Coleção pessoal de anjodequerra

Encontrados 6 pensamentos na coleção de anjodequerra

COMESSO E FIM

Uma das coisas a qual aprendi foi que para nascer temos que jorar , mas espero em deus que para morrer ao envés de jorar possa vir um sorriso e a alegria de que foi deus a que vei me buscar.

Jorge Alex da Silva Baptista
1 compartilhamento
Tags: rosa morena//de\\vda

Minutos Horas Dias

A alegria é como uma brisa que vem e vai! para simplivicar nunca é auco duradouro, por mais que queiramos.

Jorge Alex da Silva Baptista
1 compartilhamento
Tags: rosa morena//de\\vda

SEGREDO

Hó!mar que de tão grande se perde no horizonte,digame com o seu brando susurrar a verdade a que se esconde.
Pois o segredo agui quardas, aguese o coração de minha amada.atraves de seu susurro molhado e pelo meu beixo doce que nela foi dado .E vem o anoiteser!e com ele o contemplamento que nos da o sentimento a vida,que por aqueles que amam jamais sera esquecida.

Jorge Alex da Silva Baptista
1 compartilhamento
Tags: rosa morena//de\\vda

Silêncio

O silêncio não só foi feito para os mortos,mas também para os vivos!

Jorge Alex da Silva Baptista
1 compartilhamento
Tags: rosa morena//de\\vda

MARCAS DO PASSADO.
Sei que é difisiu esqueser o passado,pois mesmo que o passado fique para trás,você sempre estara no meu presente,e dizer-lhe que ti amo não seria dificil se o tempo não nos separase, assim vivo e alimento os meus sonhos e pensamentos com a sua imagem que me tranguiliza e me da forsa para continuar no caminho da vida camiho este que seus passos estão gravados.

Jorge Alex da Silva Baptista
1 compartilhamento
Tags: rosa morena//de\\vda

Definitivo

Definitivo, como tudo o que é simples. Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos, por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos. Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Por que sofremos tanto por amor? O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável, um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso: Se iludindo menos e vivendo mais!

A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável. O sofrimento é opcional...

Martha Medeiros
13 mil compartilhamentos
Tags: rosa morena//de\\vda