Voltaire

101 - 125 do total de 282 pensamentos de Voltaire

Dissimular: virtude de rei e de camareira.

A história é apenas uma série de crimes e desgraças.

Se um livro é mau, nada o pode desculpar; sendo bom, nem todos os reis o conseguem esmagar.

Em questões de dinheiro temos todos a mesma religião.

Ama a verdade, mas perdoa o erro.

Se o homem nasceu livre, deve governar-se; se ele tem tiranos, deve destroná-los.

Que grande peso é um nome demasiado famoso.

Cada ciência, cada estudo, tem o seu próprio e ininteligível calão, que apenas parece ter sido inventado para evitar as aproximações.

Se os homens estivessem satisfeitos consigo mesmos, estariam menos insatisfeitos com as suas mulheres.

Os homens que procuram a felicidade são como os embriagados que não conseguem encontrar a própria casa, apesar de saberem que a têm.

As verdades são frutos que apenas devem ser colhidos quando bem maduros.

Aprender várias línguas é questão de um ou dois anos; ser eloquente na sua própria exige a metade de uma vida.

Para ter sucesso neste mundo não basta ser estúpido, é preciso também ter boas maneiras.

Quem não tem o espírito da sua idade, da sua idade tem todo o infortúnio.

Uma discussão prolongada significa que ambas as partes estão erradas.

A amizade de um grande homem é um benefício dos deuses.

Um nome famoso muito cedo é um peso bem pesado.

Há quem brilhe na segunda fila e se eclipse na primeira.

A maior parte dos homens é como a pedra do íman. Tem um lado que atrai e outro que repele.

Os maus só têm cúmplices; os libertinos têm sócios de devassidão; o comum dos homens ociosos tem relações. Os homens virtuosos têm amigos.

O medo segue o crime e é seu castigo.

Se fosse necessário escolher detestaria menos a tirania de um só do que a de muitos. Um déspota tem sempre alguns bons momentos; uma assembleia de déspotas nunca os tem.

Convém ter uma religião e não crer nos padres, assim como convém fazer um regime e não crer nos médicos.

O trabalho poupa-nos de três grandes males: tédio, vício e necessidade.

Uma palavra posta fora do lugar estraga o pensamento mais bonito.