Coleção pessoal de Giandra

1 - 20 do total de 77 pensamentos na coleção de Giandra

Desde que me lembro tenho sido minha, pensando bem até quando não queria
Eu por mim nessa correria
Mesmo com alguém sempre estive só
Meus amores foram só efeito dominó
Foram tantas lágrimas pela estrada
Que hoje desaprendi a chorar
Não é frieza,nem nada
Só meios de se curar
Mais o dia renasce traz a fé e recomeço
As vezes fujo as vezes pago o preço
Tenho andado tão desacreditada
Boa parte das pessoas me deixa enojada
Coleciono cicatrizes e tatuagens
Uma esculpe a pele
Outra minhas verdades
To sempre tentando levantar alguém
Talvez seja uma forma
de não me afogar também
Tudo se tornou tão artificial
É dificil até definir o que é real
Tenho a mente no futuro
Coração antiquado
Não se adapta a realidade de amores rasos
To sempre entre a intesidade e a espada
Tipo Cazuza exagerada
Mais a nenhum pés jogada
É sempre tudo ou nada
Uma veia mística
Sempre me eleva
Minha intuição
Evita alguma quedas
Nunca soube cuidar de mim
Hoje exemplo pro meu menor
Talvez o que aplaque o meu lado pior
Mais mesmo sem tudo se encaixar
Vivemos esperando poder ser par com quem se apaixone pelo nosso ímpar.

Giandra Meyne

De onde eu venho o águia perfura telhado de morador
De onde eu venho o blindado perfura parede de morador
De onde eu venho o soldado perfura corpo de morador,
E vocês ainda se perguntam onde é que mora a dor,

Política de combate as drogas só existem na favela,
A covardia é que droga também existe fora dela,
A bala nunca come dentro de um condomínio
O que ela não come na pista come entre becos em vielas

Por isso os menorzin cresce revoltado
Não podem nem ir pra escola é tiro pra todo lado,
A educação é a verdadeira salvação
Mas como vamo botar na prática se quem impede é o próprio estado

A luz que clareia nem sempre ilumina
Esconde essa criança as ruas tão tipo mina
Se a polícia não esculacha
Ainda tem bala perdida
A gente nasce bom
A vida que contamina

A primeira arma a ilusão de ser vilão
Vira estatística é mais um corpo no chão
E sempre o nosso sangue fazendo o jogo do estado
Enquanto sobe o lucro o nosso lado ta devastado

É tanta dona Maria na luta do dia a dia
Rostos cansados em meio a toda correria
São lágrimas que escorrem
Histórias esquecidas
De quem gerou, criou
E na calada a covardia levou.

Nunca é natural o ciclo aqui não segue
A maioria nem começa a vida
Ta preso ou no iml
Aqui só Deus é por nos
Até seu melhor amigo vira seu algoz
A policia atormenta em busca de mixaria
Enquanto no asfalto
Gente grande rege a branca fina.

Giandra,Matheus

Tamo correndo atrás do fim do sofrimento
Seguindo a sina
Sem tempo pra lamentos
Atrasa lado
Nao chegam aos pes dos meus fechamentos
Eu sempre no corre atrás de um intera
Sempre buscando uma onda maior
Nessa caminhada estreita
Os pela a esquerda curvo me a direita
Sempre ideia de futuro poha me respeita
Brisam em embaça o meu baseado
Enquanto em fazenda de políticos o avião ta' carregado
A caminho dos nossos e nao vai te esparro
Carro forte na favela todo saquiado
Acredite trabalhamos a mando do estado
Pique robim hood
Nem é apologia
Mais vocês só sentem no bolso
Nos nas dores do dia a dia
Tem outro caido é sempre um daqui
Ne sei quantos amigos assisti parti
Minha mae com medo deu cola pracinha ali
Pq ela sabe do meu beck e do seu mimimi
Desde pequeno convivemos entre a guerra e paz
O tráfico levando os melhores
Pro aqui jaz
O passo mais simples é legalizar
Mais a propina do estado não pode parar
Imagine quantas vidas isso pode salvar
Mais talvez somente as farmacias fossem lucrar
Exceto se a gente pudesse o verde plantar
To ligada que o que dita é seu preconceito
Enquanto se afunda no wisque
Fala mal de maconheiro
Seu filho sobe o morro pra vim compra
Quer paga de envolvido
Mais como diz racionais é da ponte pra cá
Na de la se acham melhores e pra armas tem porte
Isso significa que o pobre nao pode
Temos familias como vcs poh n somos bandidos
Pode subir de caveirao que vai ser tiro a tiro
Mais a bala perdida
So acha o alvo
Em pele de favelado
Forjaran mais um menor
Nem era envolvido
Mais sem nome influente
Morreu como bandido
Ele n teve a chance de estudar nem nada
Mais era conhecido por toda baixada
Morreu sem merecer
E foi fita dada
Dona maria ja nem tem agua pra tanta lágrima
A mídia expondo seu menino
Ela tentando velar
Pedindo a nosso senhor que dê um bom lugar
Eu peco ao meu senhor pra nunca deixar o perigo e nem o inimigo um dia em mim tocar, e peco protecao a todos quem vem de la, na travessia da vida o erro e nao arriscar
Por na mente que a corrida em busca de milhão
Sempre é sua mãe em volta do caixão
Que toda disposição e ser acelerado
Termina num presidio um número pro estado
Entende que correria te torna apenas um fato, e por poucos lembrado, pros amigos passado e ganhara flores dia 2 de finados.

