Coleção pessoal de AlcyOliver

1 - 20 do total de 31 pensamentos na coleção de AlcyOliver

Em momentos escuros e frios, necessário é olhar para dentro de si e encontrar o Criador, que nos amou primeiro.

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora

Hipocrisia e dissimulação... O que eu queria era minha cama, meu lençol e neles me encurvar e só acordar quando a tempestade que está em meus olhos passar!!!

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora

Ele jura amor “eterno enquanto dure”, numa melodia conhecida. Sinto-me uma criancinha em seu colo ouvindo sua voz carinhosa e possante. Como é bom ser de alguém. Eu amo toda a forma de amor, e me sinto muito feminina ao seu lado, ele trás toda segurança que uma mulher como eu precisa

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora

Observar sua sombra me faz contemplar sua beleza incomum: homem alto, nariz perfeito, boca bem desenhada. Põe o desodorante, em seguida um bálsamo spray e como fica ainda mais sedutor quando se perfuma, (reflito). Enquanto veste a calça vejo o quão elegante é.
Apanha a camisa branca de seda, passa por trás de suas amplas costas e abotoa-a com tranqüilidade enquanto se direciona ao lavabo. Ouço o barulho da água caindo em pranto, enquanto escova seus dentes

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora

Verão – Março de 2011
Hoje às cinco da manhã acordaram-me com um delicado barulhinho, olho para o lado onde ele dorme e... Ele não está. Assisto sua perfeita silhueta do outro lado da persiana que se move lenta ao vento do ar-condicionado fazendo-me sentir uma frieza imediata. Olho-o com admiração e ternura. Ele não sabe que estou desperta e, deste modo continua se arranjar do seu jeito, muito naturalmente.

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora

Necessitam os dois para:
“Algo de melhor acontecer para ambos”.

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora

"Ela era uma boa mulher nas horas de crise"

Maurício Santino
1 compartilhamento

Por que falar de ti?
Como não amar alguém tão sublime? Incorruptível é tua alma minha preciosa, pois o Senhor trabalha na tua vida desde o ventre. Sim, creio que a tenha escolhido para trazer alegria e conforto aos que acham que a vida não tem muito sentido. Queríamos muito tê-la e para nos dar todas as alegrias que os pais almejam, veio, a mais linda criança de toda a maternidade (essa historia é verídica e posteriormente será contada de como um bebezinho faz um hospital todo parar para vê-lo).
Por que falar de ti? Só porque aos treze anos de idade com o corpo de dezesseis, a cabeça de vinte, muitas vezes mais “careta” mais madura “anos luz” que a mãe que teme em crescer, sofrer, envelhecer. Por quê? Porque toca lindamente seu violão e ainda porque faz belíssimas composições engrandecendo ao seu Deus por tudo que Ele representa pra ti?
Sim, certamente por tua determinação de fazer as coisas acontecerem mais serenas perto de ti. Porque com tua bondade e olhar meigo me sinto mais próxima de Deus. Vou agradecer ao Senhor todos os dias por tê-la como filha. Obrigada por me escolher para ser sua mãe, sua amiga.

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora

Sonho Real
Bm G
Eu te encontrei
A D
E no mesmo instante te amei
Bm G
Foi um sonho tão real
A D
E eu “sabia” do amor
(Refrão)
G Bm
Deus te enviou para mim
D A Bm
E eterno vai ser nosso amor
G Bm
Sei que eu vou te amar
D A Bm
Porque Deus te fez para mim
Composição: Millena Raiane
https://www.facebook.com/pages/Millena-Raiane-Cantora-Compositora/708657729176366?fref=ts

Millena Raiane
1 compartilhamento
Tags: compositora/cantora

Seres de luz
Fatos que me ajudam a superar e tentar me superar como pessoa, como mãe, como mulher são seres que me envolvem com seu amor e paz. Minha filha Millena é um desses seres de luz que me fazem refletir como a vida vale à pena.

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora

Sentia-me vazia: de Deus e do meu amado!

