Coleção pessoal de eduardomognon

1 - 20 do total de 33 pensamentos na coleção de eduardomognon

Até o certo uma vez se tornou errado, descobrindo que o certo era seu próprio eu.

Eduardo Mognon Ferreira

Nossos sonhos somente serão reais, quando abrimos mão de nossa difilcudade.

Eduardo Mognon Ferreira

Anoitecer

Noite magnifica
Cheia de surpresas
E fixações.

Vasta pela brisa leve
Do iniciar da
meia-noite.

Sons levianos
Que me induzem
A ver o que me
ilude.

Verde lírios
Que se desprendem
Lentamente de
Minhas mãos
E seguem o caminho
Da sua jornada.

Com um grande
Sorriso, vejo meu
Coração fazer
A disritmia de
Tudo aquilo que
Posso tocar
e sentir.

A noite bela
Por si, vai
Se despedindo
Com a luz
Que os raios de
Sol, mostra à
Escuridão.

E sem retroceder
Nem um segundo
A mais, vasta
De graça some
De minha visão
E fica em minha
Salvo em minha
Alma.

Eduardo Mognon Ferreira

Descrição de meu fim.

Um acordar de uma manhã.
A certeza de perder
Sonhos e desejos
Para o decorrer
Da vida.

Passos falsos
Que ditei aos meus
Olhos, me levaram
Ao um lugar do qual
Já não consigo sair.

Subir é inútil, escapar
É bobagem, permanecer
É impossível.

O frio em meu corpo
Mostra que a hora
Chegou.
Viver ali para sempre
Era tempo demais
E muito pouco para
Mim, que medo
Tinha de meu mundo.

Minha mente, confusa e
Atordoada já não sabia
Nem ao menos o que
Sentir. Se entregar
Era o que me restava
Levado para o inferno
que temia mais,
No qual me encontrava.

Fazia dos meus
Passos os primeiros
Dos últimos que o chão
Iria pisar.

Se me palavras fossem
Necessária para descrever
Tudo que estava vendo,
Ficaria calado.

Indiferente do que pensei
Tudo me destruia
E sentido minha pele
Como um papel que
Lentamente se rasgava
Com os olhos
Famintos da besta.
Orava para que piedade
Fosse usada naquele
Momento e poupasse
A dor de minha alma.

Sabia que não podia
Pedir o que nunca
Acreditei que fosse
Acontecer.

Vagarosamente e
Com muito prazer
De sua parte, me tomou
Por inteiro e que me fez
Entender.

A vida é a passagem
De seus dias mais
Escuros e que a luz
É o conforto daquilo
Que ainda não viveu.

Eduardo Mognon Ferreira
1 compartilhamento

Perder de meus dias

Meu sorriso,
Já não tem mais
Graça a mim mesmo.

Minhas lágrimas,
Já não escorrem de
Meu rosto. A brisa
Leve que carrega o
Nevoeiro de lugar,
Me traz lembranças
Da qual a morte
Sempre me contou.

Se meus olhos hoje
Vê o que vivo não
Está mais, é porque
Um novo dia ainda
Tenho que viver e
Mostrar as todos
Que me arrastam,
Onde realmente
Fica o inferno,
Dentro de você.

Se o medo ainda
Persistir em me seguir
Darei a ele o que pede.

Minha alma pura o entregarei
E deixarei que meu
Corpo vasto
De graça,
Rodeie os seus sonhos,
Até sua essência
Não lembrar de
Meu rosto.

Eduardo Mognon Ferreira

Sem Você

Meu coração está
Cansado, implorando
A sua voz.

Meus olhos não
Descansam sem
Ver o seu rosto,
Leve e puro.

Minhas mãos
Já não tocam
O chão e o céu
Pois amarradas
Estão esperando
O seu perdão.

Minhas pernas
Já não sentem
As batidas de
Meu corpo
E caem, fracas
Perdem a vontade
De andar.

Minha alma
desgastada por cada
Segundo sem ouvir
Seu respirar, se
Entrega a morte
Para encontrar a
Paz de viver sem
Ter você.

Eduardo Mognon Ferreira

Libertar
Eu não vivo mais de passado,
Eles morreram junto com cada
Neuronio que foi gasto neles.