Giandra, Janaína

É nego tu bagunçou comigo
Robou meu raciocínio
Sua voz invadiu o quarto
Chegou no coração sem pedir espaço
Onde era liberdade a gente criando laço
E eu me perguntado se eu me encaixo
Tu querendo corpo,calor e presença
Eu tentando ver o que é k.o
E o que é permanência
De você sempre sinto sinceridade
Mais é que sentimento envolve tanta pluraridade
Talvez o medo de errar seja só vaidade
E o ego dominando a realidade
Talvez a gente deveria até tentar
E se não der em nada letra não vai faltar
Eu tenho mo facilidade de me apegar
Se tu abrir a porta posso até ficar
Eu sempre fujo de me machucar
So piso onde meus pés podem firmar
Mais se tu me diz vamo arriscar
Eu largo todo resto pra te abraçar
Eu segurando o ponto para não emocionar
Você atropelando tudo sem racionalizar
Não sei nada sobre altar
Mais no dia a dia vamo fechar
O mundo retrocedendo
Tu querendo iniciar
A vida parando
Eu pensando em acelerar
Mais de certa forma se me entregar
É por as mãos no fogo pedindo para não queimar.

A gente tenta até falar de amor, mais nossa sina é ta sempre lidando com a dor, a gente é tão fácil de se decifrar, mais preferem a superfície de não se apegar

Vc deve se achar bem esperto
Espelho na lateral e no teto
Mais tu ta afim de algo discreto
Sou mais q isso entao me despeço
Tu sabe que querer eu quero
Mais ve bem ai, seu lado incerto
Tu nao quer nada de concreto
No final me vejo sozinha
Vc chega e me alucina
Hj nem to no clima
Ele trabalha no talento por cima
Poh eu sei q as dores ensina
Mesmo que me deprima
Sempre naquele bar da esquina tento seguir minha sina
Equilibrar a emocao de menina
Sobresaindo smp , nego imagina
Qria ta cntg, entao explica
Lembrando qnd tu sorria, no final eu smp sofria
Hj minha cama ta tao fria e a minha mente tranquila.

