Coleção pessoal de AGUSTINOLIM

1 - 20 do total de 73 pensamentos na coleção de AGUSTINOLIM

"Por mais que a vida esteja difícil, repleta de decepções, erros e derrotas, não desanime, pois temos muito poder para fazer de tudo isso experiências para o nosso crescimento."

Agustin Olim
1 compartilhamento

Qual a escolha certa? Aquela que acalma a sua mente e seu coração!

Agustin Olim
1 compartilhamento

"As Vezes diante das circunstâncias parecemos que já estamos evoluídos; no entanto, ao sermos chamados ou testados a certos testes, falhamos."

Agustin Olim
1 compartilhamento

Mudar muitas vezes causam dor e sofrimento, e sei que mudar não é fácil, exige vontade e esforço de cada um. Sei também que existem coisas na vida que não são fáceis.
Mas também sei que vale a pena a gente tentar e se esforçar por algo ou alguém e passar por isso, senão a vida não teria sentido algum. Isso se chama viver na sua plenitude!
O que não podemos é desistir da nossa vida com a desculpa que é difícil, ou porque vai ter dificuldade de superar ou por que vai custar ou exigir alguma coisa de nós.
Podem não acreditar, mas muitas vezes as melhores coisas da vida estão fora da nossa zona de conforto, é assim que crescemos e nos fortalecemos o nosso entendimento diante das adversidades do nosso cotidiano. É assim que evoluímos.
Não se engane e nem se iluda pelo caminho fácil e tranquilo em qualquer área da vida. Ninguém constrói uma vida plena e saudável, recuando ou fugindo a todo custo daquilo que exige alguma coisa de nós.
Nós precisamos, algumas vezes, abrir mão de nossas próprias vontades e renunciar desejos em prol de outros, trabalhar uma mudança de caráter fraterno, de caridade, amor, beneficência, benevolência, bondade e compaixão.
E é justamente aí onde muitos desistem. Nós vivemos em um tempo de facilidades, onde muitas coisas têm sido simplificadas no nosso dia a dia e isso vem aumentando com o passar dos tempos, e muitos não percebem que a cada dia estão se tornamos egoístas, só enxergando o próprio umbigo.
Todo mundo quer tudo para ontem e o mais descomplicado possível, só que não dá para a gente experimentar coisas maravilhosas sem pagar nenhum preço. Tudo na vida tem um custo!
Creio que isso significa que sempre precisamos melhorar e buscar as mudanças necessárias em muitos aspectos das mais diversas relações que temos para nosso próprio benefício e crescimento.
Pensemos nisso!

Agustin Olim
1 compartilhamento
Tags: auto ajuda

Nunca nos esqueçamos de que, quando plantamos algo de bom na vida de alguém hoje, amanhã quem te recompensa é Deus pelo resultado da sua prática.

Agustin Olim
1 compartilhamento

Bom dia!!

Me veio hoje esse pensamento “Medida Certa”

Tudo na vida tem a medida certa, isso é fato, tudo nos é necessário, mas os excessos causam dor e sofrimento em todos os aspectos da vida.

As vezes conseguimos perceber ou enxergar o que fazer, mas aí vem a falta de coragem em tomar uma decisão ou assumir a nossa fragilidade diante das coisas, tem pessoas que nos fazem sofrer quando estão juntos e quando tomamos alguma atitude, sofremos depois, sofremos com a separação e com coisas sem nenhuma explicação plausível, o que é isso? Como superar isso? Onde estou errando? São muitas das indagações que inundam as nossas mentes.

Mas por que dessa angustia dentro de nós nos fazendo ter a sensação de impotência diante de tudo e todos, não conseguimos nos desvencilhar dessa dor, como arrancar dentro de nós, o que fazer?

Não é fácil passar por essa experiência, porque quase sempre achamos que estamos certo, nos apegamos as pessoas, as coisas e as nossas verdades, ficamos inseguros com a mudança que se faz necessária para nossa proteção, deixando de perceber o que realmente necessitamos para nossa felicidade.

Os excessos em todos os sentidos entorpece as percepções da alma, bagunçando as nossas emoções, trazendo para o meio a ansiedade, a compulsão, a pressa e a insatisfação sem limite causando stress e sofrimento.

Mas como saber o que é excesso em minha vida?

Acredito que só vivendo para saber, cada qual com o seu pote de medida única e proporcional ao seu entendimento e de acordo com a sua compreensão, não existe uma receita de bolo, acredito que é proporcional ao nosso entendimento das coisas, quanto mais sabemos e conhecemos os verdadeiros sentidos e as verdades da vida, menos sofremos, quando a dor e o sofrimento nos assaltam é sinal que os limites foram ultrapassados da nossa compreensão e que precisamos recuar refletindo os por quês, para depois avançar na medida certa.

Neste dia e os que virão desejo que seja na medida certa para cada um de vocês meus amigos de jornada e de lutas diárias em busca da felicidade!!! Abraços e beijos a todos!!!