Não devo lembrar de minhas
Dores,
Elas so provarão que ainda não
As venci.

Destrui toda a minha história,
Limpei o papel branco,
E escrevi com letras transparentes.

A essencia que descreve o caráter
De um alarmante grito preso em
Um espaço que a propria dor já não
Cabia mais.

Libertado pela voz da verdade, que
Alto respirou por ter um novo começo
E a certeza de não ter mais fim.

Eduardo Mognon Ferreira

Meu Eu

Um espelho me cerca
Futuro, passado e presente
avisto.
Ondas de ar
enchem meu espírito
de vida.

Erros, Desejos,
vontades, amores
e medos.
tudo vem a tona.

Nada vai embora
tudo me consome.

escorrego devagar
caio sobre nuvens
vazias que descrevem
Meu Eu.

Eduardo Mognon Ferreira

Repugnância

Rupgnante Destino,
que se faz ao querer
sentir o gosto,
amargo de corpos
sem valor.

ó ignorância sensitiva
ao desejar obsenidades
obscuras de objetos
sujos.

Consciência desesperada, ermo
apreensivo.
com a disgraça
de querer o que não
se pode pensar

ânsia de anseios
rústicos e soberbos,
que mostram as
falhas da malícia.

Eduardo Mognon Ferreira

Pátria

Verde explorado, latente
a queimar, de um futuro
que jamais existirá.

Dourado único,
de sentidos mútuos
de pensamentos adversos.

Azul de disputas
vazias,
com objetivos
quebrados.

Branco singelo,
de uma pequena parte,
faz transparecer a essência da
pátria.

Eduardo Mognon Ferreira

Diário de um adolescente

Um olhar desconfiado
Que diz toda a incerteza
Que seus corações
Guardam.

Um mundo totalmente
Banalizado por seus
Atos e feridos por suas
Vontades estranhas,
Mas não menos inoscentes.

O novo mundo que sempre
Partiu de idéias como raios
Que brilhavam no céu de
Suas mentes, e como gritos
Padecem em ficar consigo
Mesmo.

Uma visão diferente de tudo
Que já foi visto, uma história
Escrita pela nova era, manchada
Por um preconceito desconhecido
E infantil, de adultos que por menores
Que sejam agem mais pequenos que
Sua própria dignidade e fortificam
A sede de destroir a maquina que mudará
Suas vidas.

Eduardo Mognon Ferreira

Ser você

Sentir algo diferente,
Ao falar com você
É algo inevitável e indispensável.

Quando paro para pensar
Em minha vida, vejo que
Você já faz parte dela.

Suas palavras tão sinceras,
Sua inteligência imensurável
Concerteza me faz pensar em
Só em você.

Seu jeito tão humilde e meigo
De ser, suas desculpas tão
Sinceras já faz meu coração
Acelerar.

Não consigo mas controlar
Minhas vontades, mas sei
Que todas elas incluem
Você do meu lado.



Dedicatória: Tâmara Lis Romano

Eduardo Mognon Ferreira

Não use a razão como seu destino, faça da sua vontade a sua felicidade.

Eduardo Mognon Ferreira

Floripa

Ilha,
Bela que fica a cada
Novo raio de sol,
Que passeia sobre o mar
Grosso da praia solitária.

Encantada, por suas
Lendas e embruxamentos,
Lembrada pelas rendeiras
Da lagoa.

Lua brilhante e noite
Fervente,
Lendas urbanas
Com culturas distintas
E simpatia constante.

Magia que faz toda
A diferença,
Na beleza do surf e
Da dança de roda,
Da renda e da pesca
Do sorriso e da boa gente.

Tudo que uma ilha reuniu
Em pequenos gestos a natureza
Retribuiu, fez a ilha a magia
De quem a passa e a lembrança
A quem não a retorna.

Eduardo Mognon Ferreira

Quebrar de correntes

Fuji, pela primeira vez
Me sinto livre.
Já posso sonhar novamente.
Minha mente já sabe que tudo
Acabou.

Me regenerei em pequenos
Passos e fiz uma fortaleza
Que me deu coragem e força
Para vencer o sofrimento
Que me fazia chorar.