Giandra, Janaína

Você é pureza tipo sol da manhã
Chega do nada dá o papo
Me conta da suas correrias
De que quer o melhor pra levantar sua rainha
Eu torço para você a cada dia
Você é verdade que contamina
E melodia e poesia
Tu é complexidade
É naturalidade
Resolvendo divergências
Alimentando nossas experiências
Tu me pede em casamento
Eu insisto em aceitar
Sabendo que a realidade é ser impar não par
Fazemos da loucura
Uma forma de se elevar
Ninguém consegue entender nossas conversas
Nem a gente se pá
Eu geminiana peco em te decifrar
Nunca sei quando tu fala sério
Quando ta a marola
Nem a onda do baseado
Rouba tanta brisa
Nem as teorias teriam tanta química
Raciocínio é fácil difícil é pensar
Talvez seja por isso que insisto em ficar
Tu é presença que nem um estado consegue delimitar
Tu foge de mim nas batalhas
Quero ver se perto vai aguentar
Tu agradece por estar presente
Mesmo com toda distância iminente
Eu agradeço por tu ficar
Ouvir minhas bads
E sempre voltar
Tu diz que quer se manter consciente
Fugir de letra ostentação e manter sua verdade
Eu peço Deus que te de caminho e livre de toda maldade
Tento me afastar para não te embaça
Tu diz que não incomodo
Então tu que trate de me aturar
Eu sou tempestade e intensidade
Você fé e liberdade
Escrevemos tanto sobre cotidiano
Nem percebemos o ponto que conversar se tornou parte do nosso
Talvez seja só minha mania
De se apegar
Tu é muito mais que reflexo tem que se conhecer para perceber
Tu é tipo aqueles livros que a gente não se cansa de ler
Nem todas as palavras
Nem todas frases e rimas
Seriam capaz de explicar o quanto nossa energia combina
E se tratando de poesia
Precisava colocar esse verso
Mesmo em meio a dor
Mesmo só conhecendo espinhos e pouco amor
Se tudo der errado ainda teremos a composição, pra reescrever a punho toda ilusão.

Giandra Meyne

No meu nascimento foi um tormento
Tava minha mãe, minha vó e meu Orixá
Meu pai não foi comprar cigarro
Tinha saido para jogar
Ausência que se repete anualmente
Mais hoje não é pelo jogo
É por ser indiferente
Minha mãe carregou o peso dos dias
Dois filhos, sem casa, pensão, ou presença
Salário de professora, três horários sem nunca poder tirar licença
Sofrimento no rosto estampado
Sacrifícios e um câncer de legado
Hoje no céu cobre seus filhos
A paixão seu neto um menino
Mesmo em conflitos toda minha gratidão
Quando olho meu pequeno
Volto ao clichê hoje te compreendo
E tanta renúncia,medo e luta
E viver entre a sanidade e a loucura
Uma mãozinha pequena me conforta
Me envolve e me tira sorrisos
Quando olho nos seus olhos vejo o infinito
Por você viraria o mundo de ponta a cabeça
Por você sempre vou além é uma promessa
Cada choro me corta
Mais a gente suporta
Tu ta apreendendo a lidar com todos os momentos
Mesmo pequeno faz sua parte
Organiza as coisas
Me ajuda na correria do dia
Aqui encerra o ciclo de machista da familia
Respeito e postura é o que te passo
Que Oxalá guie seus passos
Que nunca te falte caminho para caminhar, sonhos para realizar, sorrisos pra encarar
Cresça meu menino, descubra o mundo, não se perca do amor ele apesar dos espinhos cura toda dor

Ah família,família é lar, e saber sempre pra onde voltar, é quem te levanta quando o mundo machucar, que seja de sangue, que seja de alma, família é quem nos ensinar a amar.

Meu exemplo de homem foi meu irmão
Mesmo mais novo
Sempre me mostrou a direção
Mesmo não concordando
Sempre cuidou de mim nesse mundão
Bravo, dono da razão
Mais depois de tropeços vi que eu nem sabia tanto assim não
Cumplicidade de nascencia
Dividindo a dor e a crença
Amor e laços de alma
Me ensinou a manter a calma
Que o fogo queima e nem sempre é preciso arriscar
Traz em si os ventos de Oyá
Mais é colo e carinho
Nunca me deixando tombar
Entre erros e acertos vamos tentando equilibrar
Entre conquista e rumores
Deixa os falador se engasgar
Eu amo você mesmo maior que eu
Sempre será meu bebe
Mesmo longe sempre to por você
Independe do caminho sempre será meu menino.