Agustin Olim
1 compartilhamento
Tags: auto ajuda

Nestes dias que antecedem a virada do ano, geralmente começamos a fazer um monte de reflexões das experiências vividas até aqui e com os olhos em 2014, tentando encontrar soluções de nossos problemas, angustias e aflições.

As vezes temos o pensamentos que fomos abandonados por Deus e por todo mundo, porque não conseguimos o êxito de nossos projetos ou sonhos diante das expectativas que criamos do mundo e das pessoas e isso nos leva a muitos questionamentos, que se não estivermos equilibrados na razão e na emoção começaremos a procurar culpados dos insucessos de nossas vidas.

Os efeitos geralmente nos leva a um sentimento muito perigoso, como culpa, mágoa, ressentimento, incapacidade, desânimo, desespero, fazendo nos fechar como uma concha que resulta em uma solidão de nós mesmos. Mas podemos reagir.

O fato de se sentir sozinho muitas vezes pode ser uma realidade que demonstra a falta de se ter alguém em que nós possamos confiar, muitos dizem que a pior coisa que existe, é estarmos nos sentindo sozinhos em meio à multidão.

A palavra-chave é confiança, em quem? Em Deus primeiramente e depois de nós mesmo. Pode ter certeza que Deus, não te abandona. Deus, não te desampara. Deus, não te decepciona. Deus, não te esquece.

O que passamos na vida são lições para podermos nos entender, compreender e crescer diante dos projetos que Deus tem para cada um de nós, nestas horas de provações e mudanças de rumo de nossas vidas é que precisamos enxergar além da prova, tudo é questão de necessidade para o nosso crescimento espiritual e moral, porque tudo passa, tudo muda, é o que fica? O aprendizado e o amadurecimento.

As mudanças são necessárias para o futuro possa valer a pena diante dos propósitos de Deus, mas 2014 não vai mudar se a gente não mudar. Não existe o pensamento se vai ser bom ou ruim de acordo com as escolhas que fazemos e sim necessidades de aprendizado para o crescimento rumo a nossa maturidade espiritual.

Tudo é conquista. É preciso trabalhar a confiança de modo a crer na vida, sermos otimistas, é preciso construir atitudes mais positivas, progressistas e adequadas, aceitando uma realidade inconfundível que somos cem por cento responsável pelo nosso destino.

Agustin Olim
1 compartilhamento
Tags: auto ajuda

Quantas vezes ficamos presos em bifurcações sem saber o que decidir, quais caminhos a seguir? Outras vezes, sabemos o que fazer, mas nos falta coragem para decidir.

Deixamos escapar as oportunidades nessa indecisão, observando a vida passar sem realizarmos o que é necessário para o nosso bem estar.

Então cria-se o hábito de reclamar ou procurar culpados, por nossa indecisão esquivando-se das dificuldades e postergando a solução.

E esta nossa falta de atitude nos causa dor, e também aos que nos rodeiam.

Tudo fica mais simples quando nos dispomos simplesmente a sermos verdadeiros com os nossos sentimentos, esta certamente será a melhor para todos, ainda que no primeiro momento não nos pareça assim, pois sempre será um aprendizado de vida.

Se você resiste a mudanças tenha ao menos desculpas novas para dar pelo que você deixa de fazer.

Hoje um novo dia acontece, uma nova oportunidade, tenhamos atitudes simples, mas honestas.

Inicie algo hoje que contribua para sua evolução, pessoal, espiritual ou profissional, começa aí dentro e você, silenciosamente, enquanto organiza seus pensamentos para mais um dia.

Está no ar uma nova manhã... Um novo recomeço.

Agustin Olim
1 compartilhamento
Tags: auto ajuda

Temos o direito de falar tudo que pensamos para o outro? Falar tudo que pensamos é ser honestos e sinceros? Ser sincero nos dá o direito de dizer tudo que pensamos?

Quantas vezes escutamos ou dizemos a seguinte frase "Me desculpe mas eu sou (ou estou sendo) muito franco" sempre seguido de um comentário que geralmente deprecia ou ofende as pessoas sobre vários aspecto e formas.

Tomemos cuidado para observar se quando falamos aos outros aquilo que nos aborrecem estamos falando das frustrações, mágoas e irritabilidade que nossos semelhantes podem produzir em nós.

As reações são sempre proporcionais àquilo que esperamos dos outros, quanto mais expectativas criamos e esperamos nos outros, reagiremos dizemos coisas em nome da franqueza.

Isso também se dá em termos gerais no coletivo, nos processos das comunicações, há pessoas que só tem interesse em mostrar e defender como são perspicazes, brilhantes e de suma importância para o grupo, só querem ensinar e não aprender, acham que agindo assim despertam admiração, sendo o contrário, indica desrespeito moral e descaso, sem falar da falta de educação diante de todos.

