Coleção pessoal de camargoeb

Encontrados 17 pensamentos na coleção de camargoeb

paredes
(mesmo as de vidro)
são masmorras por certo
nos comprimem a morte
de forma lenta e gradual
sem ao menos sair do lugar

Edson Bueno de Camargo
1 compartilhamento

Demônios são criaturas que tem o saber como uma de sua fomes,
a ignorância dos homens aguça mais os seus apetites.

Edson Bueno de Camargo
8 compartilhamentos

Sempre imaginei que livros queimados em praça pública em manifestações nazistas, livros queimados em fogueiras de autos de fé, livros triturados e amalgamados em novo papel higiênico, se transportavam para as bibliotecas do inferno. Os destruidores da Biblioteca de Alexandria, trazidos ali originalmente para cuidar dos volumes desta, catalogavam e cuidavam deste precioso acervo. Depois, bibliotecários sádicos, maus poetas e beletristas, passaram a cumprir ali seu castigo eterno. Mais tarde ainda censores papais e de insipientes ditaduras completaram os cargos remanescentes.

Edson Bueno de Camargo
1 compartilhamento

sempre por amor
se matou e se deixou matar
e assim será por séculos e séculos

Edson Bueno de Camargo
1 compartilhamento

os cabelos de minha amada
novelo de Ariadne
me conduzem pela noite escura
pelos labirintos que me afligem

Edson Bueno de Camargo
4 compartilhamentos

esses cabelos de minha amada
têm cheiro de erva e flores
é como retorno a casa
terraço a contemplar deserto
animal de fruto liberto
os cabelos de minha amada

Edson Bueno de Camargo
2 compartilhamentos

tenho receio de escusas
se estas se multiplicam miríades de estrelas
desculpas são como mentiras
não se prescindem umas das outras
e se multiplicam ao infinito

Edson Bueno de Camargo
1 compartilhamento

meu avô materno tocava ocarina
um pedaço de barro que soa como um oboé
por mais que tentasse
nunca consegui imitá-lo
tocar ocarina foi meu primeiro de sucessivos fracassos

Edson Bueno de Camargo
1 compartilhamento

quartos de guardados são cemitérios de almas
não há paraíso para reminiscências
há sempre improvisos de inferno
tentação de olhar para trás

Edson Bueno de Camargo
1 compartilhamento

ai daquele que confia sua dor aos outros
mal aventurado o que mente
o que planta sementes em terrenos estéreis
o que busca água nos desertos
o que despreza o mar por ser grandioso
e busca alento nos regatos das montanhas

Edson Bueno de Camargo
1 compartilhamento

o poeta e o louco da aldeia tem o mesmo destino
de acreditar que insensatez é verdade
de ter poder de criar mundos com palavras
melhor o palhaço que faz rir
e ri de todos
guardando o choro para o escondido das cortinas

Edson Bueno de Camargo
1 compartilhamento

aquele que vive entre serpentes:
sibila

Edson Bueno de Camargo
1 compartilhamento

o pires sustenta a xícara
se movido
moverá o universo
se universo se perderá no branco


uma formiga peregrina na parede
em um passeio marcial
carregando o infinito em suas patas

Edson Bueno de Camargo
1 compartilhamento

psicografar poemas
dar voz a velhos
fantasmas
é ato perigoso
qual dançar sobre
abismos

é torcer tramas de corda
para o próprio enforcamento

Edson Bueno de Camargo
1 compartilhamento

(toda mulher é um vulcão domesticado
a guardar terremotos em seus zelos
e perigosos orgasmos)

Edson Bueno de Camargo
1 compartilhamento

quero uma mulher que seja tu agora
e nos séculos dos séculos dos séculos

Edson Bueno de Camargo
1 compartilhamento

tenho o estranho hábito
de comer maçã olhando o horizonte
esta insondável natureza
de degustar nuvens com os olhos
em insolência aristocrática

Edson Bueno de Camargo
1 compartilhamento