Silvana Cervantes

Encontrados 7 pensamentos de Silvana Cervantes

Coisas que a vida me ensinou em 40 anos

Amor não se implora, não se pede
não se espera...
Amor se vive ou não.
Ciúmes é um sentimento inútil.
Não torna ninguém fiel a você.
Animais são anjos disfarçados, mandados
à terra por Deus para mostrar ao homem
O que é fidelidade.
Crianças aprendem com aquilo que você faz,
não com o que você diz.
As pessoas que falam dos outros pra você,
vão falar de você para os outros.
Perdoar e esquecer nos torna mais jovens.
Água é um santo remédio.
Deus inventou o choro para o homem não explodir.
Ausência de regras, é uma regra que depende do bom senso.
Não existe comida ruim, existe comida mal temperada.
A criatividade caminha junto com a falta de grana.
Ser autêntico é a melhor e única forma de agradar.
Amigos de verdade nunca te abandonam.
O carinho é a melhor arma contra o ódio.
As diferenças tornam a vida mais bonita e colorida.
Há poesia em toda a criação divina,
Deus é o maior poeta de todos os
Tempos.
A música é a sobremesa da vida.
Acreditar, não faz de ninguém um tolo
Tolo é quem mente.
Filhos são presentes raros.
De tudo, o que fica é o seu nome e as lembranças
A cerca de suas ações.
Obrigada, desculpa, por favor,
são palavras mágicas, chaves que abrem
Portas para uma vida melhor
O amor... Ah, o amor...
O amor quebra barreiras, une facções,
destrói preconceitos, cura doenças...
Não há vida decente sem amor!
E é certo, quem ama, é muito amado.

Silvana Cervantes
13 mil compartilhamentos

Animais são anjos disfarçados, mandados à terra por Deus para mostrar ao homem o que é fidelidade.

Silvana Cervantes
162 compartilhamentos

Amor não se implora, não se pede não se espera...
Amor se vive ou não.

Silvana Cervantes

Uma Fração de Segundo!

Um segundo é o que separa a vida da morte, a tristeza da alegria, o sonho da decepção, o amor do ódio, a lembrança do esquecimento...
Um segundo e tudo pode mudar....

Silvana Cervantes
Inserida por pensador

Amo...

Eu amo as pessoas que me fazem rir, até a barriga doer...
Pessoas que dançam em qualquer lugar quando ouvem uma boa música,
Pessoas que choram numa ópera,
Pessoas que vibram quando acertam um alvo,
Pessoas que demonstram seus sentimentos sem medo algum de nada nem ninguém,
Pessoas que dizem o que estão pensando mesmo quando é uma grande besteira,
Pessoas que choram quando assistem uma cena de amor no cinema,
Pessoas que que não se importam com o que os outros pensam ou dizem a seu respeito,
Pessoas que correm atrás dos seus erros,
Dos seus ideais das suas vontades....
Pessoas que apesar de reconhecer em si muitos defeitos,
Não teme mostrar suas habilidades.... Eu amo muito tudo isso,
Eu me amo!

Silvana Cervantes

Sei bem quem me ama....

Quem ama, se desespera,
Dá sinal de vida,
Se comunica...
Quem ama, não espera,
Não manda recado,
Não fica parado...
Quem ama, perdoa,
Sente falta, chora...
Quem ama, procura uma pista,
Te coloca na lista...
Quem ama, não quer ver sofrer,
Quer chegar junto, correr...
Não se ofende, surpreende,
Mesmo triste está contente...
Quem ama, manda torpedo,
E-mail, telefona, dá um jeito...
Quem ama tem uma estrela no olhar,
Vontade de ver, de beijar...
Quem ama não enraivece,
Deixa o orgulho de lado,
e
Jamais te esquece...

Silvana Cervantes

Você se lembra?

Lembra como a gente era feliz?
Vivia cantarolando uma canção dançante,
marca eterna de um coração pulsante!
Lembra da menina debruçada na janela?
Carinha sonhadora,
esperando, sonhando...
A serenata ao luar,
o pai se fazendo de bravo a espionar...
Lembra do lampião a gás?
Crianças felizes, na rua a brincar?
E dos bondes nos trilhos a deslizar?
Lembra dos tempos de escola,
daquelas colas riscadas nos braços?
E os laços?
Tantas fitas nos cabelos a enfeitar...
E os bailes de formaturas?
Lembra das orquestras?
Waldomiro Lemke, Radamés Gnattali Silvio Mazzuca, Zezinho,
ninguém ficava num canto sozinho!
Lembra das festas em famíla?
Os homens num canto contando piadas infames, as mulheres, lindas madames, fofocando... Os modelitos copiados das revistas mostrando...
Lembra de alguém ter depressão?
Síndrome do pânico,
mal de ação?
Eu confesso que não...

BONS TEMPOS!

"Quem não viveu, não sabe o que é paz e amor!"

E pensar que ainda somos os mesmos,
mas não mais vivemos como os nossos pais...

Silvana Cervantes
Inserida por pensador
1 compartilhamento