Qual a pessoa que gosta de se aproximar de alguém cujo objetivo principal é a autopromoção constante? Quem atura discursos intermináveis baseados num narcisismo oco?

Precisamos ter extremo cuidado com as palavras, pois elas atingem positivamente ou negativamente os envolvidos na comunicação e é de suma importância que a recepção seja clara e objetiva e que se tenha o cuidado de verificar se a informação chegou de forma correta e de modo construtivo.

Talvez a palavra que utilizamos como “franqueza” seja usada de modo inadequada, quando o resultado maltratam as pessoas e criam tormentos mentais.

Será que em nome da franqueza extrapolamos o limite do razoável nos colocando numa posição de intolerância, dando a abertura para uma influenciação negativa sobre o estado de espírito de cada um.

Todas as pessoas têm obrigação de ouvir aquilo que você acha que têm que dizer.

A tal franqueza é, muitas vezes, utilizada para disfarçar uma real situação e que sempre as pessoas que dizem agem grosseiramente, não querendo admitir que são indelicadas, justificando-se dizendo serem francas e falarem sempre a verdade.

Há ainda aqueles que usam a pseudo-franqueza para humilhar os demais e utilizam essa desculpa para apontar os erros e menosprezar os outros, demonstrando na verdade uma falta de compreensão e caridade no relacionamento social e moral.

Não quero dizer aqui, que não devamos falar a verdade ou expor as nossas opiniões, mas precisa primeiro ter um canal aberto desta reciprocidade, as pessoas estarem abertas e em busca de sua construção interior e de aceitação, estarem prontas, afinal quem de nós possui a verdade absoluta.

Mas se realmente consideramos uma pessoa amiga e temos por ela tem apreço e carinho, encontraremos a melhor forma de auxiliar através de exemplos e em silêncio, com respeito, caridade e ternura.

Já se for pra elogiar, que isso seja feito aos quatro ventos e diga pra todos as qualidades desta pessoa. Isso sim é uma atitude digna e respeitosa e não se travestir da franqueza para diminuir e humilhar quem está ao nosso lado.

Lembre-se que a verdadeira sinceridade é pautada em Deus nas palavras trazidas pelo nosso Mestre Jesus Cristo. E quando guardamos as palavras do Cristo a nossa boca sempre reproduzira um elogio que soa melhor do que uma crítica ácida e maldosa.

Agustin Olim
1 compartilhamento
Tags: auto ajuda

Por estes dias, eu percebo a movimentação das pessoas em torno do tema que será realizado dentro de alguns dias, o Natal, que causa alvoroço e alterações em nossa rotina.

Muitas são as preocupações, comprar presentes, montar presépios e arvores de natal, a iluminação e outras decorações natalinas e alguns itens que compõem a ceia e o dia de Natal. Mas sempre vem a seguinte pergunta o que vou fazer este ano? Pra quem? Aonde? Como? E assim por diante....

As pessoas se preparam, batalham e até se estressam para que tudo saia perfeito e maravilhoso, buscam criar um ambiente aconchegante e feliz para todos que vão compartilhar as festas natalinas, mas isso é ótimo, porque elevamos consideravelmente o nosso padrão de sintonia, compartilhando das energias positivas que crescem potencialmente nesses dias de alegria e de expectativas de um dia feliz, contribuindo para que seja lindo e maravilhoso.

É um momento mágico onde a percepção das coisas é alterada, ficamos mais sensíveis e emotivos, mais humanos, em nosso intimo fica apitando um clamor, o ato de se fazer mais pelos outros, onde os sonhos e as esperanças são renovados em busca de dias harmoniosos em todos os sentidos e para todos.

É uma época propícia para as renovações das pessoas buscarem ser mais compreensivos e tolerantes, superando muitas adversidades ocorridas ao longo do ano, momento de limpar o coração e a mente a espera do convidado especial, o aniversariante do dia “Jesus Cristo”, ficar preparado para estar a caminho para o encontro com Ele.

Fica a pergunta, estamos preparados para recebê-Lo em nossas casas?

O que ele espera receber de presente de cada um? O que nos esperamos no Natal? O que estou fazendo ou agindo diante do mundo e das pessoas? Queremos mudar em nosso intimo ou só as aparências?

É preciso abrir o coração com sinceridade e o Natal é uma data especial pela força e energia de amor que Ele nos transmite, eu sei que Jesus Cristo é a resposta para a mudança em nossas vidas, através de seus ensinamentos é que verdadeiramente seremos livres e felizes como Deus espera de cada um.

Precisamos resgatar os valores reais do Natal, então precisamos permitir que Ele entre em nossos corações para que ocorra as mudanças de que tanto necessitamos para sermos verdadeiramente felizes, compartilhando com todos essa felicidade.

Vamos aproveitar este dias que antecede o Natal para reflexionar e resgatar em nosso íntimo o amor incondicional que precisamos ter por nós mesmo, pelo próximo e por Jesus, na certa a nossa vida terá um novo sentido de ser.

