto saudade de acordar no meio da noite e te ver dormir igual criança...

Janilma Lins
1 compartilhamento

O silêncio da noite é rompido pelo sopro do vento sobre a casa. Em meu quarto, a luz da luminária é refletida dentro da xícara de chá frio e intocado.
Tento ler ou assistir algo que me pareça interessante, mas nada me prende...
O sono se apresenta, mas as memórias de momentos felizes insistem em permanecer em minha mente.
A caixa de lenços descartáveis quase vazia.
Lágrimas escorrem em minha face.
Beijo a única lembrança física de ti.
Deito no lado esquerdo da cama, olhando, o espaço que você deixou.
Concluo que não é a solidão que me aperta o peito. É a falta de ti aqui dentro dele.

Janilma Lins
1 compartilhamento

Eu me prendi na doçura do teu olhar, na sinceridade de tuas palavras e no teu jeito de amar.
A simplicidade e bom humor em ti, me fascinam. Faz a vida parecer menos complicada.

Janilma Lins
2 compartilhamentos

Quando te fecharem uma porta, independente da intenção, estão dando-lhe a oportunidade de ver que há outras portas abertas e, lhe tornando capaz de vencer todos os novos obstáculos.

Janilma Lins
1 compartilhamento

O toque suave dos seus dedos e lábios redesenhando cada detalhe do meu corpo, provocando, arrepios que vão, além da pele em sintonia perfeita.
O cheiro delicado de canela nos lençóis, nossos perfumes, a pouca iluminação e os sons reproduzidos nesse momento, deixam explícitos desejo o prazer na forma mais doce entre dois seres.

Janilma Lins
1 compartilhamento

Atendo ao teu chamado cheio de desejo e, beijo teus lábios com paixão. Sigo reproduzindo cada detalhe do teu corpo com lábios e carícias.
Enfim, misturo-me suavemente ao teu corpo, como um rio que se mistura ao mar.
Entrego-me a tua vontade por inteiro.

Janilma Lins
1 compartilhamento

Ela me seduziu com seu jeito menina de ser, num corpo de mulher.
Seus olhos grandes e negros, contornados por cílios longos, simplesmente hipnotizam o homem menino que, facilmente se apaixona.
Seus lábios carnudos cobertos pelo Baton, enchem meus olhos de vermelho.
Sinto que meus lábios desejam os dela.
A forma de como se veste, provoca encanto indescritível. Não sei descrever tais coisas.
Não sei o que fazer; cada gesto que ela produz, faz meu coração gelar.
Ela é sensualidade em todas formas possíveis, enfim, ela é, sedução. Sempre me surpreende com seu jeito menina mulher nos lenços que usa pra prender os cabelos escuros. O jeito de andar e parar. As roupas mescladas em vários tons, as vezes justas, as vezes esvoaçantes.
Por quer ela faz isso comigo?
Será que ela me quer ou quer brincar de bem me quer?
Nos afazeres cotidianos, seja onde for, e como for, não perde o brilho de ser menina mulher.
No banho e após ele, provoca multidões de sensações ao circular pelo quarto.
Quando envolta em toalhas, rouba meu ar. Quando se veste ou despe, me paralisa dos pés a alma.
Tudo se rompe quando ela diz:
Vem pra cá, menino!
Como não ir?
Como resistir?
Acho que os deuses do Olimpo sucumbiriam ao seu charme. Nenhum de nós a possuiria sem sua vontade.
Sim, ela nos consumiria após mostrar o caminho e, o jeito de fazer amor.
Ela é assim:
Menina por fora, por dentro, ardente mulher.
Pobre homem que sou,
não resisto ao seu chamado.

Davs Almeida
1 compartilhamento

Ascendo um cigarro e, a memória da noite passada parece se reproduzir na fumaça.
O cheiro dela... Se desfaz na lembrança de sua pele fresca junto ao aroma suave de alfazema que sinto nos lençóis.
A cada trago, lembro-me de seus beijos com sabor frutal do batom vermelho rubi. Parece que sinto a maciez dos teus lábios na minha pele.
Cinzeiro, cinzas e pontas de cigarro. Lembranças da cama desfeita, dos nossos corpos largados e exaustos de tanto fazer amor só por amar...

Janilma Lins
1 compartilhamento

Pingos de chuva escorrendo no vidro da janela do quarto.
Enquanto observo... Seus lábios, suavemente deslizam pelo meu pescoço e ombros.
Com uma das mãos, solta meus cabelos, enquanto com a outra, segura minha cintura.
Na vitrola a doce voz francesa de Piaf em La vien en rose.
Que momento perfeito. Chuva do lado de fora. Palavras, carícias e troca de olhares.
Apesar do tempo...O quarto é aquecido pelo amor.

Janilma Lins
1 compartilhamento

Encosto meu rosto em seu peito e, sinto seu perfume levemente amadeirado.
Seus pêlos se movem ao ritmo da minha respiração e, com as pontas dos meus dedos em movimentos circulares​ e imperfeitos, descubro sua pele macia. O som da sua voz serena me envolve em seu corpo, enquanto sua mão, afaga meus cabelos. Carinhosamente beija minha testa.
Seu calor, a penumbra, o silêncio me conduz aos mais doces sonhos, onde mal algum pode me ferir enquanto durmo em seus braços.

Janilma Lins
2 compartilhamentos

(EU)

Encosto meu rosto em seu peito e, sinto seu perfume levemente amadeirado.
Seus pêlos se movem ao ritmo da minha respiração e, com as pontas dos meus dedos em movimentos circulares e imperfeitos, descubro sua pele macia. O som da sua voz serena me envolve em seu corpo, enquanto sua mão, afaga meus cabelos. Carinhosamente beija minha testa.
Seu calor, a penumbra, o silêncio me conduz aos mais doces sonhos, onde mal algum pode me ferir enquanto durmo em seus braços.

(Ele)

Sinto teu rosto macio no meu peito. Seus cabelos negros e perfumados escorrem por todo meu tronco. Minhas mãos deslizam por toda extensão deles, fio a fio entre dedos. Digo palavras doces afim de que adormeças.
Enfim, ao perceber que sua respiração se torna leve como quem é vencida pelo sono, beijo sua testa num gesto que diz: Boa noite, meu bem. Até já.

Janilma Lins Davs Almeida
1 compartilhamento

Nossos olhares se cruzam, os lábios se tocam.
O calor, o cheiro e fluidos se fundem a ponto de nos tornarmos um só, enquanto o ambiente se perfuma de amor ao som de dois tambores.
Respiração ofegante, um sorriso suave, nossos corpos suados e trêmulos largados lado à lado; exaustos mas ainda conectados pelos mesmos sentimentos.

Janilma Lins
3 compartilhamentos

Os primeiros raios de sol vem trazendo o som da mais bela orquestra e uma essência suave quase imperceptível;
O bule dança sobre as chamas espalhando um novo perfume enquanto novos sons surgem aos poucos abafando a beleza do primeiro.
A rotina chega e junto o esquecimento do milagre de acordar.

Janilma Lins
2 compartilhamentos

Há momentos em que as palavras são como lâminas afiadas e deveriam ser usadas com cautela.

Janilma Lins
1 compartilhamento