Giandra Meyne

Eu ando na pretensão de te ter
Mais sei da sua trajetória
Procuro sempre me envolver
Sem pertencer
De estar sem depender
Um segundo seria o infinito perto de ti
Todo tempo pequeno no desejo de sentir
De todas minhas escritas a mais sincera tem sido você
De todas minhas linhas
Nenhuma te definiria
Que seja amizade
Que seja saudade
Que apenas seja
Você é confiança sem receio
De todos os dias meu anseio
É luz que me ilumina
Paz que contamina
Se por acaso chegou
Se veio da dor
Esteja por certeza
Sem cobranças
Suas palavras não são alianças
Sua intensidade combina com a minha
Mais nossa trajetória ainda distância
Tu diz que gosta do que escrevo
Que vê sentido nos meus devaneios
Eu amo tua voz, sinto cada canção no violão
Cada letra que te espelha
Eu evito me mostrar
Tu consegue me ler
Eu evito focar
tu diz pra pensar em você
Eu poderia me acostumar a de algum modo te querer
Você é cuidado diário
Carinho inesperado
Inspiração e rotina
Mesmo longe a melhor companhia
Poderia dizer que amo te ter
Mais é muito relativo
Então eu amo todo esse tempo contigo
E se for ou ficar
Só posso agradecer por hoje estar.

Giandra Meyne

Louca tipo chapeleiro
Sā pique gangster
Tiramos você do seu conforto
Arrebentamos sua falsa ilusão
Sem igualdade
Só se pode colher corpos no chão
Viemos do outro lado
Pra concertar sua visão
Sem direitos basicos
Pregar amor não passa de forçasao
Não força a barra
Nem esbarra
Ando sem tempo
Pra tanta simpatia
Para tanto julgamento
Na dificuldade so ficaram os de verdade
Me ensinaram a quem estender a mão

De judas em judas, aprendemos a não pedir ajuda
Visão e postura das ruas, não é pagando é vivência e consciência

Nao paga de intimo cmg
Nao te conheco nem sou amigo
De simpatia nao preciso
Nao e pagando de loka
Mais desse ai morreu narciso(referencia)
Eu e vc na rua e delito
Falo uma vez e nao repito
O meu legado ta escrito
Sair de bonde nao quero isso
Minha protecao é cristo
Eu sei quem ta cmg e quem trama so no vacilo.

Giandra,Janaína

Já me disseram que o final de tudo é nada
Que somos passageiros da mesma estrada
Mais a diferença social grita na calada
Sofremos opressão de quem usa farda
Farda a favor do estado
Tira a humanidade de pés descalços
Onde nem toda fé é capaz de resistir
Onde nem toda voz é capaz de insistir
Entre o fuzil e a fome
A morte e o drone
Também escorre sangue inocente
Também leva a esperança de quem não pode nem chegar a ser gente
Eu vi tantos amigos partirem
Nunca há tempo pra se despedirem
O sangue que escorre, a disputa entre si
Enquanto o estado genocida apenas ri
Pátria amada desonrada
De sangue a sua bandeira foi manchada
Sangue indigente, inocente,preto e periférico
Feminicídios crescentes
Racismos e preconceitos presentes
Limpeza social pela elite arquitetada
Fascismo em ascensão
Traição entre irmãos
Olhos cansados em meio a multidão
Tudo tem seu preço
Poucos valor
Sorrisos são sóis iluminando a dor.

O diabo veste farda
O diabo veste prada
Com rico é pistola no coldre
Com pobre é pistola destravada,

Oq me difere de ti é a forma de agir e a forma de pensar
Eu pretendo conquistar o mundo, tu pretende me matar

O caos presencia a humanidade sem camisa e de pés descalços
Ingenuidade que não lhe permite entender
que a insanidade agride só um lado

Meu comando neural e meu canal vocal são conectados a becos e vielas
Pois a merma voz que sai de mim é a voz que sai da favela

Entre o fuzil e a fome
A bala é a que mais come,
Jorra sangue inocente
Que tu não enxerga do iPhone

É tantos que partem dessa pra melhor
Mas quem permanece sai dessa pra pior
Hipocrisia mata maconheiro
Enquanto separa com o cartão mais uma carreira de pó
Pátria amada que idólatra um boçal
Que não se importa com a patria só com sua economia no final.