Antecipo os meus votos e desejo a todos um Natal mais feliz da sua vida, com muita paz, harmonia, sabedoria, simplicidade e verdade, com o espírito renovado em Jesus Cristo.

Agustin Olim
1 compartilhamento
Tags: auto ajuda

Hoje quero falar de confiança, que aliás está muito em falta nos dias de hoje!! Qual o motivo?

Vivemos na atualidade nas margens das incertezas e das dúvidas que abalam a estrutura da confiança. Já percebeu que a maioria de nós só duvidamos de ou por algo positivo, e nunca do negativo. Quando eliminamos o negativo o positivo por si só se mostra. Quando a dúvida é afastada a confiança é restaurada.

As experiências nas relações com as pessoas demonstram bem isso, quer um exemplo, nós duvidamos da honestidade de alguém, mas nunca da desonestidade, você duvida da bondades de outras pessoas, mas você nunca dúvida dos defeitos delas. Se alguém diz que te ama, você pensa, será? mas se eu te digo que te odeio, você acredita. Duvidamos de verdades o tempo todo e falamos até por hábito.

O porquê questionamos o positivo e confiamos no negativo. Eu não digo isso para paramos de questionar ou ter dúvidas diante das coisas e das pessoas, porque acredito eu ser uma postura saudável para o entendimento das coisas e sim ter uma compreensão melhor das coisas, uma reflexão mais cuidadosa a respeito do assunto.

Penso que para ganhar confiança, nós devemos entender o que é a dúvida. Onde ela começa? De onde vem? Como supera-las?

Acredito que seja por medo e por muitos motivos, o de sofrer, de não conseguirmos o que (achamos) precisamos, ou ter de medo que a nossa segurança seja abalada provocando mudanças, e ter uma vida diferente do que estamos acostumados, o apego das coisas também contribui de forma negativa, resultando em dúvidas exageradas em vez de confiança.

Acredito que a primeira atitude é ter confiança em Deus e de sua obra, depois de nós mesmo. Sem confiança, a realização não vem e nada se concretiza. A dúvida é o que opõe a confiança. Jesus falou que tudo é possível ao que crê (Marcos 9:23). Ele nos trouxe a mensagem de boa nova e o que Deus espera de cada um e não pensamos e falamos que duvidamos de Jesus, mas também não fazemos o que Ele recomenda para que restauremos a confiança e o bem estar.

Nesses dias que antecede o Natal que todos sigam os Seus ensinamentos, única forma segura e certa para termos confiança em Deus, no próximo e no amanhã, cabe a cada um fazer a sua parte, nos renovando continuamente em pensamentos e atitudes e com certeza todo equilíbrio e harmonia será restaurada.

Agustin Olim
1 compartilhamento
Tags: auto ajuda

Como surge a inveja? Por que sentimos inveja? Ou melhor o que fazer quando sentirmos inveja?

Acredito que a inveja faz parte da natureza humana e continuará existindo dentro e fora de nós, portanto, faz parte de absolutamente todos nós. Surge de um sentimento fruto da comparação que fazemos entre nós e os outros.

São vários os aspectos, nas posses materiais, nas qualidades psicológicas, morais, físicas, sociais e espirituais.

A grande maioria das pessoas tendem a supervalorizar o outro naquilo que possui e a desvalorizar o que temos, valorizamos os atributos dos outros e nos sentimos como incapaz e inferior, geralmente temos o seguinte pensamento, não sou capaz de ter ou conseguir como esse ou aquele.

Nunca haverá inveja sem que antes tenha havido uma comparação, aí vem a seguinte pergunta. Como me encontro no momento da comparação? como está a minha autoestima?

O que sinto na agora que expresso a inveja na outra pessoa? Vergonha, fico assustado, com medo, com raiva, nos reprimimos, nós condenamos porque julgamos este sentimento como algo errado. Isso é normal.

Acredito que seja normal sentir inveja, por mais que vejamos como algo negativo e desagradável de sentir, ele tem o seu lado positivo quando bem utilizado. A primeira coisa a fazer é tirar esse peso negativo enorme de energia que atribuímos a ela e aceita-la como natural.

Quanto mais sentimos através da comparação o sentimento da inveja, maior é o nosso vazio interno, acredito que empregamos mal ou ignoramos o poder dessa energia como força motriz para buscar compreender o que sentimos e de como utiliza-la como ferramenta para nossa transformação evolutiva.

Esse sentimento quando bem empregado contribui e mostra o quanto estamos precisando trabalhar o nosso amor próprio e a autoestima, esse sentimento da inveja sinaliza insegurança e falta de autoestima desarmonizando as energias do nosso ser e nos colocando numa faixa vibracional deletéria que se não tomarmos cuidados poderá causar doenças como reflexo.