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora

Sentia-me suja e confusa. Ao mesmo tempo em que com minhas mãos tateio minhas vestes agora ensopadas com a chuva hostil, pingos gélidos caem ininterruptos em meu rosto. Tento sair daquele espaço escuro e não consigo ao menos uma animação. Algo me prende. Talvez meu próprio medo. Dei um amplo suspiro e o que consigo é um punhado de água nas minhas narinas, sorvo água afoita refletindo a possibilidade de estar num sonho ruim.
Sozinha e com muito frio deito as mãos no chão enlameado e pouco a pouco consigo me pôr de joelhos com dificuldade, na minha frente assisto ao que parece ser um amplo matagal. Dou um sorriso discreto e aperto meus lábios que agora tremem de frio. Não posso estar desperta, afinal não há nenhum bosque no nordeste. Não está frio por estas bandas. Será que acabei, morri me escafedi como dizem meus conterrâneos? Entro em pânico sentando-me no chão imundo. Choro involuntariamente.
A idéia de ser mau devaneio ainda me alentava, pois eu não poderia estar morta de jeito nenhum. Saúde perfeita. Sem cogitação, refletia enquanto tentava ficar de pé novamente. Arrisco enxugar as lágrimas, mas claro em vão, pois a água da chuva parece não desejar poupar a minha dor e o meu frio.
Do mesmo modo em que fico de pé vejo uma luz que modifica de cor constantemente, sendo o vermelho mais intenso. Vou de encontro àquela claridade que mesmo tão distante parece me convidar a ir ao seu embate e mesmo com receio vou adiantando os passos delicadamente.
Uma expectativa me vem ao espírito. A chuva parece não estar tão agressiva agora, sinto até uma animação no meu ventre. Não consigo saber o que significa aquele auxílio enquanto me aproximo em passos lentos para a luz brilhante de variadas cores. Parece não estar tão escuro agora. Olho em volta e posso vislumbrar um lago, que parece não conter água e sim lama. Continuo... O tilintar da água caindo naquele lago fazia um som jocoso, o único som que se ouvia. Mas não me contive em olhar, estava mais impressionada com aquela claridade que me incentivava a prosseguir. O frio não existia mais, apesar de minhas roupas e meus cabelos continuarem molhados sentia certo conforto por saber que desvendaria o mistério de estar num lugar tão esquisito e nunca visto antes.
Árvores espantosas e secas compunham aquele lamaçal, não havia qualquer folha verde, nenhum fruto de época, plantas, flores menos ainda. Também não vi e nem ouvi nenhum animal, nem inseto, nem pássaros por mais exóticos que fossem naquela hora estava fazendo tremenda falta. O firmamento estava totalmente sem luz.
Não existe sentimento pior do que o estar sozinha. Sentia-me vazia de Deus, do meu amado, das minhas filhas e de mim mesma. Continuei com aquelas passadas pesadas e lentas. De repente aquelas luzes vieram ao meu encontro como se dançassem em sons metálicos dos quais estou acostumadas a ouvir.
Não havia som apenas visões. Silencio-me fechando os olhos por um instante ao lembrar o meu amado rei que pede tanto que em momentos turbulentos nos calemos para ouvir o som do coração. É isso! Deu-me um estalo. Não estou em outro mundo que não seja o meu. Contudo continuei acompanhando as luzes em volta de mim convidando-me a seguir.
Penetrei com toda aquela claridade num espaço claro, vazio e sem ruído algum. Experimentei várias sensações, quando as mesmas luzes passavam por mim, paravam e vislumbravam-me em tons claros e escuros simultaneamente. Pareciam sorrir amplamente tocando em meu rosto com suavidade. Senti um enjôo repentino que me fez cair prostrada ao chão.
Não sei por quanto tempo fiquei ali, por mais que tentasse não conseguia retornar. Recebi no corpo por algum tempo uma mistura irritante de frio, calor, dor, medo e outras tantas que não tem como descrever em expressões. Algum tempo depois quando consegui vagarosamente abrir os olhos... Estava encolhida no meu quarto... E as luzes que me convidavam a refletir já não estavam mais, apenas à intrigada lembrança de toda aquela dança e sensações. A penumbra da madrugada me acenava a transpor meu intimo e entender que eu sou o que proponho ser e naquele momento eu me sentia um grão de areia, totalmente vazia de amor.
Quão tristonho foi esse sentimento de impotência (medito). Lembro-me daquele que me amou em dias frios e escuros iguais ao excêntrico sonho que tive a pouco e no meu interior nasce a mais pura esperança: - Que “podemos fortalecer um ao outro, tendo como prioridade gerar amor, respeito e comunhão no dia-a-dia”.
Quando o homem e a mulher decidem tratar dos problemas de relacionamento familiar tendo cuidado de que ninguém se prive do amor, e de que nenhuma raiz de amargura, germinando, nos confunda, e por ela muitos se corrompam tudo fica bem. Quero fazer o reparo que for preciso, mas decido pela saúde da mente e do corpo da minha família e de mim mesma.
Esse é o único meio pelo qual todo o peso do passado é removido. Necessitamos extrair todas as origens de aflição que foram construídas porque toda procedência de dor produz frutos azedos e nós fomos atraídos a viver uma vida de perfeição.
Momentos ruins passarão sempre, porém é bom que se tenha essa franqueza plena e olhar pra dentro de si como eu o fiz.
Levei as mãos às minhas fácies que continuavam molhadas, certamente do pranto que explodia no meu ser. Choro que agora era de libertação. Finalmente adormeci e bem acomodada espero o dia clarear para ligar parao meu amado e dizer-lhe o quanto o almejo sem medidas.

