Coleção pessoal de deboraalmeida

1 - 20 do total de 66 pensamentos na coleção de deboraalmeida

Espelho

E nesses teus olhos
Da cor mais gostosa
Que vejo
E me vejo
É nesse espelho
Que reflete
O que realmente sou
É nele que me busco
Que me perco
É nessas íris avelã
Que vejo toda a felicidade
Toda pureza
É esse olhar que
Desejo ver
Enquanto em mim
Houver fôlego

Débora Almeida

Felicidade

Foi quando
Eu não procurei
Que te encontrei
Foi quando
Eu não confiei
Que fui surpreendida
Quando eu não mais esperava
Que tudo aconteceu
De uma forma rápida e inesperada

Será que isso não passa de
Um sonho?
Não quero mais acordar.
Mas é algo tão real
Não preciso sonhar para vê
É só abrir meus olhos
E contemplar
A realidade mais linda.

Débora Almeida

Surpreenda-me

Surpreenda-me
Com o seu jeito de ser,
Como uma criança,
Na descoberta da vida,
Como um homem,
Na descoberta do amor

Surpreenda-me
Como se eu fosse única
Com o seu gostar
Como olhar de
Quem olha pela ultima vez

Surpreenda-me
Como o poeta
Em sua poesia

Surpreenda-me
Arriscando,
O seu futuro
Comigo

Surpreenda-me
Com o seu olhar
Com o seu sorrir
Com o seu respirar

Surpreenda-me
Apenas...
...Sendo unicamente
Você.

Débora Almeida

É difícil
Para mim ficar
Longe de você
Pois estou
Lutando contra o meu
Coração e contra
A minha mente.

A minha mente não esta deixando
O meu coração
Falar
Quando estou
Perto de você
Meu coração
Se encolhe todo
E minha mente manda
Mas quando estou eu vou dormir
Meu coração martiriza,
Pois você vem a minha mente
E então eu vejo que
Perdi a oportunidade
De esta ao seu lado

Débora Almeida

Sabe,
Eu não queria
Me apaixonar por ninguém,
É ai que você chegou.
Meus sentimentos
Estão confusos,
Não é por que quero,
Mas acontece.
Tentei controlar,
O meu coração.
Porem não deu certo,
É ele que agora me controla.

Quando vou dormir
Não consigo,
Pois penso em você.
Se consigo dormir,
Em meus sonhos você aparece
E logo quando acordo
Você esta na minha mente,
No inicio era controlável,
Mas agora...

Sinto sua falta,
Não te vi hoje
Com meus olhos,
Mas com o meu
Coração
Te contemplei.

Tenho medo
De me entregar
A esse amor
E não ser correspondida,
E ser iludida

Será que realmente
Você gosta de mim
Ou
Está só encantado?

Uma coisinha só
Lhe peço
Não
Me deixe só

Tenho medo de você
Descobrir
Um dia
Que não me ama

Tenho medo
Das conseqüências
De esta com você.

Meu coração
Estar ferido,
Ele não suporta
outra decepção.

Débora Almeida

que o branco não é preto?
Ou amarelo não é vermelho?
Fazeria alguma diferença?
Por que o “A” não “B”?
Ou o “X” não é “Z”?
Será que mudaria o sentido?
Se o “1” fosse “2”, ou
O “3” fosse “13”, importaria?
Se a cor branca for chamada
De preta ela mudaria
Sua tonalidade?
Só por causa da nomenclatura
Mudaria alguma coisa?
Ou ficaria a mesma?
Se o direito fosse Chamado
De esquerdo,
Erraríamos o caminho?
Ou tudo é uma questão
De escolha ou de significados?

Débora Almeida

Para que pensar negativo
Se tem o positivo
Para que enxergar o lado ruim
Se o bom é melhor
Para que lembrar de tristeza
Se é melhor rir com a alegria
Para que pensar o porem,
Se ta tudo bem
Se vai ser ruim ou bom
O melhor é curtir enquanto
Ta legal, depois é depois
Para que ficar angustiado
Com algo que ainda não
Aconteceu
Ou quem sabe
Não acontecerá

Para que brigar comigo
Se beijar é melhor
Para que discutir
Se conversar é mais divertido
Para que ser contra
Se a favor é mais fácil

Para que perder tempo
Se pouco temos
Ou é melhor fazer
Cada minuto proveitoso
E agradável

Débora Almeida

Quem disse que você
Tem o direito de tirar
Vidas?
Se você não a cria;
Por que destruir?
Se não reconstrói;
Por que derrubas?
Se não levantas;
Por que armas?
Em vez de abraços?
Por que violência?
Se somos iguais.