A inveja sinaliza os pontos fracos de nossa autoestima, mas quando a pessoa está segura ou plena em si mesma, a inveja alheia não incomoda, o tabu, a condenação e o julgamento apenas tornam a energia da inveja mais forte, seja dentro ou fora de nós.

Percebo que a inveja é um pedido de socorro de nós para nós mesmos, clamando em nosso intimo a necessidade de cultivar e praticar bons pensamentos e atitudes a fim de desenvolvermos e valorizarmos o nosso amor próprio, focando sempre o amor como parâmetros e baliza em nossa realização.

Reconhecer a inveja e os motivos dela dentro de cada um de nós, já é um primeiro passo de aprender a utilizar a nosso favor essa energia, neutralizando a forma negativa e direciona-la de forma positiva para a harmonia do nosso ser.

Nestes dias próximos ao Natal, vamos aproveitar essa energia benéfica do nosso aniversariante e fazer um gesto de amor por nós mesmo, trabalhar focado dentro do nosso íntimo, cuidando de nós, oferecendo algo bonito para nós mesmo e transformando a inveja como força propulsora para a nossa autoestima e amor próprio, não esquecendo que a fonte de algo bom e duradouro encontra-se nas palavras e ensinamentos do nosso mestre Jesus Cristo.

Agustin Olim
1 compartilhamento
Tags: auto ajuda

Podemos ser pessoas tentando levar a vida com bom senso e equilíbrio e que buscamos um bom viver com alegria e harmonia, mas se não estivermos atentos e vigilantes com os nossos pensamentos e que sejam de qualidades morais, poderemos atrair pessoas negativistas com o seu conteúdo tóxico.

Essa nuvem de energia deletéria contaminará o meio e se você permitir absorvera e te transformará em uma pessoa que nem mesmo você conseguirá reconhecer, pois ela traz à tona o que há de pior em sua essência, fazendo com que aja de modo tão negativo que mais tarde terás vergonha das suas próprias ações e conduta.

Somos testados diariamente, trazendo a reboque a nossa agressividade e nossas imperfeições. Por um lado é bom, nos informa em que nível nos encontramos, mas se não fizermos nada a respeito nos tornaremos pessoas amargas, mau humoradas e azedas.

Todo o dia vemos pessoas assim, que por pouca coisa ferem ou explodem com palavras e atitudes. Normalmente, você fica chateado quando se depara com elas, e se não tomar os cuidados necessários acaba sai azedo também, para azedar outro que vem logo ali também desavisado, vira uma bola de neve.

Acredito que por isso, quase todo mundo anda estressado e um tanto amargurado. Demore um pouco para arrancar seu carro no sinal verde para ver, alguns até chega à loucura de matar.

Alguns ou a grande maioria entram nesta sintonia e revidam com o amargurado aumentando o conflito, isso não resolve, porque a mente amargurada não tem condições de raciocinar de forma isenta, não adianta conversa ou argumentos, pois as piores emoções no momento afloradas os impedem de ver e ouvir com equilíbrio.

Esquecemos quase sempre que as pessoas só dá o que tem, no caso do amargurado só destila fel, caçando encrenca com todo mundo, muitas vezes por coisas que poderiam ser relevadas ou tratadas com mais doçura. A maioria esquece que a melhor maneira de tratar uma pessoa amarga é adoçá-la, através de exemplos bons.

O clima pode contagiar de maneira negativa, mas o inverso também pode acontecer, uma pessoa doce, calma, alegre, feliz, de bem com a vida nos faz bem e nos contagia com o seu bom humor e com sua felicidade.

Fica a pergunta o que eu quero para o meio que vivo, decidi que vou tentar fazer o bem que puder, dar o melhor de mim, e que o meu clima de alegria contagie todos em minha volta com alegria, bondade e afeto.

Agustin Olim
1 compartilhamento
Tags: auto ajuda

Já ouviu dizer que a alegria é o melhor remédio?

A alegria é uma energia natural mais poderosa e necessária para o equilíbrio e bem estar das pessoas.

Ela recupera e equilibra nossos estados emocionais e físicos, amplia nossos sentimentos mais nobres do nosso ser como a fé, bondade, boa vontade, compreensão, paz, paciência, coragem, etc., e dilui nossos sentimentos destruidores como medo, preocupação, ansiedade, tristeza, insegurança, agressividade, indiferença, ciúme, vingança, ressentimentos, etc., prejudicando a nossa alma, vamos tentar evita-los.

A verdadeira alegria é puro e limpo, caracteriza-se por atitudes otimistas e bondosas, capazes de levar a quem quer que seja a restauração do equilíbrio, sustentando o ser e fazendo-o ver o lado alegre da vida e o bom das pessoas, das coisa criando um ambiente saudável e revitalizador das nossas energias.

Até nas dificuldades, se enfrentada com alegria, boa disposição e confiança em Deus, a dor e a tristeza é minimizada ou até extinta, mantendo acesa a fé e esperança em dias melhores.