Giandra , Matheus

Tenho te visto por ai
online em redes sociais
Feliz e cheio de amiguinhas
Se entregando a paixões banais
Há dias não troca ideia
Já que agora tanto faz
Não vale a pena ta perto
e sina deixar pra trás
Melhor se acostumar vem coisa boa por ai
Vc perdeu uma de fé e mete o loco msm assim
Eu nem sei como pensei, sou eu por mim até o fim
Ta suave mesmo assim você dai e eu daqui
Nãoo pensa que eu esqueci ainda tem foto tua aqui, cola no sapatin
se não e explano tudo sim


Vamos reconstruir reinados,deixar o mundo girar,quem foi que vá,quem vem virá


Não explana nem deixa colar
Tu é foda vai se levantar
Amor não é migalha pra gente implorar
Não é quebra cabeça não tem que desmontar
Quem perdeu com sua ausência que aprenda a lidar
O neguinha vem comigo bora chapar
O mundo da voltas e nessas voltas tu vai se reconquistar
Tu é dona de si não se deixe enganar
Deixa partir quem nunca teve pretensão de ficar
Nossos devaneios não vão nos salvar
A solidão é uma prisão para quem não sabe voar
Tu não é passagem é paraíso
Não aceite menos que isso
Não se deixe enganar
Todos sabem o valor
A maioria só foca em usar
Não é trocar ouro por bijouteria
É querer os dois na pretensão de rotular
Não é um love song
É sobre reaprender a se amar.

Giandra,Janaína

O que posso fazer pra te trazer de volta
Eu penso e sonho contigo e a verdade me acorda
Sempre me faz sentir que sem você nada
importa
O pôr do sol já não me empolga
Quem tu pego não me incomoda
Só chega e entra, fecha a porta
Faz o que tua nega gosta, mas, baby tu promete que fica?
Já é a terceira volta, e não resisto dessa vez se você for embora
Saudade de quem eu amo sempre me deteriora
A solidão não só machuca, ela me explora, eu só pensei na melodia e soltei essa agora

Tu pode até enrolar mais já sei qual é, que não vai ficar, é só uma viagem se iludir,se tu quisesse estaria aqui.

Ah,se eu pedisse pra ficar,se meu orgulho numa bandeja te entregar,tu ficaria, faria tudo ser diferente sem se importar com o passado infeliz,com a língua de quem se contradiz,tu ficaria me faria sua segurança,de mão dadas tipo dama,toda sua na sua cama,nossa história sem mais drama
Eu sempre na contramão do coração
Perdoe toda minha intensidade
Vivo andando só
Buscando te encontrar nessa cidade
Eu que odeio laços
Faria lar entre teus braços
Geminiana,bipolar buscando a liberdade
E tu chego bagunçando toda minha verdade
Não sei falar de amor
Tanto tempo sentindo dor
Não vou implorar pra ficar
Só do o papo pedindo ao céus pra tu gostar
Me enrola na tua cama
Esquece o mundo lá fora e toda essa gama por grana
Vamo viver de clichês,esquecer todos os porquês e apagar da nossa história esse talvez
Se tu for tudo vai desaguar,se tu for nego o coração vai sangrar.

Giandra, Janaína

Ambiguidade desfazendo certezas
Palavras e solidão servem a mesma mesa
Embreagando toda monotonia
exalando pureza e poesia
Licença poética para dizer
Em cada frase formada se entender
Permiti tocar a perdição
Em busca de quaisquer vestígios de emoção
Lembrar que o sangue pulsa bombeando o coração
A alma corre se equilibrando
entre razão e emoção
Se entregar ao desconhecido
Sorrir a beira do abismo
Mesmo sem assas tocar o céu
Como ícaro as vezes se queimar ao sol
Em um mundo de Narcisos
Ver espelhar além do reflexo
Não se afogar no próprio ego
Não se limitar na superfície
Como a água busca o oceano
Enteder que o melhor lugar é onde toda intensidade deságua e vira imensidão
Que todo infinito está a um toque das mãos
Um corpo ao acaso
Traz alívio a carne
Esvazia a alma
Somos mais do que aparentamos
Existimos nas solidões que acumulamos
Nas palavras medidas
Nas saídas de cenas repentinas
Quão alto o seu silêncio pode falar
Quantas verdades só seu olhar pode revelar
Nunca foi sobre ser alguém
Mais sobre ser
Sem moldes ou correntes
A sua essência mais pura
A única que redime e cura.