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora

Ajuda-me?
Sinto um borbulhar em meu ventre só em pensar na cena que relatarei a seguir. Porém meus apreciados, relatarei seguramente como experimentei, acolhi, transpus. Espero que entendam que esses relatos só seguirão a fidelidade se os protagonistas me liberarem, eu sim autorizo na minha visão por onde ninguém pode me vetar.


Ajuda-me?
Não posso mais, estou cansado!
Nem pensa na possibilidade?
Teremos tempo para conversar!
Não tô dormindo direito...
Precisa ficar aflita não!
Hoje te juro amor apenas, sem cobranças, quero muito isso... Mas não quero ver você infeliz...
Não agüento mais um minuto de afrontas! Respeito muito você, e penso muito em não desfazer um lar, uma família.
Vou te ajudar meu lindo...
Não gosto de te agredir em palavras e isso vinha sendo uma constante algo está errado e não quero que isso continue.
Nem eu a ti... Amo-te muito como ser humano.
Preciso sair. Fui...

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora

Com bem mais que “um cavalo branco”,
sim com todo amor e carinho que alguém pudesse receber.

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora

Com olhar de desculpas contempla a moça que sorri com sinceridade aceitando de bom grado. Sua mãe por outro lado nem percebe o que havia acontecido. Risos invadem a pequena habitação.

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora

no início do verão, onde os pastos ficam verdes e salpicados de botões - de – ouro, a luz dourada do sol despontava naquela cidade e lágrimas de alegria brotam do rosto de sua mãe e de todos da pequena habitação, nasce o pequeno “Alexandre”, de olhos azuis e cabelos amarelos, uma gracinha as enfermeiras diriam.

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora

Moramos um no outro.

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora

Não abra mão de ter uma família alicerçada nas bases que o amor e a alegria apresentam. Usufrua os benefícios de um relacionamento conjugal inquebrantável, dessa forma só temos a ganhar.
Alcy Oliver

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora

A aflição prejudica o lar e impede que a absolvição chegue até o casal. Logo, não alimente sentimentos contrários em sua vida.

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora

Devemos buscar fortalecer um ao outro, tendo como prioridade gerar amor, comunhão e respeito no dia a dia. Muitas pessoas foram vítimas de agressões físicas, emocionais, sociais e hoje carregam angústia na alma, memórias dolorosas que podem afetar os sentimentos em relação aos causadores e consequentemente em relação ao cônjuge.

AlcyOliver
1 compartilhamento
Tags: pensadora/escritora