Cito Antoine de Saint-Exupery que disse: " A verdadeira felicidade vem da alegria de atos bem feitos, do sabor de criar coisas renovadas"

Não se permita que nada te faça perder a tua alegria.

Agustin Olim
1 compartilhamento
Tags: auto ajuda

Por que nos desentendemos com os outros? O que isso nos revela? Qual o melhor comportamento diante disso?

Bem, quando nos desentendemos revelam o quanto somos diferentes no pensar e agir, de acordo com o nível de entendimento que cada um tem, acredito que o fato real e desencadeador do desentendimento não a divergência de opiniões e sim da postura que adotamos diante disso.

O problema surge quando não sabemos como reagir diante das divergências, que nas maiorias das vezes geram discussões ou comportamentos um tanto agressivo, onde todos tentam impor suas ideias, algumas pessoas usam a autoridade que o cargo lhes confere impondo suas ideias como sendo a única verdade, olhando em absoluto só a sua posição se achando dono da situação e o senhor de todos e tudo, desrespeitando os outros, criando uma situação no mínimo constrangedora para todos os envolvidos, exemplificando uma desarmonia no ambiente contaminando a todos.

O ditado que diz, quando onde um não quer, dois não fazem, o melhor é nos recolher diante dessa desarmonia, com isso nos dar a oportunidade de aumentar a nossa compreensão diante da situação evitando antes que se torne caótica.

Não é fácil escutar aquilo que não aprovamos, mas se dermos vazão dos nossos desconfortos, os conflitos criara um descontentamento geral polarizando e potencializamos todos, explodindo toda a negatividade no ambiente.

Nestas horas o emocional fala mais alto, afetando o equilíbrio e a nossa consciência revelando as nossas carências e intenções e uma enxurrada de insatisfações, que se não cessar o processo no momento certo, poderá levar ao ressentimento elegendo os outros contrários a demanda como culpados da situação.

O equilíbrio é tudo neste momento, para poder de maneira tranquila ter um parecer sem sair acusando o outro ou as coisas disso ou daquilo. Buscar sempre se auto preservar, porque acredito e sinto que quando agredimos a alguém e a nós mesmo que agredimos, é uma autoagressão porque nos alimentamos de coisas negativas como raiva, mágoas e ressentimento.

Existem pessoas que preferem morrer a mudar seus padrões, se recusa a modificar, acredito que numa discussão, aquele que quer mais agredir revela a sua inferioridade moral e espiritual, necessita denegrir ou rebaixar a alguém para se sentir superior e dono das situações, esquecendo o que Jesus disse no 2º mandamento, “ Amar o próximo como a si mesmo”.

Agustin Olim
1 compartilhamento
Tags: auto ajuda

Eu creio que tudo está certo, o momento, a medida e a intensidade de como ocorrem as coisas.

Se Deus inteligência primária de tudo, Pai bondoso, amoroso e misericordioso, é o grande maestro das diversas sinfonias que é as nossas vidas, e somos todos filhos e um único pai, e que todos passamos por várias experiências muitas vezes com muitas dificuldades e dores, então pergunto: O porquê de tudo isso?

Não seria mais fácil que Deus nos tivesse criados prontos? Fácil pra quem? E qual seria então o nosso mérito? De sermos perfeitos e felizes sem os nossos esforços? Consequentemente seriamos máquinas que obedeceria a uma rotina pré-programada. Então qual seria o sentido da vida?

A vida deve ser sentida e absorvida de todas as coisas ao nosso meio, despertando para o aprendizado, para aprender a entender e compreender tudo, para conservar e até criar condições e esforços a nossa própria evolução.

Acredito que o Pai tem um grande objetivo para todos nós, que é a grande expressão da vida, que transforma qualquer coisa desde que nós nos conscientizemos e assim permitir conhecê-lo, desenvolve-lo e vive-lo que é o “amor”, que à expressão do próprio Criador.

No momento que nós permitimos que esse amor que nós carregamos dentro de si, como essência divina que Deus nos deu, inevitavelmente nós viveremos e tornaremos a expressão verdadeira em nosso dia a dia, tudo em nós se revestirá de um outro sentido, a nossa vida terá um outro sentido.

O amor é o grande objetivo do Criador que quer compartilhar conosco, e quando nós nos unimos a esse amor, estamos dando permissão para que Deus possa interagir e atuar em nós, para que possamos de maneira equilibrada ir a sua direção, encontrando a verdadeira vida amparada em Deus.

E quando não permitimos a expressão desse amor ficamos doentes.

Quando essa energia não encontra fluidez, um braço de rio que seja para desaguar, a dor invade nossa alma e adoecemos. Somos almas que registramos tudo o que sentimos e às vezes esse sentir nos traz a dor, então construímos as nossas defesas através de barreiras para não mais sentir, e ficamos parados e estáticos desistindo no meio do caminho diante da vida, nos destruindo no que é mais belo e bonito na busca do verdadeiro amor em nossas vidas.