Giandra Meyne
Tags: ambiguidade

O doce em excesso pode ser amargo
A confiança uma fiança
Aliança sem ouro
Trocar de máscaras
Ou permitir ser
Ser real, fugir do banal
O coração um oceano de emoções
Intensidade de cada dia
Em meio ao novo e monotonias
Despir toda concepção
A flor da pele,a flor da alma
Ebulição de pensamentos tiram toda calma
Somos seres vagando em busca de ser par
Se desfazendo em cada insistência de ficar
Renascendo em cada nova possibilidade de se entregar
Entre a vida e a morte
Se esquivando entre acasos e sortes
Expectativa são castelos de areias
Não sobrevivem em solos frágeis
Alimentando coerência
Medindo passos
Encontrando espaços férteis
Corações não são colecionáveis
Pro amor não existe reposição
O tempo nem sempre é opção
Nem toda liberdade liberta
Nem toda permanecia é prisão
Os "ses" no caminho
Buracos negros do hoje
De tanto raciocinar
Descobrir que nem toda razão é racional
Que não precisa ter sentindo mais fazer sentir
Que cada um tem as mãos o próprio inferno ou paraíso.

Giandra Meyne

Eu gosto de astrologia
E você escorpiano
Eu falo sem parar
E você raciocinando
Desculpe minha vertente geminiana
A minha intensidade me fez perder a postura de dama
Na verdade todas as palavras só me levariam a sua cama
Sentir é tão simples
E a gente só complica
Buscando respostas num labirinto sem saída
Me deixa nos seus braços
Esquece todo acaso
E se for além
Se for seu bem
Fica, só fica
Por hoje ou toda vida
Me deixa curar todas as feridas
Foram tantos laços tantos nós
E agora nos
Faça da liberdade
Morada da reciprocidade
A sós,cama e lençóis
Vamo ver juntos o por de vários sóis
Sentir o gosto do vinho
Alcançar o infinito
Minha boca busca a sua
Pele e alma nuas
A brasa da intensidade
Queima toda a vaidade.

Giandra Meyne

O mesmo sol que queima aquece
A diferença é a intensidade
Deixa sentir sem possuir
Ficar sem se insistir
Deixa molhar
Deixar a chuva levar
Esperar florescer
Para sobreviver a vida
É entender que tudo cicatriza
Queda,subida
Entre intervalos
Histórias repetidas
Finais e alternativas
Jogar consigo
Controlar a mente
Esperar o tempo abrir
Sonhar talvez te guie por aqui
Reservas de esperanças
Regam as secas da alma
Quantos estão lá
Quem vai te levantar
Entre karma e destino
Sempre caminho
Seus passos podem guiar
Seus espaços te afogar
Recuar, se curar
Não somos o agora
Não somos o que fomos
Somos a metamorfose de ser
A possibilidade de se refazer
A instabilidade de se escolher
A maior prisão vem da definição
A maior liberdade de viver sua verdade
Seja lucidez ou insanidade
O ego some quando o espírito arde
Silenciar se escutar
Transcender as barreiras
Entre a carne e a alma
Sinceridade a toda prova
Juiz de si
Pagando o preço por existir.

Giandra Meyne

Enquanto o mundo solta as mãos
Eu querendo a minha na sua
Como por acaso morar na sua rua
Tão perto,tão longe
Deixar sentir
Fazer morada em si
Esquecer todo o risco
Fazer florescer sorrisos
Se a alma sente o corpo pressente
Olho no olho
Buscar no olhar motivos para ficar
Encontrar no abraço
Vestígios de lar
Acelerar todo tempo
E em cada toque parar
Virar inspiração
Sem nem sentir a pele
Buscar caminhos no coração
Acasos que se transformam em laços
Laços sem ser nó
Desatando história
Criando memórias
Buscando encaixar palavras
Onde nenhuma é capaz definir
Frases que tem o peso
De emoções que insistem em surgir
Pensamentos que se encontram
Sentimentos como reflexo
Uma fuga desse universo desconexo
Equilibrando a razão
Em cada passo
Até pelo acaso
Teu corpo no meu
Sua energia misturada com a minha
Sem promessas ou garantias
Entrelaçando destinos
Pretensão de ficar
Reciprocidade de cada dia
Carinho e companhia
Pessoas que parecem lar
Que iluminam a tudo que tocar.