Débora Almeida

que sofrer,
Se inventaram
A alegria?
Para que chorar,
Se rir é o melhor?
Para que rancor,
Se há amor?
Para que esperar,
Se podes ir atrás?
Para que fugir,
Se não há saída?
Para que a morte, se há vida?


Sou feita de pequenas
Partículas de interrogações
Quando uma se choca com
A outra, surge um novo Conflito dentro de mim.
Busco uma resposta, mas
Encontro mais interrogações
Busco explicações, mas só
Encontro perguntas
Busco uma saída
Mas só encontro dúvida.

Débora Almeida

Não somos como duas metades
Pois a metade não volta a ser
Unidade
Mas somos um,
Homogêneos
Fundidos e
Indivisíveis

Débora Almeida

Na busca
De sabores
De cores
De paixões
De rumo novo
Na busca do desencontro
Do inexplicável
Encontrei você.

Débora Almeida

Amor
Incompreendido pelos
Normais
Sentido pelos
Normais
Feito para os
Normais
Buscado pelos
Normais
Completa os
Normais
Alvos dos
Normais
Mas inexplicável aos
Normais

Débora Almeida

O meu amor por você não varia

Não importa se a noite
Esta linda
Como a lua,
Nem se o Sol brilha
Ou as nuvens
Encobrem o dia,
O que eu sinto por você
Não é parcial
Como o tempo

Meu amor por você
É uma constante de
Afetos,
Carinhos,
Amizade,
Reciprocidade
E de amor
Que cresce
Gradativamente
Com sua
Presença!
Obrigada por cada
detalhe que você
Me proporcionou
Mesmo que eu não diga
Mais eu notei,
Ele fazem muita diferença
São os detalhes que
constrói relacionamentos.

Débora Almeida

Quem não ama
É o mais infeliz
Dos mortais
Com pode alguém não
Amar
Se é o amor tão
Belo e inspirador
Se com ele o inverno é primavera
Se brigamos sem discutir
Isso é amor
É dar muito de si
E receber
Muito mais...

Débora Almeida

Os nossos sonhos
Pararam no ar
Os nossos pensamentos
Pararam no tempo
Os nossos beijos
Adiaram
As nossas brigas
Por mim, que não voltam
O nosso reencontro
Você escolhe quando
Já estou lhe esperando,

Débora Almeida

Para que?

Namorar,
Por namorar?
Não tem graça!
Namorar,
Sem beijar?
Ih!
Namorar,
Sem amizade?
Esquece!
Namorar,
Sem felicidade?
Não entra!
Namorar,
Sem cumplicidade?
Não adianta!
Namorar,
Sem amor?
Fala serio!
Namorar,
Para acabar?
Não comece!

Débora Almeida

Por toda a minha vida
Guardarei,
A amizade,
O amor
Que descobri ao
Te encontrar

A beleza de nossa
Comunhão, refleti
Em seu sorriso
Traços de ternura
E paixão

Por que o amor
Nos traz sofrimento?
Por que sofre amando,
Ainda é gostoso?
Por que amar mesmo
Distante?

Débora Almeida

Amor,
Você não sabe o quanto
Me faz feliz
Só em escutar
A sua voz
Por alguns minutos,
Sinto como
As minhas forças
Fossem renovadas.

Recordar de você é ao
Mesmo tempo
Triste e feliz,
Acompanhado do desejo
De tornar a vê-lo

Débora Almeida

que você não me deixa
Em paz, nem por um
Minuto tenho sossego
Por que me perturbas tanto
Achou pouco ter me deixado
E quer ainda deixar marcas
Na minha vida

Larga dos meus pensamentos
E sonhos
Não posso nem fechar
Os olhos,
Se estou de olhos
Abertos, sinto você
E quando fecho, lhe vejo
Até parece que estais
Me vigiando
Deixas-te algo, que
De maneira alguma
Me fará esquecer de ti
O amor que plantas-te
Cultivas-te, regas-te
E colhestes
Não tem como
Esconder e omitir
Te Amo!!!

Débora Almeida

Sonhar...
Que o amanhã
Chegará, é isso que
Todas as noites quero,
Acordar e contemplar
A beleza de um amanhã
E saber, que
Terei você ao meu lado
E nunca mais cometerei
A loucura de
Deixar você cometer
O mesmo erro
De me deixar.

Débora Almeida