O amor é uma energia poderosa e a nossa cura está inteiramente relacionada ao contato com essa corrente. Devemos sempre nos conectar com essa energia, que todos possuímos, mas que alguns ainda não conseguiram, mas tenham fé e confiança no Criador, porque ele respeita o tempo e o entendimento de cada um, sempre nos abastecera com novas oportunidades que nunca cessa para que um dia possamos ficar conectados em 100% nessa energia.

Finalizo dizendo que a meu ver a vida é maravilhosa, é uma dádiva de Deus, repletas de escolhas e eu escolho buscar a vida sempre através do amor, indiscutivelmente a melhor das escolhas.

Agustin Olim
1 compartilhamento

Por que rotulamos as pessoas, e detestamos quando somos rotulados?

Rotular é uma necessidade básica do convívio e sobrevivência social?

É por instinto que rotulamos as pessoas?

Julgamos, esse ou aquele, à medida que ameaçam ou não diante a nossa condição ou existência?

Há tantos olhares pelo mundo, tantas janelas da alma, tantas pessoas observando cada atitude nossa...

Eu hoje tenho o seguinte pensamento a respeito, acredito sim, que pelo instinto que cada um possui, ficamos rotulando coisas, situações e pessoas.

Mas ao meu ver o pior é rotular pessoas, na nossa complexidade psíquicas reagimos diante dos estímulos externos do meio que nos encontramos, tendo atitudes positivas ou negativas como resultado do nosso nível de entendimento de livre-arbítrio.

Usamos o rótulo para a classificar as pessoas, como se fosse um produto, que não reage, é estático, imóvel, estagnado, ao contrário somos e sempre seremos progressivo e dinâmico não refletindo a mesma realidade de comportamentos, não se esqueçam que nós não somos, nós estamos, hoje as pessoas se apresentam de uma forma, amanhã com certeza tudo será diferente, estamos sempre evoluindo cada um no seu ritmo e entendimento, porque não conhecemos toda as circunstâncias apresentada pelos atos e pensamentos que as pessoas demonstram ou querem demonstrar. Não se esqueçam, somos sinceros conosco e com o meio que estamos?

As nossas reações demonstram o nível que cada um se encontra, podemos demonstrar humildade ou orgulho, coragem ou covardia, altruísmo ou egoísmo, força ou fraqueza, amor ou ódio. Existem uma infinidade de rótulos que dispomos e utilizamos para definir as pessoas.

Não me cabe julgar diante da minha ótica a personalidade ou o caráter de ninguém, porque não conhecemos toda as circunstâncias apresentada pelos atos e pensamentos que as pessoas demonstram, é ruim rotular porque esquecemos que por traz dos rótulos existem pessoas que amam, odeiam, choram, riem, possuem toda uma gama de sentimentos e qualidades próprias e únicas.

Mas Jesus já nos ensinou qual a postura correta diante dos rótulos que empregamos em nossos dias, “Só o AMOR cobre a multidão de pecados”.

E é o amor que se faz presente, se materializa entre nós para nos iluminar. Lutemos contra a nossa tendência de tudo rotular, colocando mais amor e compreensão em nossos julgamentos. O mesmo amor e compreensão que desejamos para nós mesmos.

Agustin Olim
2 compartilhamentos
Tags: auto ajuda

Quando vemos alguém passando por algum tipo de situação difícil, como reagimos?

Temos uma sensação de sofrimento como a tristeza, a injustiça, temos as vezes a vontade de ajudar e muitas vezes ficamos com a sensação de impotência quando não podemos fazer nada, ou dependendo de quem seja essa pessoa, sentimos dó (pena) ou compaixão?

O que é sentir dó de alguém? Ou compaixão? Será que é a mesma coisa?

Já vi, li e achei muitas definições até em dicionário e algumas até dizem que é a mesma coisa.

Bom, no meu entendimento, nós geralmente confundimos a pena com a compaixão, no sentido de expô-la, aplica-la, são dois sentimentos diferentes na compreensão e na execução, ainda que sentimos as mesmas sensação, ambas tem um sentimento de tristeza ou dor em relação a algo ou alguém, mas tem finalidade diferentes enquanto postura que nós adotamos mediante as situações de sofrimento com os outros.

A pena faz com que as pessoas se confundem achando que, quando alguém sofre, têm que sofrer junto para não sentir culpa... e o mesmo ocorre quando estão sofrendo e esperam que o outro sofra para mostrar que gosta da pessoa, queremos que sintam pena de nós. Ficamos na posição de vítimas e enxergamos outros também como vítimas diante das apresentações de sofrimentos.

A pena é um sentimento egoísta se não sofremos junto com o outro? Somos frios e insensíveis se não sofremos e choramos junto com quem está sofrendo ao nosso lado?