Giandra Meyne
Tags: sobre alguém

Existe uma grande diferença
Entre ter vivência
E se imaginar ter
Entre aprender na rua
E absorver pelo virtual
A cicatrizes e dores
Que só sente quem é real
Quantas vezes deu sua cara a tapa
Quantas vezes sangrou sozinho
Quantas quedas pelo caminho
Vencer quem desacredita
Quem te impossibilita
A vida
A rotina
O conformismo
A idéia de paraíso
A solidão
Ou o medo de ser
De ser real
Ser carnal
Correr o risco
Pagar o preço
Entre o café amargo
O sono esperado
Quem foi você
Quantas vidas viveu
Tocou a alma
Pressa ou calma
Ir ou vir
Amar ou deixar passar
Tirar a máscara
Longe de projeções
Sem reflexos alheios
Ou se alimentar por ilusões
Ser protagonista ou apenas sobreviver
Arriscar ou se conformar
Não existe o caminho
Apenas o caminhar
Guiar os passos
Iluminar a própria escuridão
Seja por pura pretensão
Seja por medo ou paixão
Entre o ego e o coração
A balança sempre em suas mãos
Não precisa ser faca de dois gumes
Não precisa fazer sangrar
Entre a perda e o medo do desconhecido
Ate a queda de certa forma te guia
Planos podem ser enganos
Ou uma forma de se refazer
Não é sobre sonhar
É sobre viver.

Giandra Meyne

Voz que encanta
Voz que declama
Traz luta e poesia
Doçura e correria
Escrever é liberdade
Mais como definir o indefinível
Como explicar
Como expressar
A grandeza de viver
O encantamento de ser
Transcender a realidade
Em alguns pontos encontrar sua verdade
Dias e dias curando suas feridas
Se guiando pela sabedoria
A dor que fez sangrar
É a mesma que faz elevar
Amadurecer sem se perder
Sofrer sem fazer doer
Mesmo em meio ao fel
Escolher ser mel
De várias definições
Nenhum se encaixa
Toda perfeição
Em simplesmente ser real
Persistir em sentir
Arriscar se mostrar
E mesmo em meio as quedas
Saber voar
Equilíbrio exato
Coerência e vivência
Sina de artista
Música e melodias
Toca a vida,toca a alma
De tom e tom
Letras e sons
Se recria
Da solidão conhecida
Se esquiva em meio a idas e vindas
Se amar e se enxergar
Ver o reflexo nítido
O sorriso reconstruído
O olhar intenso
De quem aprendeu o caminho
Entre o coração e a razão.

Giandra Meyne

Quando era criança todas as pessoas eram revestidas de sol, algumas vezes havia nuvens mais geralmente eram sóis,brilhavam, aqueciam, faziam sorrir, então a gente cresce e deixa de acreditar,começa a ver nuvens e tempestades, se sente só,perdi abrigo por mais que exista lar, começamos uma busca por se encontrar em meio a multidão,encontrar abrigo e algo que traga vestígios da luz e calor,vezes acreditamos ter encontrado até a primeira tempestade torna tudo claro, a ponto de esfriar e causar um extremo cansaço de ir além da superfície, de preferir o abrigo ao risco de se molhar, se prender a qualquer segurança,sem perceber que evitando fora,fazemos chover dentro,que não existe segurança ou garantias mais antes o risco da dor,do que a dor com medo do risco.

Giandra Meyne

Levanta o black
Levanta a voz
Recupera seu trono
Traz de volta toda majestade arrancada
Sorri pra vida
Inocência e malícia
De liberdade anda revestida
Foi tanta queda
Que hoje só importa a subida
Traz sobre suas assas cicatrizes
Tantos vôos turbulentos
Tantos amores tesouras
Fênix de si
Morrendo em cada prazer
Renascendo ao amanhecer
A solidão refúgio de quem conheceu o desamor
De quem sabe o preço do amor
Olhos que seriam capazes de se fazer perde a sanidade
Corpo que exala resiliência e vaidade
Linda por excelência
Um Beck na mão
Enquanto a fumaça sobe
A vida diminui seu peso
A mente livre vai se encontrar
O presente,passado e futuro
De ponta e ponta no mesmo lugar
Vooa alto acima de todas essa hipócrisia
Faz do seu destino cada dia
Deixe brilhar e iluminar
A escuridão dessa gente que não sabe voar.

Giandra Meyne