Olhava por um espelho
De ilusões e sempre via
Seu rosto mudo e frio
Como se não me amasse
E não sentisse o mesmo
Por mim.

Sabia que era hora de mudar
E de respirar novos ares.
Viver em uma prisão é
Para culpados, coisa
Que meu coração nunca foi.

Seguir em frente e ter certeza
De quem me cerca faz o meu
Mundo ser diferente é o que me
Faz viver.

Eduardo Mognon Ferreira

Palavras

Não significa nada ?
Eu so estaria mentindo
Para mim mesmo.
Quem sabe algo dentro de mim
Sempre escondeu o que sentia.

Muitas vezes meu destino,
Virava a página de um livro
Sem folhas.
Me contava segredos sobre
Voce que eu tinha certeza que
Eram verdades.

Nunca desisti de um sonho
Perdido em um mundo que já não
Me fazia sorrir.

Sai do caminho verdadeiro e encontrei
Um anjo que me deu a mão quando mais
Precisava e me mostrou que para
Alcançar o que precisava so preciso
De voce, hoje meu anjo que em silencio
Canta a minha canção.

Eduardo Mognon Ferreira

Larissa Franciny de Souza

Que sorriso é esse ?
Aquele que encanta
e te faz mais bela.

Que sinceridade é essa
que transparece em cada
momento que seus
lábios pronuciam uma
palavra.

As qualidades são
marcas que levamos a
vida inteira.os gestos
mais simples mostram
uma pessoa incrivél

Seu olhar somente
refaz aquilo que
seu coração manda

E com pequenas petálas
desenham lindas flores
que fazem do seu aroma
mais belo que o brilhar
das estrelas.

Ser completa, é ser feliz
sendo diferente e amando
aquilo que um dia te amou
e que vai sempre te amar.

Eduardo Mognon Ferreira

Livro da vida

Páginas abertas,
A cada nova oportunidade.
Todos os movimentos
Captados em letras
Que devagar dizem o que
Você é.

Leitor de mentes,
Cauteloso e impiedoso,
Faz de suas mentiras
Os seus maiores defeitos.

Calado, conta com o movimento
Dos olhos, aquilo que a morte
Nunca iria descobrir.

Filtrador das informações
E dos temores não curados,
te mostra o futuro enquanto
destrói o seu presente,
para nunca mais lembrar de
seu passado e a história
sempre o início do seu próprio
fim.

Eduardo Mognon Ferreira

Ser poeta é.


viver a vida como um filme
E gravar na memória cada
Lágrima, sorriso e expressão.


Retirar do fundo de sua alma
A canção que canta em cada
Coração.
Fazer de singelas palavras,
Modestos passáros que viajam
Pela cabeça vazia de um mundo
Distante.

Recuperar todas as forças
E transforma-las em lindas
Rimas que fazem de seu olhar
Uma pureza de se apreciar,
Na imensidão de seus lábios,
Onde me perco em cada
frase que construo e
Por tijolos de papel faço
A minha pequena casa,
Que escrevi com minhas
Maõs.

Pulsar das veias o orgulho
De usar as letras para
Encantar e refazer um lugar
Perdido em um humano
Triste e sozinho que perdeu
A vontade de sorrir.


Criar um sonho, que é a
Sua própria realidade,
E vivenciar o que de melhor
A vida tem a me mostrar, e
Com cada respirar da natureza
Mais uma forma de tudo mudar.

Eduardo Mognon Ferreira

O Vencededor de Guerras

Não julge sentimentos puros,
não faça de meras verdades
a sua religião.

Use a sua cabeça,
deixe que o seu coração
sintonize as batidas
De seu cerebro.

Se Arrependa do
que conquistou com sangue,
E não do que fez
de coração.

Sorria em todo
Por-do-sol
e agradeça
não por ve-lo
mas por mais
uma vez ele vir a te
mostrar.

Lute, lute e lute
e só chore quando
não tiveres mais batalhas
e já tenhas conquistado
a guerra.

Se a vida é uma caixinha
de surpresas.
sempre queira abri-la
para que um novo
segredo assim se faça
revelado e com isso
a luz da verdade tomar
Aquilo que um dia te
roubou por ainda
não estar pronto.

Eduardo Mognon Ferreira