Acredito nos foi ensinado a sofrermos com os outros porque se não sofremos junto, somos egoístas ou as pessoas vão nos ver como egoístas e para que isso não ocorra, nós sofremos junto e com esse sofrimento não temos condições de ajudar a ninguém. Incutiram ou nós mesmo aceitamos em nossas mentes que esse sofrimento, nos dá a sensação de que somos bons e que os outros também nos veem como pessoas boas... nos sentimos úteis e necessários na vida daquelas pessoas.

A pena demostra falta de confiança, acreditando que outro é incapaz de resolver o problema... inclusive costumamos dizer “coitado” quando vemos alguém sofrendo.

No sentido afetivo pessoal e familiar quando somos responsáveis pelos exemplos de conduta o sentimento da pena são muitos perniciosos ligados a culpa, as pessoas somente sentem dó é porque o outro é um reflexo de algum aspecto seu. As pessoas não estão interessado na dor ou pena do outro, simplesmente querem somente se livrar do problema que gera conflitos para si e para todos do meio, porque o sofrimento do outro está lhe incomodando ou revelando algo que você tem medo que seja exposto.

O outro está espelhando o próprio sofrimento criado por ele e sentimos culpa por isso, quando não devemos e sim procurar as soluções para resolver os conflitos, isso é compaixão.

A compaixão é sentir que o outro sofre, mas confiar em sua capacidade de solucionar o próprio problema, mostrando alguns caminhos, sendo ele, quem vai realmente resolver o problema, e não eu. Com a compaixão, temos confiança e equilíbrio e não sofrer com o outro e sim ajuda-lo a enxergar um caminho que ele, estando dentro da dor, não consegue ver.

Se nós acompanhamos o outro no sofrimento sentindo pena dele e sofrendo com ele, vamos retardar o processo dele de aprender e de ser forte. Com a compaixão nós não sentimos pena, não sofremos junto, somos solidários ao sofrimento do outro, mas vemos tudo do lado de fora, sem nos envolvermos.

Assim podemos ver com mais clareza o que ele não vê e lhe mostramos caminhos para que ele possa escolher o melhor e solucionar a sua dor.
Nossa melhor ajuda é estar ao seu lado, dando apoio, carinho e amor, mas nunca sofrendo com ele, nunca sentindo pena e acreditando que ele é um coitado.
Todos temos a capacidade de resolver nossos próprios problemas.

Agustin Olim
1 compartilhamento
Tags: compaixão

Por que as pessoas entram na nossa vida?

Dizia William Shakespeare - Há pessoas que entram por acaso em nossas vidas...

Mas não é por acaso que elas têm o privilégio de permanecer.

Será o acaso que as pessoas entram em nossas vidas? Mas se ficar não é devido ao acaso, teve uma razão... Qual então seria a razão? Será que eu estou fazendo a pergunta certa? Terei de imediato uma resposta, preciso saber?

Para início em minha humilde opinião “não acredito no acaso”!

Acredito em necessidade como forma de atrair pessoas ao nosso convívio, não importando se seja breve ou não, intenso ou superfulo, transitório ou duradouro.

Aí vem a seguinte pergunta, qual a necessidade das pessoas em minha vida?

Acredito que existe incontáveis razão, infinito seria as necessidades que faz com que atraímos e temos essas pessoas em nosso meio.

Acredito que as pessoas entram em nossa vida para ensinar, demonstrar, auxiliar, orientar tanto emocionalmente quanto espiritualmente. As pessoas entram pela necessidade que nós precisamos que elas estejam no momento e na medida certa. Não existem pessoas certas ou erradas, e sim aprendizado.

As pessoas trazem suas experiências para se confrontarem com as nossas, dividindo, somando, subtraindo e multiplicando, fazendo nos crescer e aprendendo juntos em todos os níveis de conhecimento, aperfeiçoando a nossa evolução diante do Universo na busca de amadurecimento e entendimento das coisas.

Discutir o que cada um nos trará, não nos mostrará nada, e ainda nos fará perder tempo demais desperdiçando a oportunidade de conhecer as pessoas, precisamos aceitar que as pessoas são únicas e sempre tem algo que acrescente em nossas vidas, aceitar as lições, em vez de ficar remoendo ou analisando os “por quês”.

Para cumprir a maior missão que temos perante Deus que é "Amar ao próximo como a si mesmo", precisamos de pessoas para nos ensinar a compartilhar, enfim tudo que seja necessário para atender a nossa necessidade e entendimento, por isso acredito que precisamos ser gratos, agradecendo a estas pessoas por estarem e serem parte da nossa vida que contribuem para nossa rota de evolução e felicidade.

Agustin Olim
1 compartilhamento
Tags: necessidades

Uma pessoa que cresce e se ilumina não está obrigada a carregar os outros que escolheram ficar acomodadas passivamente em suas sombras, o verdadeiro crescimento espiritual só acontece quando cada um toma a iniciativa e cria as condições para a sua própria evolução.

Agustin Olim
1 compartilhamento